Pub



Ontem, dei comigo a pensar que nesta vida não pode valer tudo.

E decidi falar. A verdade e nada senão a verdade. Por alguma coisa sou deputado e fiscalizador com o sagrado dever de corrigir o que acredite que esteja mal na nossa sociedade. Denunciei num post uma notícia veiculada pelo A SEMANA que vinha acompanhada de uma fotografia que só pode ser entendida como uma autêntica brincadeira de mau gosto. O tal jornalismo bem identificado, habitualmente sorrateiro, nojento que alguns se esforçam para qualificar de “erro inocente”…não fosse o órgão o Jornal a Semana! Foi tudo o que denunciei… por indignação, por nojo, por não concordar, por ser representante de quem me elegeu. Contudo, sabia e lá fui alertando que cairiam o carmo e a trindade…

Primeiro, o Vice-presidente Orlando Rodrigues. Logo a seguir a Presidente da AJOC, Carla Lima. Colocam-se do lado do Jornalismo asqueroso que não dignifica a AJOC, não dignifica os jornalistas, não dignifica a Nação, não dignifica os cabo-verdianos e decidem “xingar” no Deputado (deputadozinho, no dizer de Luís Carvalho) que no seu papel fiscalizador denunciou uma situação aberrante.

Não falei dos jornalistas da TCV, nem da RCV, nem da Terra Nova, nem do Expresso das Ilhas, nem da Praia FM, nem da Rádio Mindelo, nem da Rádio Morabeza, nem dos cameramen e eis que surge a AJOC (Orlando Rodrigues e Carla Lima, em abono da verdade) a alegar que a classe jornalística tinha sido atacada. Classe? Mais do que isso, surge também a líder do PAICV, “estarrecida” a tentar arregimentar as hostes, diante dos apelos desesperados de Orlando Rodrigues que “a luta era de todos”. Que miséria! Será que a Janira Hopffer Almada lá no fundo da sua alma e do seu DNA PAICVista pretende coarctar a minha liberdade de expressão?

É claro que no debate que se seguiu os internautas não perceberam a vã tentativa de defender (em nome da classe) um jornal clandestino e que tem um histórico de práticas jornalísticas rasteiras e irremediavelmente atentatórias da liberdade de imprensa. Um pasquim, um panfleto que espero não seja representativo da classe jornalística cabo-verdiana. Admira-me que Carla Lima insista em associar os jornalistas a esta imagem…

Dizia, estranhamos que a AJOC defenda um jornal clandestino cujos próprios donos mandaram encerrar.

Como pode ser confirmado pelos documentos em anexo a NOVA EDITORA, SARL, em 11 de Outubro de 2017 enviou uma nota à Direcção Geral da Comunicação Geral, informando que na Assembleia Geral Extraordinária de 15 de Julho de 2017 decidiu “suspender todas as suas actividades e despedir todos os seus trabalhadores”, solicitando, ainda, o “cancelamento temporário imediato do registo do site A SEMANA on-line, evitando cair numa situação de não cumprimento dos requisitos legalmente estabelecidos”

Numa outra nota de 23 de Outubro de 2017 dirigida a ANAC e C/c da Direcção Geral de Comunicação e da Autoridade Reguladora da Comunicação Social o Conselho de Administração da NOVA EDIÇÃO, SARL reitera que “Tendo em conta a insustentável situação financeira em que se encontra o jornal A Semana, a Nova Editora, proprietária desse jornal, decidiu suspender todas as suas actividades na área de comunicação social.”

A referida nota, ainda, nos dá conta que “o semanário A Semana, propriedade da Nova Editora, havia já sido suspenso desde Dezembro de 2016 e a totalidade dos seus trabalhadores foram despedidos a partir de fim de Junho de 2017. Actualmente, A Semana não possui portanto a seu cargo nenhum trabalhador ou jornalista em função.” e solicita que “seja definitivamente encerrado o domínio em que funciona o jornal A Semana Online: www.asemana.publ.cv”

Mais, é o próprio conselho de administração da Nova Editora que num email de 12 de Outubro dirigido à Directora-geral da Comunicação Social admite que “A situação actual é por isso irregular, pois não existe nenhum director ou corpo redatorial legalmente nomeado para assumir a edição on-line.“

Estas transcrições mostram-nos que os acionistas (mais tarde discutiremos quem são) não quiseram viabilizar financeiramente o Jornal A SEMANA que tinha sido criada para veicular uma determinada linha editorial de vertente política próxima do PAICV. Contudo, a AJOC, chegou a defender que o Estado devia viabilizar A SEMANA com o dinheiro dos contribuintes.

A AJOC podia ao menos ser transparente e dizer aos cabo-verdianos quem são os acionistas do jornal a Semana e se estas pessoas estão também elas em dificuldades financeiras ao ponto de terem recusado colocar 1 tostão no projecto político A SEMANA.

A AJOC defende estas irregularidades. Defende um jornal clandestino e coloca-se do lado do jornalismo rasca e dos jornalistas políticos, isto é, está do lado da má moeda e tenta fazer crer que ataquei todas as moedas, inclusive as boas. Não. Confio nas boas moedas e, como disse Cavaco Silva, espero que venham a “expulsar” as más.

Da AJOC não espero nada de bom, pois tendo os seus dirigentes justificado a situação irregular com a falta de recursos e achando que estar na ilegalidade é normal porque outros também estão mostra-nos com que tipo de dirigentes estamos a lidar e em que mãos se encontra a AJOC.

Não há aqui amargo de boca, a menos que se esteja perante o ego e a arrogância. A democracia foi criada para que ninguém fique calado ou seja intocável. Nem o Presidente da República, nem o Primeiro-Ministro, nem os Ministros, nem os deputados, nem as classes profissionais, nem os funcionários, nem os jornalistas, nem os juízes, nem os ricos, nem os pobres… Assim, meus caros, vão ter de me aguentar, pois sou Deputado e meus questionamentos nada têm a ver com o MpD que tem a sua estrutura própria de comunicação, mas tudo a ver com o papel fiscalizador que exercerei com zelo porque para este Deputado não existem intocáveis, nem tabus. Serei sempre um homem digno, coerente e com coragem suficiente para exprimir as suas posições. E, claro, sempre com respeito pelo pluralismo de opiniões, sejam elas provenientes de políticos, militantes partidários, jornalistas, cidadãos, homens, mulheres, gays, héteros ou ambientalistas.

Viva o pluralismo! Viva a liberdade!

Comentários  

0 # Paulino Oliveira 07-05-2018 15:02
Bem falado Caro Emanuel Barbosa
Não se deixe intimidar por gentes do paicv que aqui fazem os seus comentários de fraqueza.
Tudo o que falou é a pura verdade.
Essa gente não gosta ouvir de verdade, mas é preciso dizer isto sempre.

Não se esqueças essas pessoas não tem moral de exigir nada.
Responder
0 # PEPETELA 04-05-2018 11:42
A Presidente da AJOC é culpada por ter reagido ao post deste homem avido de protagonismo para demostrar que serve para alguma coisa cujos argumentos são facilmente desconstruiveis. Para quê perder tempo com esses vis babosos. O que me preocupa mais, são os sinais graves de retrocesso do poder em relação aos quadros e ás empresas nacionais.
Estamos de regresso á liderança da Colónia Portuguesa em todos os quadrantes da vida com o nosso dinheiro público: Francisco Manso (22.000.000 esc. cv); Festival literário Morabeza com a empresa portuguesa Booktailors; (88.000.000 esc.cv); Dossier Morna, um Senhor Doutor português Paulo Lima (15.000.000 esc.cv); Ky-mani Marley, internacionalização da música com o nosso Money ou “mani” (1.500.000 esc.cv). Agora uma portuguesa para “liderar” a inforpress (https://noticias.sapo.cv/actualidade/artigos/jornalista-portuguesa-sandra-ines-cruz-assume-direcao-de-informacao-da-inforpress), que estará lá só para o nosso “money” público, forma mais fácil de silenciar a imprensa, os jornalistas não podendo opinar. AGUARDAMOS A OPINIÃO CORAJOSA DO EMANUEL BORBOSA SOBRE ESSES ASSUNTOS.
Responder
0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 04-05-2018 09:52
Este rapazinho, Emanuel Barbosa, está muito atrevido, atrevido mesmo. De "gateiro" nas ruas de Lisboa ao parlamentar no Palácio de Achada de Santo António, Emanuel Barbosa quase se endoideceu com a nova situação, pensando talvez que terá descoberto a pólvora. Com intervenções muito medíocres no Parlamento, este politiquinho de meia tigela agride os colegas da oposição e desrespeita, inclusive, os "mais velhos", numa tamanha e gritante falta de educação caseira. Dizem que o senhor Orlando Dias é o de[censurado]do mais selvagem do Parlamento. Mas, estão muito enganados os que assim pensam. O DE[censurado]DO MAIS SELVAGEM DO PARLAMENTO É O RAPAZINHO EMANUEL BARBOSA. Este talibã ventoínha nutre um profundo ódio pelos jornalistas e pela LIBERDADE DA IMPRENSA. Estando o seu partido, MPD, com fraco desempenho tanto no Governo como no Parlamento, o nosso politiquinho Emanuel Barbosa, em vez de ver a bruxa na sua lojinha, vê-la sempre na loja dos jornalistas, sendo estes o BODE EXPIATÓRIO do MPD e a Presidente da AJOC, Carla Lima, o CRISTO FEMININO A SER CRUCIFICADO NA PRAÇA PÚBLICA. Só falta ao MPD mandar prender os jornalistas, amarrá-los no TRONCO ali na Cidade Velha e açoitá-los com chicotes, quais escravos em tempos coloniais. É preciso ver também a saúde mental do rapazinho Emanuel Barbosa. Segundo fontes seguras, neste preciso momento, o homem, acompanhado do colega Rui Figueiredo, anda pelas ruas de Lisboa, bebendo vinho do Porto e cantando fado, actividade que o conhecido boémio fazia sempre, desde os tempos da sua condição de "POLIDOR DI CALSADA". Enquanto isso, o POVO que jurou defender e proteger passa fome e injúria, "FOBADU", sem nenhum tostão para tomar um "GROGU FÉDI" e "matar o calor ou frio".
Responder
0 # Catarino Dias 04-05-2018 00:22
Esse meio de[censurado]do do MpD está a falar do pasquim Liberal, ou da FORCV? Ou do Expresso das Ilha?
Não entendi nada desse cara!
Responder
+1 # Pipilita 03-05-2018 22:47
Paxenxa na mundo!
Responder
-1 # spencer da silva 03-05-2018 21:33
Este de[censurado]dozinho arrogantezeco abre a boca no parlamento para tudo e mais alguma coisa e em grande parte das vezes só diz [censurado] e agora vem dar lições de jornalismo a esses profissionais que lutam contra a corrente manipuladora que se quer instalar neste país. Na prática, intenta desviar a atenção pública da péssima avaliação que os cabo-verdianos fazem deste péssimo governo, um descalabro total, e desta petulância que tem sido a maioria. O problema do MPD é que nao sabe gerir a comunicação e nao sabe lidar com momentos que lhe sao menos favoráveis. Ao invés, prefere recorrer à tática de tentativa de intimidação de todos os que lhe passam pela frente. Mas, engane-se MPD, o povo está a despertar e nao admite retrocessos. Os senhores jornalistas também que melhorem o seu desempenho porque contamos com eles para a construção de um país mais transparente e democrático.
Responder
0 # Manuel Calado 03-05-2018 21:09
Muitas das vezes estou em desacordo com Emanuel Barbosa. Mas neste caso Carla Lima envolveu a AJOC numa polémica que se conduzida em seu nome pessoal eu percebia, mas não concordava. Creio que Carla Lima acabou por desacreditar a AJOC.
Responder
0 # apartidário 03-05-2018 18:29
Se o político em Cabo Verde é do pior que existe, infelizmente não se pode dizer coisa melhor dos jornalistas. O homem (Emanuel Barbosa) é um intolerante e bruto com manias de pensador e a classe (jornalistas) é provinciana, bairrista, partidarizada, mal formada e informada. E é por isso que digo que na verdade o que temos é um bando de politiqueiros e jornaleiros.
Responder
0 # Nuno Mateus 03-05-2018 17:56
Faço minhas as tuas palavras. Até que enfim temos um de[censurado]do com "tomates" para tocar neste castelo de "intocáveis e farsantes". Há, por aí alguns idiotas e farsantes achando que a liberdade de imprensa é algo que só aos jornalistas dizem respeito, pelo que só a eles cabe o usufruto deste direito. Por isso só eles podem criticar, mas nunca serem criticados. Bem dito, meu caro.
Responder
+1 # Cucumber 03-05-2018 14:21
Caro Manuel,

O seu artigo de opiniao e muito pertinente. A verdade e multifacetada. Se o que disse sobre a semana e verdade considero uma situacao gravissima...onde estao as autoridades? Numa determinada altura do texto referiu ao Professor Cavaco Silva. A tal expressao original em ingles trata-te de um principio economico: Lei de Gresham ""bad money drives out good"...
Responder
0 # Zebe 03-05-2018 12:30
Eu sou MpD, mas tenho de confessar que não ando a gostar nada da postura do Emanuel Barbosas. Parece-me daqueles que estão no MpD para dar cabo do partido.
Responder
+1 # Paulo Jorge 03-05-2018 12:00
" Não há aqui amargo de boca, a menos que se esteja perante o ego e a arrogância. A democracia foi criada para que ninguém fique calado ou seja intocável".palavras de Emanuel Barbosa. Eu pergunto Emanuel Barbosa, Nem o ex Comandante da Policia Elias Silva
Responder
0 # manuel 03-05-2018 11:57
Você nao tinha e não tem razão para atacar a jornalista que preside a AJOC e, muito menos o ilustre jornalista Luis Carvalho, Mas já nos habituou a este tipo de ataques. Algum dia, provará deste veneno que vem destilar sobre os outros.
Responder
0 # Sistema 03-05-2018 11:05
Quem te elegeu??? O senhor foi indicado por alguem que foi eleito. Há dias alguem disse "votamos na cabeça, e depois o saco é enchido". Nada contra o Senhor em especial, mas já é altura de mudarmos o sistema eleitoral e permitir que efetivamente, e com propriedade, um de[censurado]do possa afirmar "Eu fui eleito".
Responder
0 # Lém de Galo 03-05-2018 10:37
Quero perguntar ao Emanuel Barbosa se ele agora é agente regulador da comunicação social, MP ou policia da atividade económica para estar a argumentar a sua ofensa às pessoas com base em irregularidade do A SEMANA? Não seja oportunista porque a situação do A SEMANA nada tem a ver com a sua brutalidade, fanatismo ventoinha e falta de carácter.
Responder