• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde

PAICV e UCID voltam a exigir subsidiação do trigo para diminuir risco de insegurança alimentar em Cabo Verde

O PAICV e a UCID exigiram hoje do Governo a manutenção da subsidiação do trigo, visando diminuir o risco de insegurança alimentar, agravamento da situação de vida dos cabo-verdianos e o aumento da pobreza em Cabo Verde.

FINANCISMO e POBRISMO: uma miserável estratégia de desenvolvimento adoptada pelo Governo de Cabo Verde

Volto a repetir o que sempre disse: “Cabo Verde precisa de produzir algo para suportar o seu desenvolvimento. A produção nacional é determinante para reinventarmos a economia de mercado.” Um bom campo onde se deveria aplicar o Financismo deste Governo seria no setor agrícola, levando crédito, engenho e ciência para equipar os pequenos agricultores e operar com as transformações agropecuárias e dinamizar uma economia de mercado que servisse ao turismo, criando rendimento, pelo retorno gerado, e minimizasse a escalada de inflação que trucida o consumo, sobretudo dos mais pobres.

PAICV considera que medidas do Governo foram “manifestamente insuficientes” para a situação que cabo-verdianos enfrentam

O PAICV considerou hoje que medidas do Governo adoptadas com a declaração do estado de emergência social e económica foram “manifestamente insuficientes” ante situação que as famílias cabo-verdianas “passaram e continuam a passar”.

“Temos alta probabilidade de ganhar ao Ulisses”

Longa e sumarenta entrevista com Orlando Dias, político que desafia a liderança de Ulisses Correia e Silva no MpD, para “devolver o partido aos militantes”. Ataca a governação, acusa Ulisses de ser “centralizador do poder” e afirma que o presidente do MpD “não tem piedade de militantes em situação difícil”. As traições, as relações com UCS, os erros do Governo... Dias, sem papas na língua, considera dispensável a figura de vice-primeiro ministro, garante não vir a criar embaraços ao chefe do governo se ganhar as directas no partido ventoinha  e criar instabilidade...

Caso Amadeu. “O STJ deveria declarar-se impedido. É a parte ofendida, o Supremo, que o está a julgar”, reclama José António dos Reis

Antigo governante e analista político se apoia no Contrato Social para, outra vez, derrubar a tese judicial que mantém Amadeu Oliveira preso e à mercê da consciência dos juízes do Supremo Tribunal da Justiça, com os quais o advogado santantonense tem litígio – 14 processos-crime –  por denunciar suas alegadas fraudes e posturas inadequadas para qualquer magistrado. Para José António dos Reis “a pressa foi tanta que se foi buscar um crime bombástico para o imputar”, para logo observar que “a parte ofendida, e que no caso também tem a incumbência de julgar (STJ), deveria...

PAICV classifica de “incidente grave” as “declarações desrespeitosas” do director da TCV dirigidas ao Presidente da República

O PAICV classificou hoje a não transmissão da mensagem de Fim de Ano do Presidente da República no dia de costume, e a subsequente reacção do director da TCV de “incidentes graves” e quer que as responsabilidades sejam assacadas.

Caso Amadeu Oliveira. José António dos Reis destrói “olimpicamente” Acórdão do Tribunal da Relação e coloca pressão sobre o STJ

Artigo crítico e apurado do antigo governante e analista político, publicado no Expresso das Ilhas de 29 de Dezembro, vai obrigar o Supremo Tribunal de Justiça a reflectir duas vezes antes de decidir sobre o recurso da defesa de Amadeu Oliveira ao acórdão do Tribunal da Relação de Barlavento que condenou o mediático advogado a sete anos de prisão por, alegadamente, cometer crime de atentado contra o Estado de Direito e na qualidade de deputado da Nação (crime de responsabilidade), tese que José António dos Reis rebate e esmaga com categoria e ciência no seu texto.