• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde

A propósito do livro "As Ilhas Crioulas de Cabo Verde - da Cidade-Porto ao Porto-Cidade" de Manuel Brito-Semedo, e da Desafricanização Geográfica, Geo-Política, Geo-Estratégica e Político-Cultural de Cabo Verde propugnada pelo seu Autor (II parte)

"Como é também sabido, a existência de uma sociedade escravocrata consistente nas ilhas de Cabo Verde foi posta em causa e contestada por Humberto Cardoso no ensaio “O Erro de António Carreira”, publicado em Julho de 1998 na extinta revista C(K)ultura, dirigida por Ondina Ferrreira e editada pelo antigo Ministério da Cultura quando António Jorge Delgado era o titular da pasta..Convictamente agarrado à tese acima referida de Humberto Cardoso e nela erroneamente ancorado, o autor do recentemente editado livro As Ilhas Crioulas de Cabo Verde-Da Cidade-Porto ao Porto ao Porto-Cidade...

Algumas Achegas e Reparos ao Editorial de Humberto Cardoso de 1 de março

A qualidade da democracia passa necessariamente pela avenida da língua materna—e um Estado que não promove o uso da língua materna nas suas operações, procedimentos, e processos cria graves impedimentos à experiência democrática. Quanto menor for a barreira linguística entre o Estado e a sociedade mais e melhor será a participação política e a atividade supervisora cidadã. A promoção da língua materna, com uma paridade de estima de facto e de jure, é assim uma exigência da democracia.

A propósito do livro "As Ilhas Crioulas de Cabo Verde - da Cidade-Porto ao Porto-Cidade" de Manuel Brito-Semedo, e da Desafricanização Geográfica, Geo-Política, Geo-Estratégica e Político-Cultural de Cabo Verde propugnada pelo seu Autor

"Historicamente derrotadas a tese adjacentista bem como a tese autonomista de Henrique Teixeira de Sousa, tornada pública em livro em Junho de 1974, isto é, já depois do 25 de Abril de 1974, tenta-se recuperar agora, num irreversível contexto pós-colonial, as teses claridosas por via da funcionalização saudosista e revivalista de uma certa neo-claridosidade político-identitária que privilegia sobremaneira as ligações de cariz subalterno à Europa Ocidental de matrizes e feições judaico-cristãs e oculta ostensivamente e com presunçosos laivos de desprezo, superioridade e...

O Estado CORROSIVO!

Francisco Carvalho cometeu o erro de desafiar os saqueadores do Estado Cabo-verdiano? Não. Enfrentou de cara a teia mafiosa que lideradas por (pseudos) dirigentes se achavam donos disto tudo, pondo cobro à drenagem monetária dos cofres municipais. Francisco Carvalho, teve a CORAGEM e a OUSADIA de por a nu/praça pública de que existem em Cabo Verde POLÍTICOS DESONESTOS, sem SENTIDO ÉTICO, de UMBIGOS OBLIQUOS e CAPAZES DE HIPOTECAR a Própria PÁTRIA.

PAICV pede consenso para a oficialização do crioulo

O PAICV apelou hoje ao consenso para a oficialização da língua materna cabo-verdiana considerando que não só é um direito social e linguístico, mas também uma forma de reconhecer a sua importância científica e cultural.

Hoje é Dia da Língua Materna. Linguista alemão destaca importância do crioulo na afirmação da identidade cabo-verdiana

O linguista alemão Hans-Peter Heilmair, um entusiasta da cultura e língua cabo-verdianas, destacou a importância da língua materna de Cabo Verde, indicando que é preciso promover e preservar a mesma dentro e fora do país.

"Caminho para a oficialização do crioulo paralelamente ao português é relevante e muito promissor"

A directora do Património Imaterial, Carla Semedo, afirmou que o caminho que está sendo estabelecido com enfoque na oficialização do crioulo, paralelamente ao português, é relevante e muito promissor, reconhecendo que ainda existem muitos desafios a serem ultrapassados.