• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde
Administração do NOSI promete repor operacionalidade de toda a rede tecnológica esta sexta-feira
Tecnologia

Administração do NOSI promete repor operacionalidade de toda a rede tecnológica esta sexta-feira

O presidente do conselho de odministração do Núcleo Operacional da Sociedade de Informação (NOSI) disse esta terça-feira, 8, que a rede tecnológica privativa do Estado, alvo do ataque cibernético a 26 de Novembro, fica operacional na próxima sexta-feira, 11.

Carlos Pina manifestou esta convicção à Rádio de Cabo Verde (RCV), tendo esclarecido que já foi identificado o primeiro servidor atacado, paciente zero, deste ataque que bloqueou no dia 26 de Novembro, toda a estrutura de autenticação e alguns sistemas de prestação de serviços ‘online’.

“Até a próxima sexta-feira, teremos todos os serviços da rede tecnológica privativa do Estado on-line. Neste momento, os serviços todos estão on-line, o que está a acontecer é que para os computadores/postos do trabalho entrarem novamente na rede está a passar por um processo de limpeza para garantir que cada computador esteja já limpo e com garantia de passar a monitoriza-los”, explicou.

Carlos Pina esclareceu que inventariação detectou que mais de 200 computadores ligados à rede de Estado terão de ser substituídos, sendo que alguns passaram pela substituição dos discos, quando se prevê a higienização de aproximadamente 500 computadores num universo de 16 mil computadores ligados à rede do Estado.

Realçou, entretanto, que não obstante este “ataque criminoso”, a rede nuclear do Estado está protegida, e que de momento conta com o apoio de duas empresas de expertises internacionais no apuramento e avaliação das evidências tecnologias e forenses.

O dossier, recordou Carlos Pina, já está na alçada da Procuradoria-geral da República, desde o dia 01 de Dezembro, com vista a abertura de um inquérito, ao passo que a Polícia Judiciária, comunicada a ocorrência, logo no dia seguinte deste ataque atribuiu o crime a uma rede criminosa internacional com células espalhadas por vários países.

Este ataque cibernético bloqueou alguns servidores, como estrutura de autenticação cabo-verdiana e alguns servidores que garantem serviços ‘online’ aos cidadãos e às empresas, mas a administração do NOSI afirma que a “decisão rápida de baixar a rede” permitiu garantir a defesa dos dados de soberania, mantendo intactos e sem nenhum tipo de ameaça a governação digital.

Com Inforpress

Partilhe esta notícia

SOBRE O AUTOR

Redação

    Comentar

    Inicie sessão ou registe-se para comentar.

    Comentários

    • Este artigo ainda não tem comentário. Seja o primeiro a comentar!