• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde
São Domingos. MpD contra profissionalização de todos os vereadores
Política

São Domingos. MpD contra profissionalização de todos os vereadores

A bancada do MpD na Assembleia Municipal de São Domingos votou contra a proposta de profissionalização de todos os sete vereadores da câmara municipal que, entretanto, foi aprovada com votos favoráveis do PAICV.

O líder da bancada do MpD, Admilson Moniz, explicou à Inforpress que o posicionamento do partido da oposição teve a ver, sobretudo, com as limitações financeiras da autarquia, afirmando que a profissionalização de todos os vereadores vai sobrecarregar o orçamento municipal.

“É inadmissível que com as limitações financeiras que a câmara tem e, não obstante as muitas chamadas de atenção feitas pelo próprio PAICV, enquanto partido da oposição em São Domingos, sobre o elevado gasto com pessoal suportado pela câmara, o mesmo partido mal tomou posse, agrava a situação dos encargos com pessoal”, disse.

A bancada da oposição calcula que até ao final do mandato, vão ser gastos cerca de 64 mil contos somente em salários e subsídios dos vereadores, limitando a capacidade de investimentos, já que o Fundo de Financiamento Municipal mal chega para as despesas com pessoal.

“Num contexto difícil causado pela pandemia covid-19, em que muitos chefes de famílias encontram-se em casa, sem rendimento fixo, à espera de políticas objectivas no que concerne ao papel da câmara municipal, esta mesma câmara ora empossada profissionaliza todos os sete vereadores, comprometendo-se a gastar somente com esses vereadores, até o final do mandato”, realçou o representante do MpD.

É a primeira vez na história do município que todos os sete vereadores eleitos estão a ser colocadas a trabalhar a tempo inteiro.

Contactado, o presidente da Câmara Municipal de São Domingos, Isaías Varela, disse ciente dos gastos que a profissionalização de todos os vereadores possa acarretar para o cofre municipal, mas afirmou que a decisão foi tomada com base nas necessidades do concelho.

“A decisão tem a ver com a estratégia e a prioridade que o próprio presidente decidiu no âmbito do seu programa eleitoral. Para governar eu tenho de ter pessoas disponíveis e comprometidas. Portanto, a exigência e o desafio que temos a nível de município exige que tenhamos pessoas a tempo inteiro e comprometidas”, explicou.

Isaías Varela adianta que para dar respostas aos problemas do concelho e alavancar a economia local, teve que tomar essa medida, que classifica de “ousada”, assumindo todos os riscos com foco nos resultados.

“O nosso foco está nos resultados e acreditamos que uma gestão centrada nos resultados vai suprir a questão dos custos. Nós estamos conscientes da situação financeira da câmara, mas a câmara precisa reestruturar e reorganizar-se para alavancar a economia local e para isso temos as pessoas capacitadas e disponíveis para trabalhar”, realçou.

De acordo com a distribuição dos pelouros, Isaías Varela vai assumir as pastas de economia, cooperação, comunidades emigradas e proteção civil.

Com Inforpress

Partilhe esta notícia

SOBRE O AUTOR

Redação

    Comentar

    Inicie sessão ou registe-se para comentar.

    Comentários

    • Este artigo ainda não tem comentário. Seja o primeiro a comentar!