Pub

1. Certamente, muitos já terão ouvido falar de "indicadores". Trata-se de um dos elementos centrais das chamadas ciências sociais. Assim como não podemos sequer imaginar a "matemática" sem algarismos, assim também é impensável haver ciências sociais sem indicadores. Para simplificar a compreensão, vale a pena dizer que há uma palavra mais comum, cujo significado se aproxima bastante do de "indicador". É a palavra "sinal";

2. Esta governação do país tem dado "sinais" muito preocupantes. São "indicadores" que dão razão a uma ideia lançada em tempos: "democratas de papel". Ou seja, defendem a democracia só no papel, apenas no discurso, de boca para fora. Na prática: ameaçam levantar processos disciplinares a 800 e tal polícias só por terem participado numa greve - um direito previsto na Constituição da República -; ameaça com processo disciplinar o jornalista que der um gosto em página de facebook de partido político; e persegue e exclui de todos os lugares de gestão da administração pública quem não é militante do partido do governo;

3. Silenciar jornalistas - num ambiente em que quase a totalidade já estava há muito em silêncio -; intimidar a polícia; e perseguir militantes de partidos da oposição, são sinais de construção de um caminho para a ditadura e para a criação de condições para se "eternizar no poder";

4. Este Código de Ética do Governo para jornalistas/equiparados da RTC é uma mensagem com um objetivo claro: meter medo, silenciar e calar. Movido por quem conhece extremamente bem a vantagem de ter jornalistas dóceis e favoráveis e que sabe de fundo qual o valor da manipulação e da criação de perceções para fins eleitorais;

5. Depois desta mensagem do Governo, teremos dois grupos de jornalistas. Por um lado, aqueles que se aproveitam - com mais ou menos honra pela profissão que escolheram - para se dedicarem de corpo e alma à auto-censura! Um outro grupo - que poderá ser muito minúsculo - vai bater o pé e continuar a dar gostos em páginas de facebook de partidos, igrejas e clubes de futebol; publicar posts de opinião pessoal; e aguardar que a RTC mande a polícia apreender e retirar do mercado o livro que vier a ser publicado sem a autorização do Governo;

6. O dia em que um jornalista for despedido por ter dado um "gosto" na página de facebook de um partido, por ter publicado um post, ou enviado um "tweet", será o dia do teste à dignidade dos homens e das mulheres deste país, neste novo tempo do malfadado regresso do "lápis azul" repescado da época da ditadura de Salazar, da PIDE e do Estado Novo;

7. Independentemente da evolução deste código de ética e de conduta, o facto é que a sua apresentação como proposta é um sinal do elevado grau de degradação da sociedade cabo-verdiana, um atentado à democracia sem qualquer tipo de pudor. Pudera! Para quem não hesitou achincalhar a memória de uma Nação inteira, ao trocar o hino e a bandeira, ter a ideia deste código é brincadeira de menino de coro!

Comentários  

+2 # @djimbo 09-01-2018 17:11
o djimbo anda com uma bela memoria selectiva e de conveniência. é basta ver que o presidente do inps foi levado a demitir porque disse que o inps ia recuperar todo o crédito do novo banco e que não vai haver perdas. a roubalheira no HAN, ADS, Fundo Turismo, etc. foi encoberto para não ter consequência política para o governo do mpd. mas todo o mundo sabe que houve roubo e que alguém deixou o outro roubar. mas o povo não é bobo. vamos dar a respostas devida.
Responder
-5 # djimbo 06-01-2018 09:00
Meu Caro articulista

Fazendo análise académico, o articulista não podia escrever melhor artigo

Tenho uma mera sensação que este articulista está a tentar fazer a cama para uma outra pessoa vir a deitar.

Veja, falas dos acontecimentos de 91 e não falas dos acontecimentos de 2001 a 2016? que é muito mais recente.

Dá a sensação que está a tentar preparar um tacho para vir comer depois.

Relativo ao processo desciplinar a vir ser levantado contra os policiais que participaram numa manifestação que diz ser pacífico, convido-lhe a ler o estatuto da Policia Nacional.

Não porque sou contra as manifestações, são direito consagrados, sou contra aproveitamento político duma situação que não traz nenhum benefício ao País.

Quanto a mudança da bandeira e do Hino nacional, vou perguntar-lhe o seguinte ou melhor antes de lhe perguntar vou lhe dizer o seguinte.

Cabo Verde, tomou a sua independência através da luta armada feita em Guiné Bissau pelo partido PAIG(C). "Partido Africano da Independência da Guiné e (Cabo Verde).

Depois de vencer a luta armada em 1973/74, criou uma Bandeira e Hino Nacional comum, (União de factos).

Em 1980, os dois países separam, divorciaram. A Guiné Bissau continuou com o Partido PAIGC, e com a mesma bandeira e Hino nacional porque a história não se refaz e nós decidimos tirar o apelido do casamento, (divorciado no momento), mas continuar com a mesma Bandeira e Hino Nacional de um outro País, o que é caricato.

Pergunto-lhe fazia sentido a utilização de uma identificação que não nos representa?

De qualquer maneira, isto é o passado e não trouxe nenhum prejuízo financeiro para o País.

Vou fazer-lhe duas e apenas duas perguntas que trouxe muitos prejuízos financeiros para Cabo Verde.

1- A construção das barragens.

Não podiam encontrar outro sítio senão em um buraco para a construção de uma barragem, "furada" diz-lhe alguma coisa em um "furo, sumição".

2 - Casa de tudo alguém " denominado, CASA PARA TODOS"

Mas de que eu, conheces o Plano de Negócio para a construção de "Casa para Todos" que era para vender aos quadros nacionais "casais" com vencimentos acima dos 40.000$00 e com garantia de financiamento bancário.

Foi aprovado o Plano de Negócio e foi feito o empréstimo junto de um banco estrangeiro com o aval do governo de Cabo Verde".

Cabo Verde ficou avalista neste neste empréstimo "negócio" de alto risco, embora o Plano de Negócio não mostrava este risco, porque foi encomendada, estais de acordo comigo até aqui.

Como também deves saber e mais de que eu, os primeiros blocos construídos não foram aceites pelos ditos clientes "contratados".

Ficou sem vender as primeiras construções. Porquê? a qualidade acordada no acto da venda não coincidiu com as no acto da entrega.

O que aconteceu ou devia acontecer?

Parar a construção de mais blocos de moradias, até vender os já construídos e redesenhar novamente o plano de negócio e fazer nova negociação de financiamento, junto do financiador, mas não, continuou a construir mais casas e mais casas, justificando que o crédito era num bolo comum, e tinha que ser servido senão ficava desperdiçado.

Como se de uma comida se tratasse.

Disse-lhe que ia fazer-lhe duas e apenas duas perguntas, mas não vou resistir sem tentar a fazer-lhe mais esta.

A construção do anel rodoviário da Ilha do Fogo.

A denominada agora meia lua. Uma Obra orçada em mais ou menos 4 milhões de contos na sua totalidade e que veio a custar o dobro somente em metade da obra e de mau qualidade o que veio a resultar esta denominação de meia LUA.

O que você acha que o financiador desta obra acha de nós Caboverdianos? principalmente tratando-se de um País altamente eficaz no cumprimento das suas obrigações?

Podia numerar-lhe dezenas de obras mal feitas, todos por causa da pressa que tiveram em fazer tudo de uma vez só, e que deixou Cabo Verde numa situação de ingovernação.

Agora, podias pela sua profissão, dar um valioso contributo.

A situação de Cabo Verde neste momento é deveras preocupante. Consequência de uma governação péssima do passado.

Veja, o comportamento social dos caboverdianos neste momento, e me respondes. É de um povo com cultura? É de um povo inteligente?

Achas, que por acharmos que estamos no corredor da "IOROPA" nos tona "IOROPEU"? ou nos leva até Europa, como se de um rio tratasse.

Meu caro Doutor, peço-lhe encarecidamente. Reúne com os seus colegas para encontrarem uma solução sociológica para a sociedade Cabo Verdiana, porque é o que mais precisamos neste momento, em vez de estar sempre a fazer propaganda política a tentar colocar um indivíduo no planalto de platô que só trouxe prejuízos para todos nós e trouxe benefício para alguns.

Seja um bom cidadão Caboverdiano que nós todos agradecemos.

Bem aja para todos nós
Responder
+3 # Bela 05-01-2018 10:49
Excelente visão desse colunista.
O pai-mor do movimento (veiga) é democrata... de lápis de cera. Logo, os rabentolas, incluindo os dissidentes/retornados, não podem ser outra coisa.
Responder
+2 # Django 06-01-2018 18:16
O "Djimbo" ficou muito incomodado e desorientado com o artigo! Bom sinal...
Responder
+3 # Aristoteles 05-01-2018 09:20
"A coragem é a principal virtude, pois é ela que garante todas as outras". bem haja jornalistas corajosos para defender os valores básicos da sociedade.
Responder
+2 # Carlos lopes 05-01-2018 06:29
Caso para dizer : Estamos no mau rumo.
Responder
+2 # Aristocrata Bué 05-01-2018 05:41
Muito bem visto, meu caro amigo, Francisco Carvalho. Um excelente texto para análise e chamada de atenção do perigo que nos espreita em cada momento. O que está em causa é um verdadeiro Estado de Direito, com instituições sólidas e lei duradoiras, que não estejam a ser mudadas ao sabor das senhores que entram e saem do exercício governativo. Contudo, não te esqueças e é bom que não te iludas, porque em Cabo Verde os jornalistas-militantes e sobretudo certos diretores do orgãos de comunicação social, incluindo os do Estado, pagos por todos nós, são muito mais mesquinhos, invejosos e perversos que os próprios militantes dos partidos políticos. Eles põem-se a jeito e fazem auto-censura sem que lhes seja pedido por ninguém, porque eles são mais papistas que o papa na defesa dos seus partidos, interesses de grupo e de amigos, de bairros e aldeias. E fazem isso por birra e por «desaforo de corpo», como dizia o mestre Baltasar Lopes da Silva. São calculistas, sub-servientes e bajuladores do poder e altamente perniciosos e fascistas. Existe uma promiscuidade entre os partidos e os jornalistas, que os levam a discriminar cidadãos, a favorecer amigos e grupos e a prejudicar os outros. Meu caro, se me deres a escolher, entre os governantes pseudo-democratas ou «de papel», como dizes, e certos jornalistas lambedores da nossa praça, devolver-te-ei a prerrogativa, implorando-te que mandes o diabo escolher.
Responder
+3 # Goncalo Amarante 05-01-2018 03:51
Esta Terra caminha para o pior. Estamos e vivemos num mundo onde viemos para lutar. Quem nao o fizer corajosamente prestara contas. Disso ninguem ignora porque e assim mesmo. Vamos todos lutar com firmeza e determinacao para salvarmos CABO VERDE e o futuro da NOVA GERACAO. Nao ha que ter medo de nada senao elevar a espiritualidade, que consiste no seguimento dos ditames que regem a nossa permanencia neste mundo de provacao. Na Terra ninguem ficara etetnamente. Por isso, evoluir, consiste tambem em ter coragem para denunciar certos males que sao cometidos que sao se consequencias imprevisiveis.
Responder