• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde

Orlando Dias. “Tenho percurso para liderar a Comissão da CEDEAO”

Entrevista com o deputado nacional e vice-presidente do Parlamento da CEDEAO sobre a sua disponibilidade para presidir a Comissão da CEDEAO. "Estou trabalhando nisso há mais de um ano", afirma.

Dos dislates e desnortes de um Ministro Criativo (Ou kume bebe li na Tapadinha)

Carta Aberta de José Luiz Tavares, poeta cabo-verdiano, ao ministro da Cultura. Um texto de inigualável alcance, que, dado ao seu tamanho, o próprio autor o dividiu em duas partes. O Post-Scriptum "abordando as levianas, gravíssimas e ignaras considerações do ministro Abrãao Vicente a um site português" vai ser publicado na quarta-feira, 25, por Santiago Magazine.

Empresário escreve carta aberta ao Presidente da CM Boa Vista

Carta aberta à Câmara Municipal da Boa Vista e às Autoridades Nacionais

A desorientação da Oposição em São Salvador do Mundo

O Sr. Antonito e os seus camaradas em São Salvador do Mundo encontram-se desorientados, desnorteados, arriados, numa tentativa de fazer oposição no vazio, trilhando atalhos, na azáfama de ver se voltam ao poder a todo o custo.

Isaías Rosa. “Cabo Verde pode e deve fazer para melhor aproveitar a sua pertença à CEDEAO”

“Cabo Verde precisa definir o que quer relativamente à sua integração na África Ocidental”, afirma Isaías Barreto Rosa, candidato à presidência da Comissão da CEDEAO, comunidade que, no dizer deste ex-professor da UniPiaget, onde exerceu as funções de director da Unidade de Ciência e Tecnologia, precisa de uma maior participação de Cabo Verde. E sugere a criação de uma embaixada em Abuja. Entrevista exclusiva ao Santiago Magazine.

Presidente do CSMJ abre inquérito para apurar eventual corrupção na justiça

O presidente do Conselho Superior de Magistratura Judicial (CSMJ), Bernardino Delgado, acaba de anunciar que vai abrir um inquérito para apuramento das recentes denúncias do advogado Amadeu Oliveira, sobre a corrupção e adulteração de provas no Supremo Tribunal de Justiça (STJ).

Os erros e gralhas nos manuais são sintomas... não o problema

A sociedade cabo-verdiana, inadvertidamente, delega completamente ao Estado a cara decisão de fazer o que entende nas escolas. Logo, alguns agentes do Estado, com poder de decisão, têm-se habituado a decidir sem escutar ninguém.