Pub
Por: António Vieira

 Antonio Vieira 1

A corrupção sempre existiu e sempre foi parte do dia a dia dos seres humanos. Na realidade, a sociedade classifica de corrupção qualquer comportamento que vai contra o que é considerado correto pela mesma. A corrupção divide-se em dois aspetos; a corrupção ativa e a corrupção passiva.

A corrupção ativa advém ou é aplicada pelo cidadão comum, cujo o objetivo é o aliciamento do agente profissional público ou privado, enquanto que a corrupção passiva acontece quando o agente profissional público ou privado alicia o cidadão.

Tanto as corrupções ativas e passivas estão presentes em qualquer camada socioeconómica. Em outras palavras, elas são constantemente usadas pelos ricos, a classe média, pobres e indigentes com o propósito de estes conseguirem vantagens sobre os seus amigos, colegas de trabalho e escola e familiares, etc. Por conseguinte, as corrupções ativas e passivas manifestam-se da seguinte forma:

1.O atuantes da corrupção ativa são principalmente os utilizadores dos serviços do estado e são agentes que realmente mais contribuem para que a corrupção no espaço em que eles ou elas estiverem seja ideal para estes; contudo, felizmente, por outro lado, outros optam-se por renunciarem ou não adotarem a atitude destes (corruptos ativos).

2. Os atuantes da corrupção passiva são principalmente os agentes do estado e os agentes das do setor privado. Estes, não somente contribuem para a destabilização económica dos países onde estão presentes, como também fazem com que muitos cidadãos percam confiança nos seus representantes públicos (que podem ser políticos ou religiosos) e privados.

Verdadeiramente, nas últimas décadas, tanto a corrupção ativa e a corrupção passiva têm grandemente afetado principalmente os países africanos (incluindo Cabo Verde) e, hoje, estes países não somente são os mais pobres do mundo como também são os que mais sofrem de doenças que muitas vezes são facilmente evitáveis. De facto, estas doenças como a cólera, dengue, etc., são evitáveis através do uso próprio dos recetáculos do lixo… mas, muitos ignoram ou recusam em fazer o que sinal diz: “Deite lixo no contentor. Mantenha a nossa cidade limpa!”.

Realmente, o não uso das diretivas públicas ou privadas pelos cidadãos constitui a infração e a corrupção. Igualmente, os atuantes da corrupção, consciente ou inconscientemente ajudam na destruição da sociedade civil, da economia, da confiança mútua de uns para com os outros, no surgimento de epidemias e na fragilização da saúde pública. Por outro lado, tanto as corrupções ativas e passivas podem ser prevenidas com o forte envolvimento da sociedade civil e, com a prevenção das mesmas, a sociedade no seu todo é mais saudável, mais equitativa, mais próspera e mais viável ao longo do tempo.

Um excelente fim de semana à todos!

 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+2 # Bento Fortes 14-09-2019 16:30
Náo disse nada. Afinal a culpa de fazer xixi na rua é da falta de urinol ou do cidadão? O Estado é uma arvore de natal ou deve garantir a assistencia social?enfim. Escreveu baboseira
Responder
0 # William Moreno 15-09-2019 09:41
Cabo Verde vai para frente quando todos, corruptos ou nao,trabalhamos para o tal. Parece obvio a frase anterior, nao e? Mas quem esta a fazer o que para mudar o nosso status quo?
Responder
0 # Cabo-verdiano 15-09-2019 07:23
Nao entendeu o que o articulista quiz revelar/revelou!!!
Responder