• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde
Trabalhadores de Cabo Verde Airlines ainda não receberam salário de Junho
Sociedade

Trabalhadores de Cabo Verde Airlines ainda não receberam salário de Junho

Os funcionários da Cabo Verde Airlines (CVA) ainda não receberam o salário de Junho, denunciou esta terça-feira a secretária-geral da União Nacional dos Trabalhadores Cabo-verdianos – Central Sindical (UNTC-CS), Joaquina Almeida.

A sindicalista, que falava à Inforpress a propósito do debate sobre o Estado da Nação que tem lugar esta semana no parlamento, adiantou que há um clima de medo e desespero no seio dos trabalhadores que estão na ilha do Sal com arrendamentos elevados e sem rendimentos para sustentar a familiar e honrar os seus compromissos.

“Muito estão a arrumar as suas coisas a colocar no barco para virem para Santiago porque não tem nada no Sal e não se vislumbra uma data para a normalização da situação. A única coisa que têm é uma mensagem do dono da empresa, da Icelandair, a pedir calma porque o Governo e o INPS estão tratar dos seus salários”, disse.

Para Joaquina Almeida essa mensagem só mostra o descaso da administração da empresa, recentemente privatizada, já que na sua perspectiva, nessa situação, é o dono que tem a responsabilidade de pagar salário e não o Governo que é o segundo maior accionista.

“Quem tem 51% das acções da empresa é que tem de assumir as responsabilidades. Não pode ficar lá na Islândia e mandar mensagens  aos trabalhadores que estão a sofrer e não podem fazer greve e não podem fazer nada, porque estão todos com medo. O medo paira no mundo laboral e particularmente na ex-TACV. Hoje mais do que nunca os trabalhadores estão aflitos”, adiantou.

Por outro lado Joaquina Almeida avançou que na qualidade de parceiro social a UNTC-CS já solicitou ao Governo cópia do documento sobre a revisão dos objectivos da CVA que foi anexado ao orçamento rectificativo e que tomou conhecimento através da comunicação social.

“Nós enquanto representante dos trabalhadores temos que ter conhecimento dos termos dessa revisão porque o orçamento rectificativo que foi apresentado aos parceiros no dia 26 de Junho não trazia absolutamente nada sobre o sector aéreo e o sector aeroportuário. Agora tomamos conhecimento que o Governo já anexou o documento sobre esse modelo de negócio. Então nós queremos saber o que consta no documento”, explicou.

Em Março de 2019, o Estado de Cabo Verde vendeu 51% da então empresa pública TACV por 1,3 milhões de euros à Loftleidir Cabo Verde, uma empresa detida em 70% pela Loftleidir Icelandic EHF (que ficou com 36% da CVA) e em 30% por empresários islandeses com experiência no sector da aviação (que assumiram os restantes 15% da quota de 51% privatizada).

Outra parcela, de 10%, foi vendida no segundo semestre de 2019 a trabalhadores e emigrantes cabo-verdianos.

Na sequência da Pandemia o Governo anunciou a revisão do plano e negócios, para  reposicionar a empresa para o cenário pós-pandemia.

Com Inforpress

Partilhe esta notícia

SOBRE O AUTOR

Redação

    Comentar

    Inicie sessão ou registe-se para comentar.

    Comentários

    • Este artigo ainda não tem comentário. Seja o primeiro a comentar!