Pub

ulisses

O primeiro-ministro recusa participar na "novela" Aléx Saab, afirmando que a decisão sobre a extradição do empresário colombiano para os EUA compete somente à Justiça, .
 
“O Governo e os tribunais de Cabo Verde não são pressionáveis”, começou por afirmar o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, em entrevista à agência Lusa, questionado sobre os contornos deste processo, que colocaram Cabo Verde no centro de uma disputa internacional entre os Estados Unidos e a Venezuela.
 

“Este caso está a ser transformado numa novela na comunicação social, com cartas, artigos, declarações, tentando levá-lo para o campo político ‘tout court’ [simplesmente]. O Governo de Cabo Verde faz questão de não entrar no elenco da novela”, acrescentou.

Alex Saab, 48 anos, foi detido em 12 de junho pela Interpol e pelas autoridades cabo-verdianas, durante uma escala técnica no Aeroporto Internacional Amílcar Cabral, na ilha do Sal, com base num mandado de captura internacional emitido pelos Estados Unidos da América (EUA), que o consideram um testa-de-ferro do Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

Entretanto, o Tribunal da Relação do Barlavento, na ilha de São Vicente, a quem competia a decisão de extradição formalmente requerida pelos Estados Unidos, aprovou esse pedido em 31 de julho, mas a defesa de Saab recorreu para o Supremo Tribunal do país.

Durante a fase administrativa do processo de extradição, antes de seguir para decisão judicial, o Governo cabo-verdiano, através do Ministério da Justiça, autorizou esse pedido com base num parecer da Procuradoria-Geral da República.

Ulisses Correia e Silva garante que a posição do Governo é inequívoca: “O caso está entregue à Justiça e é a Justiça que deve decidir em última instância”.

Os Estados Unidos acusam Alex Saab de ter branqueado 350 milhões de dólares para pagar atos de corrupção do Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, através do sistema financeiro norte-americano, enquanto a defesa do empresário colombiano, que inclui o escritório de advogados do ex-juiz espanhol Baltasar Garzón, afirma que este viajava com passaporte diplomático, enquanto “enviado especial” do Governo da Venezuela e que por isso a detenção foi ilegal.

A defesa insiste ainda que Cabo Verde está a ceder à pressão dos Estados Unidos neste processo.

No início de setembro, Alex Saab denunciou em carta citada pelo El Mundo que “os Estados Unidos têm quatro empregados naturais de Cabo Verde” que o estão a torturar na prisão onde está detido, no arquipélago.

“Os Estados Unidos têm quatro empregados que entram na minha cela todas as noites e me espancam para que faça declarações falsas contra [Nicolás] Maduro”, de acordo com a carta enviada por Saab.

“Sou um enviado especial da Venezuela à Rússia e ao Irão, tenho imunidade diplomática e exijo a minha libertação”, insiste o empresário colombiano.

Alex Saab afirma que “o objetivo destes criminosos”, os alegados quatro homens que o torturam, é que “assine a sua extradição voluntária para os Estados Unidos”, assim como que faça declarações falsas contra Maduro.

Por outro lado, em agosto foi noticiado nos Estados Unidos que dois responsáveis cabo-verdianos viajaram para Caracas como emissários do Governo e reuniram-se com o Presidente Nicolás Maduro, para abordar o processo de Alex Saab.

O Governo  desmentiu esta versão, negando que tivesse enviado qualquer missão à Venezuela e dias depois afastou do cargo de presidente do conselho de administração da empresa pública de medicamentos Emprofac, Fernando Gil Évora, um dos dois cabo-verdianos que viajaram para Caracas, alegando “violação dos deveres inerentes ao gestor público e desvio da finalidade das funções”, tendo a Procuradoria aberto uma investigação a este caso.

Com Lusa

Comentários  

0 # FIDEL CASTRO 10-09-2020 10:33
Ulisses, tu és uma triste figura, um fantoche da família Veiga sem pensamento e ideias próprias.

Toda esta promiscuidade e atrevimento só podiam ser coisa de duas pessoas - Carlos "manu branku" Veiga e Luis Filipe "fake news", "catxor di branku" Tavares.

Deixem esse homem em paz e que siga sua viagem.

Tenho dito!
Responder
+2 # nós em caboverde 08-09-2020 11:30
"Lugar de bandidos (caboverdianos) é na cadeia":

- Falcatruas de terrenos incluindo destruição/substituição de folhas de matrizes;
- Ocupação/roubo de terrenos em sanmartinho Pequeno;
- Venda da TACV a preço de rifa e sem contrato;
- Destruição do Serviço de Manutenção da TACV Cabo Verde Airlines;
- Favorecimento de empresa de vice-premeiro ministro;
- Favorecimento ilegal de empresa de de[censurado]do;
- Não prestação de contas públicas de acordo com a lei;
Responder
+1 # cristalino 08-09-2020 11:09
Para agradar a América autorizou os tribunais a iniciarem processo de extradição do Sr. Alex Saab mesmo sabendo que não tinha cabimento à luz da Constituição da República e das leis internacionais.
Ao mesmo tempo e sabendo de antemão que é um caso sem pernas para andar, manda 2 emissários ir encontrar com o presidente da Venezuela Nicolas Maduro, para ficar de bem com este.
É caso para dizer: uma no cravo, outra na ferradura, quer agradar a gregos e a troianos, o que não é possível.
Responder
-8 # José Sócrates Lopes 07-09-2020 23:48
Em Cabo Verde somente o paicv e os seus agentes cederam aos caprichos da propaganda do Maduro. Lugar de bandido é na cadeia e se o bandido violar a lei americana, já sabe que não tem escapatória. Todo o resto é paródia.
Responder
+3 # Melaine David Midomi 08-09-2020 07:49
Para levar uma pessoa na cadeia, deve haver factos ou indícios convincentes (ou que não absolve a presunção de inocência) e PROCEDIMENTOS legais conforme as leis da República. Quem mandou Gil Évora e Carlos Anjos ter com o Maduro em Caracas, Venezuela, foi Janira, foi PAICV? Eu sou MPD mas não sou CEGA nem IDIOTA. Nunca defenderei o ABSURDO. Temos de defender a VERDADE
Responder
+4 # Melaine David Midomi 07-09-2020 23:18
Oh Sr. PM, então, “O Governo e os tribunais de Cabo Verde não são pressionáveis”? Quem mandataram Gil Évora e Carlos Anjos em Caracas encontrar Nicolás Maduro? Os dois marmanjos estão a passear na Cidade da Praia tranquilamente, como se nada fosse. Cabo Verde já sabe que você PM, UCS foi o mandatário, o autor deste crime de peculato, e o Ministério Público, os juízes são coniventes. O povo aguarda as devidas explicações até as próximas eleições.
Responder
+4 # CATUMBELA 07-09-2020 22:24
Esse é um caso político, meu caro, você meteu se numa camisa de sete mandas agora é tens que procurar forma de sair dela. O seu governo andou muito mal. E isto lhes trarão graves problemas. Eu acredito que o povo será pouoado.
Responder
+7 # Horacio Varela 07-09-2020 22:16
NOVELA, Sr. Primeiro-ministro? Recusa participar na NOVELA? No dia 12 de Junho teve tempo mais do que suficiente para ponderar no que V.Excia. ia meter o nosso País, nós todos. O seu problema é como sair. Fique ciente de que qualquer que venha a ser o desfecho o Governo de Cabo Verde, Cabo Verde e os caboverdianos saem chamuscados e bastante fragilizado. A decisão de deter e prender o cidadão em causa foi sua e do seu Governo e, a partir daí, passou a ser protagonista da “NOVELA”, embarcando-nos a todos numa aventura de consequências inimagináveis. Quem ganha com isso? Os caboverdianos não sabem. O que sabemos é que Cabo Verde, seguramente, sai a perder. Podia perfeitamente poupar-nos desta “NOVELA”.
Responder
+6 # Alerta vermelha. 07-09-2020 21:59
Caso Alex Saab. “O Governo e os tribunais de Cabo Verde não são pressionáveis” - Será mesmo, Senhor primeiro Ministro? Seja qual for o desfecho final, acha que as relações entre Cabo Verde, Venezuela e outros países seus amigos, por um lado e Cabo Verde EUA, vai continuar na mesma, como se nada tivesse acontecido; que caso Alex Saab é igual a um traficante qualquer?
Ainda não reparou que o caso é mais politico-jurídico de que judicial? Tome-se cautela...
Responder
+6 # pedro amado 07-09-2020 20:56
Este homem ja náo sabe o que diz.
Responder
+7 # Toty Coia 07-09-2020 18:43
Esse sim é primeiro-ministro! O resto é estória.
Manda sequestrar, encarcerar e espancar um diplomata estrangeiro e vem covardemente à comunicação social chamar esse ato de novela?
Que novela? Escrava Isaura?
O senhor "calçou uma grande bota" que não se sabe como mas, TERÁ DE DESLCALÇÁ-LO.
Responder
+5 # toto 07-09-2020 16:32
Tratar a gestão da opinião publica e a defesa jurídica para evitar a extradição dum homem preso , como novela elencada , não e' linguaje dum P.M de pais Democrático ,nem de quem promete aos cidadãos a FELICIDADE .Pelo deboche como trata esta matéria vamos conhecendo-lhe e seremos nos quem demos o troco por COVARDE .
Responder
+8 # PITABOLA 07-09-2020 15:28
Este nosso Primeiro-ministro fala como um títere encantado, telecomandado por um engenheiro eletrônico escondido, sem dizer substancialmente nada . Nada ! Conversas sem conexão, denotando-se grande desorientação no seio do seu governo , com consequências graves, em que mais tarde não sabemos onde vamos parar.
Está brincando com o fogo, tentando tratar-nos de mentecaptos !
Responder
+3 # PITABOLA 07-09-2020 14:42
Porreiro, meu grande ROQUE SANTEIRO ! É isso mesmo, assertivo !
Responder
+17 # ROQUE SANTEIRO 07-09-2020 13:29
Áh, medo dja dau?
O senhor mandou sequestrar no aeroporto do Sal, aprisionar e torturar um diplomata venezuelano, recebeu um pedido dos EUA para sua extradição a que prontamente aceitou e deu seguimento sen djobi pa lado, enviou 2 emissários à Venezuela para negociar (em dolares) a sua libertação e agora vem com toda cara de lata fazer essa hipócrita afirmação?
Pensas que somos totós?
Mas mais, o povo está à espera de esclarecimento do penúltimo capítulo dessa novela filmado entre Cabo Verde, Portugal, Saint Vicent & Granadines e Venezuela, onde os seus Testas-de-ferro Gil e Anjos entraram en cena.
Responder
+4 # Caboverdiano 07-09-2020 23:53
Quando ele sair do governo é para mandarmos limpar o seu nome de primeiro ministro de CV a bem da nação.
Responder