• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde

Carta aberta ao ministro da Educação de Cabo Verde

Excelência, A resolução de todas as pendências da classe docente, em 2023, está plasmada em quase todos discursos da V. Excia, Sr. Ministro da Educação. Por isso, os professores cabo-verdianos esperam “boas novas” no Orçamento do Estado para o próximo ano e, esperam, sobretudo, da sua palavra e coerência. Também, seguramente que os professores não desmerecerão os esforços para a materialização de outras tarefas ligadas ao ensino.

A Hipocrisia da Câmara Municipal do Sal  

...estão disponíveis dados cientificamente comprovados sobre a distância das árvores em relação aos elementos existentes na via pública e quais os critérios que devem ser cumpridos para assegurar a segurança dos transeuntes e das casas na envolvente. Em passeios com larguras inferiores a 1,50m recomenda-se a não colocação de qualquer tipo de obstáculo bem como a plantação de árvores ou plantas, como vem sugerindo a CMS, para que as dimensões exigidas para a passagem de pessoas com deficiência, onde o ideal é 1,50m, embora, porque não se consegue alterar toda a malha urbana...

I Fórum Anual da Magistratura Judicial socializa alterações ao Código do Processo Civil

O Conselho Superior de Magistratura Judicial (CSMJ) realiza, em parceria com o Ministério da Justiça e o PNUD, o I Fórum Anual da Magistratura Judicial tendo como tema “Alterações ao Código do Processo Civil”

José Vicente Lopes apresenta hoje livro que aborda a questão da fome em Cabo Verde

O escritor e jornalista cabo-verdiano José Vicente Lopes apresenta hoje na Cidade da Praia a sua oitava obra no campo da história, intitulada “Cabo Verde – Um corpo que se recusa a morrer – 70 anos de fome, 1949-2019”.

Fortalecimento da coesão territorial, inclusão e melhorias

Vivemos a era da “Comunicação e da Revolução Tecnológica”... referência: novas tecnologias de infomação e comunicação e estamos, particularmente sob os designios da “Inteligência Artificial” (distopia), “Robótica” (exemplo, drones). O “risco” será a eventualidade destas “inovações” fazer-nos, ficar na situação de não poder ou conseguir controlar nossas próprias criações (até a data, não existe ainda tecnologia para tratar o lixo “nuclear”, que é altamente radioactivo!).

Karina Moreira: Oficializar o Crioulo é valorizar toda a nossa história e identidade

Há mais de seis anos, ela dedica-se à investigação da língua materna, trabalhando com recolha de dados orais em imersão linguística. Nas visitas às localidades ela conversa, escuta e grava os falantes, num registo real e atual da língua crioula. Karina Moreira, natural da ilha de Santiago, é jornalista, linguista e uma das grandes defensoras da definição de politicas linguísticas nacionais e do ensino da língua materna nas escolas do país. Trabalhando hoje como professora universitária da Língua Cabo-verdiana, Karina defende, o quanto antes, a Oficialização do Crioulo, esta...

Cremilda Medina: Quando dei por mim, já tinha abraçado a Morna

Dona de uma voz doce e melodiosa, ela canta o amor, a saudade, a nostalgia, o mar, a emigração, a partida e o regresso, o dia a dia do cabo-verdiano. Ela canta a Morna. Ela canta a Coladeira. Cantora e intérprete, natural do Mindelo, ela faz questão de manter as conexões com as raízes e tradições cabo-verdianas. Seu nome é Cremilda Medina, um retrato perfeito de uma geração que busca preservar as tradições e lança as bases para um futuro mais próspero e equilibrado no meio musical cabo-verdiano. Nesta entrevista ao Santiago Magazine, Cremilda fala da sua “íntima” relação...