Pub

Seis deputados do grupo parlamentar do Movimento para a Democracia (MpD), vão realizar entre quinta-feira e domingo as suas jornadas parlamentares descentralizadas em Portugal, segundo anunciou o partido.

O programa das jornadas parlamentares prevê encontros com os grupos parlamentares do Partido Socialista (PS), do Partido Social Democrática (PSD) e do CDS-PP (Centro Democrático Social - Partido Popular), além de uma visita de cortesia ao grupo parlamentar de Amizade Portugal/Cabo Verde.

Encontros com o embaixador de Cabo Verde em Lisboa, Eurico Monteiro, com o coordenador do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS) em Portugal fazem também parte da agenda dos deputados, que irão igualmente encontrar-se com estudantes cabo-verdianos em Coimbra.

Os seis deputados do MpD, maioria no parlamento cabo-verdiano, visitarão também algumas das principais associações cabo-verdianas em Portugal, nomeadamente a Associação Cabo-verdiana de Lisboa, Moinho da Juventude, Associação Cabo-verdiana do Vale da Amoreira e Associação Girassol, onde deverão avistar-se com os doentes enviados para Portugal no âmbito da cooperação.

No sábado, participam, na Associação Cabo Verdiana de Lisboa, numa conferência a sobre os desafios e oportunidades da diáspora cabo-verdiana, da qual são oradores o empresário Manuel Chantre e o professor universitário Rui Santos.

O grupo parlamentar do MpD é presidido por Rui Figueiredo Soares, eleito pelo círculo de São Vicente, e tem como um dos vice-presidentes o deputado Emanuel Barbosa, eleito pelo círculo da Europa (Portugal).

O Movimento para a Democracia (MpD) afirma-se como um partido "centrista, aberto e interclassista", inserindo-se na Internacional Democrata do Centro (IDC), a mesma família política do PSD.

Fundado em 12 de março de 1990 e tendo como primeiro presidente Carlos Veiga, venceu a 13 de janeiro de 1991 as primeiras eleições democráticas de Cabo Verde com maioria qualificada, repetindo a vitória em 1995.

Depois de 15 anos de um regime de partido único do PAIGC/PAICV, o MpD surgiu como uma das principais forças associadas à abertura política cabo-verdiana.

Em 2001, passou para a oposição após ter sido derrotado pelo Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), então liderado por José Maria Neves.

Regressou ao poder sob a liderança de Ulisses Correia e Silva, gestor e antigo autarca da capital cabo-verdiana, e depois de ter ganho as eleições legislativas de março de 2016 com maioria absoluta.

Com Lusa

Comentários  

0 # Djosa Neves 03-05-2018 18:01
Bancada??????? Esta nossa comunicação partidária tem muito que se lhe diga. Dizem-se independentes, jornais focados na noticia, isentos, quando na verdade não o são. Podem escolher as suas tendencias, assumir sua postura, mas fingir ser o que não são....Depois, perdem credibilidade, perdem mercado, perdem sustentabilidade....Jornais partidários não conseguem sobreviver que não á custa de boas vontades. O filme visto e revisto, considerado uma desgraça, mas seguem o mesmo modelo e reclamam do mesmo destino. O que esperar?
Responder
-1 # SÓCRATES DE SANTIAGO 03-05-2018 17:09
Que brincadeira é esta! De[censurado]dos do MPD em passeatas e paródias nas ruas de Lisboa à custa do nosso dinheiro! "QUO VADIS" CABO VERDE?!
Responder
0 # Djosa Neves 04-05-2018 06:36
Pois é, meu caro, o cinismo e a incoerência no seu máximo!! Reclama-se e conclama-se que os de[censurado]dos devem estar junto ao eleitorado, escutar as pessoas e depois reclama-se que sejam realizados encontros e que os de[censurado]dos DESLOQUEM-SE ao encontro das pessoas. Isso das passeatas e passeios, deve ser porque já aconteceram demasiadas vezes ou porque moram no (sub)consciente de cada um - reminiscências que ultimamente estão em voga
Responder
0 # Felicidade 03-05-2018 12:33
povo na campo ta sufri, políticos ta passea la Colombo e na Rossio. Tudo na nós custa e para FELICIDADE di povo. Beleza, né?
Responder
0 # Domingos 03-05-2018 12:01
E no domingo vão assitir ao jogo de futebol entre Sporting e Benfica. Tudo isso á custa da miséria dos caboverdianos. Este é um povo com juizo na cabeça e, por isso, está bem representado.
Responder
0 # terralonge 03-05-2018 09:57
A custa de quem? coitado do povo!
Responder