• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde

Desmascarando Pretensões: Quando Amadores Tentam Ser Mais Cabralistas que Cabral

" Se formos a ver bem, oscabo-verdianos não são deCabo Verde"

Kabral kâ móri

Num tempo em que a «identidade» se tornou numa das categorias-chave da política, e uma espécie de categoria «catch-all» (como agora se provou com a polémica no parlamento cabo-verdiano), com todos os equívocos e confusões que isso acarreta, dialogar com o pensamento de Amílcar Cabral e compreender como recusava qualquer mística à sua «africanidade» que não se fundasse na luta, ganha uma renovada pertinência. Perdi o rasto ao texto onde uma vez li que Cabral seria o “contraponto lusófono de Fanon” e, com efeito, eles convergem nesta defesa acérrima da política como lugar...

Câmara Municipal da Praia cria concurso de artigos científicos sobre Amílcar Cabral

A Câmara Municipal da Praia vai criar um concurso de artigos científicos no âmbito do centenário do nascimento de Amílcar Cabral, que acontece este ano, anunciou hoje a autarquia.

Sentenariu di Nasimentu di Amilcar Cabral

Amilcal Cabral fla Unidadi i Luta / I mi N kre subi riba di Munti'l Birianda / Pa N ta grita rixu, ma kada un di nos e Cabral.

Analistas políticos admitem que o legado de Amílcar Cabral precisa ser melhor disseminado na sociedade cabo-verdiana

Os analistas políticos e estudiosos de Amílcar Cabral Daniel Santos e Abel Djassi Amado consideram que o legado de Amílcar Cabral, falecido há 51 anos, não está bem disseminado na sociedade cabo-verdiana.

Amílcar Cabral, a tristeza de um homem!

Se no tempo colonial havia exploração do homem pelo homem, em benefício do Estado Colonizador, hoje, a exploração do homem pelo homem têm como beneficiários, os políticos cabo-verdianos que sugam a carne e o sangue do povo, que vive na miséria, em nome de uma mordomia provida pelo Estado de Cabo Verde aos seus dirigentes políticos; Dizendo com Amílcar Cabral, a serpente apenas mudou a cor de pele, se ontem era o homem branco que explorava o homem cabo-verdiano, hoje é o homem mestiço que come a carne e o sangue do homem cabo-verdiano;

Amílcar Cabral. O engenheiro agrónomo

Nos textos Em defesa da Terra”, Amílcar Cabral, “discorre sobre o fenómeno erosivo em geral e em particular nas Ilhas que constituem o arquipélago de Cabo Verde. Assim, no ponto sublinhado - O fenómeno em Cabo Verde, Amílcar Cabral, enquanto engenheiro agrónomo, desenvolve o seu raciocínio, apontado as causas, as várias formas de manifestação da erosão no espaço rural, em particular na Ilha de Santiago, as consequências na produção agrícola, as possíveis soluções por ele inventariadas, nomeadamente a construção de diques de retenção do solo e da água, proteção...