• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde

Tarrafal de Santiago. Acidente em mina de areia causa uma morte e um ferido

O desabamento hoje de uma mina de areia na localidade de Chão Bom, município do Tarrafal, interior de Santiago, causou a morte de um homem de 64 anos e deixou um jovem de 16 anos ferido.

Substâncias sintéticas mais potentes e novas drogas e consumos preocupam Europa

O panorama das drogas está a mudar na Europa, com substâncias sintéticas opiáceas mais potentes, novas misturas de produtos e mudanças nos padrões de consumo, revelam dados do relatório europeu sobre drogas.

Falsificação de vistos. A máfia marroquina e Cabo Verde

O jornal Al-Youm Al-Sabea, de Marrocos, por meio da vigilância e rastreamento do crime de tráfico humano e fraude contra os aspirantes à migração, revela uma vítima desta rede, com a presença de selos marroquinos de entradas e saídas nos aeroportos em todo o país e até mesmo selos em aeroportos e capitais europeias.

Portugal: Cabo-verdiano Alcindo Monteiro assassinado por grupo neonazi em 1995 lembrado na marcha em Lisboa

O cabo-verdiano Alcindo Monteiro, agredido até à morte, em 1995, em Lisboa, foi hoje lembrado numa marcha contra o racismo e a xenofobia em Portugal, que lembrou as vítimas e pediu justiça.

"O Mundo precisa voltar a estudar ciências sociais e ler Cabral"

O mundo precisa de voltar a estudar História e Filosofia para evitar erros passados e ler Amílcar Cabral, disse Iva, filha mais velha, no ano do centenário do líder das independências de Cabo Verde e Guiné-Bissau.

Repouso do Guerreiro

Estou exausto e combalido. A minha casa de eremita está a ser reconstituída, a toda a brida. E nela, retirado dos prazeres do mundo, afasto-me dos pecados da cidade. Será o meu casulo de inexcedível predileção, para retiro meditativo. Depois de imensos anos a combater, para trazer a meu contendo um sovina certificado de sobrevivência, é hora de pendurar a oirada espada, para deixá-la enferrujar a seu magnífico talante. Na minha estância de aprimoramento, renunciarei todos os istmos e vaus, com as suas vielas e sórdidas baiucas, que sempre foram nota dominante do meu percurso....

DIÁRIO DE UM RESISTENTE – CONTINUAÇÂO

Como já supra dei a nota, a assanhada mania de me atormentar, para tirar a paz de espírito e manter-me sob as patas de trânsfugas e lampiões, com maldosas insinuações, apupos e sevícias,de insolentes ratazanas, para me prejudicar e destruir, ainda mais, nunca deixou de agudizar, por mais de 30 anos a eito. Os abjetos e sicários de sarjeta não largam a falsa cantilena nunca jamais. É de um profundo descaramento mentir por mais de trinta anos sem parar. E é um gritante caso de estudo, um motivo para chorar, nestes 50 anos de abril, que deveria ser feriado em toda a esfera dos PALOP....