• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde
PAICV Santiago Norte acusa Governo de ignorar as potencialidades da região
Política

PAICV Santiago Norte acusa Governo de ignorar as potencialidades da região

Nas vésperas do debate parlamentar sobre o Estado da Nação a Comissão Política Regional de Santiago Norte do PAICV, convocou a imprensa para partilhar com a sociedade cabo-verdiana a sua preocupação em relação ao Estado Socioeconómico desta importante Região da ilha de Santiago. Para o partido tambarina, o Governo do MpD não tem qualquer programa ou projecto para Santiago Norte, sobretudo nos domínios da agricultura, pecuária, pescas e turismo que são as grandes potencialidades de Santiago.

Santiago Norte é uma das maiores regiões do país, composta por 6 municípios, com uma população estimada em 121 mil pessoas, e portadora de grandes potencialidades nos domínios da agricultura, pecuária, pesca e turismo, sectores esses considerados estratégicos para o processo de desenvolvimento de Cabo Verde.

Entretanto, quais são os programas ou projectos do Governo de Cabo Verde para a região Santiago Norte? Rigorosamente nenhum.

No domínio da agricultura até este momento, decorridos dois anos e meio de mandato, não se conhece qualquer projecto ou programa deste governo vocacionados para alavancar a agricultura e transformá-la numa atividade económica geradora de riquezas, do emprego. As grandes bacias hidrográficas da região estão completamente abandonadas à espera das chuvas. O programa de mobilização de água, muito propagandeado pelo governo, não produziu qualquer resultado até este momento. E ninguém sabe o que é feito dele.

A época das chuvas está próxima e os agricultores estão aflitos para conseguir sementes para as sementeiras. O mundo rural não sente o funcionamento do governo, porque aqui nada acontece.

Nos domínios da pecuária, a situação é pior. O programa de salvamento de gado não surtiu o efeito desejado. Os criadores clamaram ao governo e este fez ouvidos de mercador, enquanto o país assiste, indignado, ao extermínio do gado.

Os criadores e agricultores deste país não têm acesso ao crédito, não contam com qualquer tipo de suporte e nem sabem aonde bater, porque o governo lhes dispensa atenção mínima, que serve apenas para contar nas estatísticas, ou como imagem figurativa nos relatórios oficiais.

Sobre a pesca ninguém fala. É um sector completamente ignorado, como se ela não existisse. É uma situação vergonhosa, não há crédito para os pescadores, não há formação e não há um programa para as pescas.

A nível social, o governo não apresentou ainda uma política clara para habitação, saneamento, educação e formação profissional na região.

A situação social da população e das famílias é cada vez mais difícil. Não há emprego, não há esperança. O compromisso para a criação de empregos dignos não viu a luz do dia. O que os jovens e as famílias da Região receberam foi a dependência com a promoção do “txapu na mon” contribuindo assim para o aumento da pobreza na nossa Região. Os dados oficiais sobre o mercado de trabalho mostram que em Santiago Norte nada melhorou. O desemprego aumentou na Região. A população inativa também aumentou ultrapassando a média nacional. A taxa de subemprego disparou. Por sua vez, a população economicamente ativa diminuiu e rendimento de inclusão é ainda palavras de discurso.

Para agravar ainda mais este quadro difícil em que se encontra Santiago Norte, regista-se que não há qualquer informação da parte do governo sobre o que pretende com esta região, qual é o seu programa ou projetos para alavancar as suas potencialidades.

O PAICV Santiago Norte acredita que todo e qualquer programa de desenvolvimento da região tem que passar impreterivelmente pelo desenvolvimento da agricultura e da pecuária e consequentemente pela mobilização de água, pela empresarialização do sector agrícola, pela agroindústria e a promoção do turismo.

Assim, fica claro que as grandes potencialidades da Região, agricultura, pecuária, pesca e turismo não têm merecido qualquer atenção do governo. Aliás, estes sectores estão completamente abandonados e alheios ao programa do governo. O PAICV Santiago Norte está apreensivo, junta a sua voz às famílias, aos jovens e aos moradores da Região e manifesta-se preocupado com a situação e coloca-se ao lado de ¼ da população deste país que reside em Santiago Norte para exigir que este governo do MpD cumpra o seu papel na implementação de políticas públicas para o desenvolvimento do país. Porque investimentos para o desenvolvimento da Região não existem e as condições de vida das pessoas não conheceram qualquer melhoria na Região. Por isso, perguntamos onde está a felicidade prometida para a população de Santiago Norte? Porque aqui ainda nada aconteceu”.

Partilhe esta notícia

SOBRE O AUTOR

Redação

    Comentar

    Inicie sessão ou registe-se para comentar.

    Comentários

    • Este artigo ainda não tem comentário. Seja o primeiro a comentar!