Pub
Por: Albino Sequeira

albino Ponto de vista 

Estamos em ano das eleições autárquicas em Cabo Verde. Ao que tudo indica no último trimestre deste ano os Cabo-Verdianos vão ser convocados para irem às urnas para elegerem os Presidentes das 22 Câmaras Municipais do País.

Os preferidos vão gerir o destino dos concelhos, do futuro dos munícipes, melhorar a estrutura socioeconómica das individualidades. A igualdade será a bússola orientadora.

Costumo defender que, a Câmara Municipal tem de implementar um modelo de gestão à semelhança da gestão empresarial, nesse aspeto o Presidente da autarquia tem de possuir competências em matéria de gestão e medidas de uma política progressista com alma social.

Gerir não é tarefa fácil, exige a sapiência e sobretudo entender a relação do equilíbrio entre a receita e a despesa. A gestão das finanças locais de uma região é condicionada pela Lei e pelo poderio económico. A maioria dos concelhos de Cabo Verde enfrenta graves problemas de tesouraria, muitas das vezes culpa da má utilização dos recursos públicos por parte dos líderes autárquicos.

O papel do Presidente nessa situação, passa por perseguir o equilíbrio das contas da tesouraria, administrar bem a receita, atrair cooperações, parcerias, para ampliar a capacidade financeira local, consequentemente libertar mais recursos para o investimento nos projetos municipais. O autarca deve estar atento às oportunidades de fomento internacionais.

A política é uma arte nobre desenvolvida por atores políticos que exige uma filosofia concentrada a volta dos interesses dos plebeus. É um fim que implica mais do que nunca a honestidade e ética dos Eleitos na aplicação das disponibilidades e na defesa dos direitos da classe plebeia.

O dirigente político quando é eleito é escolhido para servir e representar o seu povo, torna-se um funcionário servidor público, procurando soluções para os problemas sociais e não para se servir da política.

A linha de governação de uma Edilidade tem de alcançar a capacidade de colocar o interesse da Sociedade acima dos seus próprios interesses.

O poder local é uma forma de poder mais próximo dos cidadãos, é neste sentido que se define como imprescindível as boas relações desta superioridade com as representações, organizações, empresas e mesmo com os cidadãos. A relação deve ser profícua e aberta a bem do desenvolvimento da localidade.

A amizade entre as pessoas e o autarca não pode estabelecer-se somente no tempo das campanhas, é um sentimento que deve prevalecer após as eleições. É preciso que os autarcas sejam amigos efetivos dos munícipes durante todo o mandato.

José Freitas de Brito e a sua Governação. O José Freitas de Brito é o atual chefe camarário de Tarrafal São Nicolau, vem vindo a exercer estas funções desde 2012. Para o pleito eleitoral que se aproxima o referido indivíduo é candidato do MPD, decisão que provocou uma derrocada no conselho regional do partido. A maioria dos militantes da ventoinha naquele concelho estão descontentes com a escolha da Direção Nacional do Partido e não apoiam o candidato à sua sucessão.

Durante oito (8) anos de governo o atual Edil, Freitas de Brito pouco interessou em resolver as questões prementes dos jovens, dos estudantes, dos trabalhadores e da sociedade civil. Não foi capaz de apresentar e desenvolver um único projeto estruturante para dinamizar a economia local. Das várias promessas pouco se cumpriu.

Na verdade, os resultados da sua governação destacam-se pela negativa:

a) Realizou várias viagens internacionais e nacionais pondo em risco os meios financeiros da Edilidade.

b) Trabalhadores com várias quinzenas de salários em atraso, sistematicamente.

c) Não regularização do seguro dos funcionários.

d) Uso abusivo dos bens (Carro do Presidente) da Câmara Municipal.

e) Ira perante pessoas com ideologias políticas diferentes das suas.

f) Acidentou e danificou o carro da Presidência, património municipal.

g) Falta de verdade e de transparência na gestão de coisa pública.

h) Sem visão e conhecimento.

i) Indisciplinado, autoritário, desrespeita as autoridades policiais.

Nova alternância

Os Tarrafalenses estão a necessitar de uma nova alternância política para gerir melhor os recursos financeiros. Uma gestão que assenta em menos deslocações, democracia, que aceita o livre arbítrio de cada cidadão e o uso devido das receitas. Uma liderança sustentada pelas boas práticas de governança.

Para dar resposta a essa questão, surgiu recentemente o Grupo Independente para Desenvolvimento do Município do Tarrafal São Nicolau (GRIDT) liderado pelo professor de liceu, Balduíno do Rosário. É um grupo que está a ser bem-aceite na comunidade.

Balduíno do Rosário é licenciado em Matemática, exerceu entre 2012 e 2016 o cargo de vereador, acumula experiências no ramo da política e é um grande profissional.

É um homem de grande utilidade, ético, responsável e íntegro. Estamos a falar de um defensor de causas públicas. Ele é das personagens que coloca a dificuldade das pessoas como preocupação pessoal.

Balduíno do Rosário é humano, popular e não populista. Respeita e trata os indivíduos com consideração, não com demagogia. É um inovador, competente e capaz de ajudar o município a superar as suas expectativas e vencer os desafios. A sua bandeira é servir o município e as suas gentes. Aposto no Balduíno do Rosário porque tem excelentes ideias, boas propostas, objetivos bem definidos e com metas claras acerca do desenvolvimento do concelho do Tarrafal, criando oportunidades para todos. Por outro lado, conhece e bem o potencial da sua terra e do seu povo, é um estratega, sabe racionalizar os recursos, é um homem transparente e tem habilidade para administrar.

O Município do Tarrafal São Nicolau vai estar bem entregue nas mãos do Balduíno do Rosário nas próximas eleições. É, deste líder que carecemos, o Presidente que precisamos. Nas eleições de outono, a melhor opção para o nosso município é Balduíno do Rosário, com a sua equipa, para colocar Tarrafal na linha da frente e no rumo do sucesso e do progresso.

Com o GRIDT as esperanças irão renascer com perseverança, prosperidade que nos vai indicar uma luz da felicidade, para que haja crescimento e vida.

A escolha é fácil, mudar para Governar com Responsabilidade.

Viva Município do Tarrafal São Nicolau, Viva GRIDT.

Comentários  

0 # laternancia 28-06-2020 20:09
municipos que precisa mudar de partido na cambra; tarrafal de santiago, sao domingos, maio, sao vicente, ribeira grande de santantao, ribeira grande santiago, Sal, Santa catrina de stiago.
Responder
-1 # Alselmo do Rosário 05-06-2020 15:22
Mudar por mudar não basta. Dá na mesma. A ideologia é a mesma. O rabentolismo é o mesmo. O desrespeito pelos superiores interesses do município é igual.
Portanto, a solução é MUDAR DE RUMO, mudar de políticas, de modelo de governo. PAICV apresenta excelente alternativa para ajudar TARRAFAL de São Nicolau a alavancar.
Responder
0 # Ana Maria 05-06-2020 19:59
GRIDT é MPD mascarado. Vereador Balduíno do Rosário é mais MPD que actual presidente de Câmara. Portanto é mesma marca, mesmo rabentolismo. Prefiro VOTAR no Candidato apoiado pelo PAICV que é homem sério competente e não busca taxo.
Responder