Pub
Por: Zefra*

fragoso

 

Prometemos escrever este artigo sobre o grande músico e inovador da música cabo-verdiana, “Catchás”, de seu verdadeiro nome Carlos Alberto Martins, nascido a oito (8) de Agosto de 1951 no concelho de Santa Cruz.

Com efeito, temos muitos pontos em comum:

Tivemos o mesmo professor de guitarra (violão), e queremos saudar aqui, João Filipe, capataz agricola que trabalhava em Santa Cruz, e hospedava na casa dos pais dele.

Fomos contemporâneos e dignos alunos do Liceu Adriano Moreira, hoje Liceu Domingos Ramos, onde lhe foi posto o nome de “Catchás”.
Convivemos intensamente na Europa, com um percurso paralelo e semelhante:
Combatemos o fascismo Salazarista em Portugal, e de lá saímos ambos de “SALTO”, ele para França, nós para Bélgica, onde obtivemos o estatuto de “Refugiado Político”.

Ele a trabalhar em Paris, nós estudante de Medicina na Bélgica na Universidade Católica de Lovaina. Encontravamo-nos cada fim de semana em Paris, onde demos um impulso na criação da primeira Associação Cabo-verdiana em Paris (França), situada na Rua de Flandres, juntamente com o também já falecido Moisés Baptista, organista; ele “Catchás” tocando viola baixo, e nós viola solo, e Eugénio de Nhô Cesar, bateria. Pois demos vários concertos (bailes), de solidariedade para angariação de fundos para a subsistência da associação.

Ora, decidimos escrever este artigo, como título diz “A Verdade sobre Catchás”, pois vamos revelar alguns aspectos da vida dele que o público, em geral, ignora (até porque falamos com José Augusto Timas (ex-baterista de Bulimundo, e Zeca Nha Reinalda, que partilharam grande parte da sua vida no mítico grupo “Bulimundo”, que ficaram estupefatos com o que lhes revelamos a propósito de “Catchás”. Com efeito para celebrar a data do seu aniversário natalício, que é 08 de Agosto, Eder Xavier, apresentador da TCV, do programa Show da Manhã, fez-lhe um grande elogio, justificadíssimo.

No dia seguinte, tivemos uma conversa telefónica, onde lhe perguntamos por que só tinha feito esta justa homenagem ao “Catchás” (08 de Agosto), e não fez nenhuma alusão a “Secrê”, carismático vocalista da Banda “Os Apolos”, cuja data de aniversário natalício é 09 de Agosto, isto é, no dia seguinte a data de nascimento de “Catchás”. Não podemos aprofundar a questão, pois ele estava com problemas familiares pessoais, e a nossa conversa ficou por ali, e tivemos de lhe pedir desculpas pelo incomôdo, até oferecemos-lhe os nossos préstimos médicos, se assim ele o desejasse. Mas para quem desconhece o teor desta conversa, interpretou que quisemos fazer uma comparação entre “Catchás” e “Secrê”, vocalista de “Os Apolos” e reagir, criticando-nos negativamente, como se se tratasse de uma blasfémia.

Esperamos que com este esclarecimento que vamos fazer, que se compreenda de uma vez por todas, que não houve nenhuma comparação entre as duas celebridades, mas sim, uma simples constatação de factos, aliás nunca foi intenção nossa de fazer uma tal comparação despropositada, mas agora dizemos, que se o tivéssemos feito, não haveria nada de escandaloso, e desafiamos quem não estiver de acordo para um debate sobre este assunto. Dito isto, achamos que neste artigo já não há mais espaço para este assunto, pois o tema é a Verdade sobre “Catchás”, e vamos retomá-lo.

catchas

Em verdade, “Catchás” não foi guitarista de raiz, mas sim viola baixo. Mas em Lisboa, teve um grande impulso como guitarista, por ter frequentado o grande mestre Luis Rendal. Ele foi viola baixo da banda do ilustre mestre, durante ± três anos, e como ele era inteligente, aproveitou muito bem dos ensinamentos e do convívio com este grande mestre durante esse tempo todo. Eis a primeira verdade sobre “Catchás”. Em segundo lugar, já em Paris, ele já tinha no pensamento criar uma banda com os mesmos princípios que Bulimundo, mais tarde; nesse sentido, fundou a banda “Broda”, que foi um fiasco total, mas tirou consequências desta experiência negativa, para assegurar o enorme sucesso de Bulimundo.

Como nós tocávamos juntos nos fins de semana, em Paris, fomos convidados para fazer parte da Banda, mas recusamos, porque como estudante de Medicina na Bélgica, não era possível participar activamente por falta de tempo, e a experiência desta banda não durou muito tempo, porque com a gravação de um único disco, de péssima qualidade e que não foi bem aceite no público, obrigou “Catchás” a acabar com esta malograda experiência. Estamos convencidos (opinião nossa), que isto não resultou, porque ele não teve a sorte de encontrar músicos de qualidade, o que provavelmente contribuiu para o fiasco desta iniciativa.

Agora, para terminar, vamos fazer uma verdadeira comparação, ou melhor, um certo paralelismo entre a banda Voz di Cabo Verde (VCV) e Bulimundo:

Se um dos grandes méritos de VCV, para além de os elementos da Banda serem excelentes músicos, foi a introdução de instrumentos electrónicos na morna e coladeira, o que foi uma grande revolução; ora, “Catchás”, com Bulimundo, trouxe Funaná ao grande público, com a ajuda de instrumentos electrónicos, o que também constituiu uma grande revolução.

Antes de terminar este artigo, queríamos falar um pouco da Morte trágica que pós fim precocemente a Carlos Alberto Martins (Catchás), acusando a segurança do nosso país, segundo testemunho dos factos. Aparentemente, Catchás tinha um encontro, e quando se dirigia, com alguns amigos, para o local do encontro, foi alertado que a casa dele estava sendo assaltada. Imediatamente, dirigiu-se para lá para verificar se tudo estava em ordem. Chegando a casa, deixou os amigos no salão a degustar uma garrafa de Whisky, enquanto ele fazia vistoria da sua habitação. Quando acabou de inspecionar, veio juntar-se aos amigos, dizendo-lhes para se despacharem porque, já estavam atrasados. Em seguida, foi o trágico acidente!

Que Deus proteja, nosso grande Catchás onde quer que ele estiver!

 

Praia, 20 de Agosto de 2020

* Nome artístico do Doutor José Manuel Fragoso
Médico Cirurgião Senior no Hospital Agostinho Neto

Comentários  

0 # HONÓRIO BARRETO 28-11-2020 19:56
Toy di Yaya, ami Honório Barreto, N ka é Sócrates de Santiago, omi kultu y edukadu. Ami é malkriadu moda bo. N konxi ben kel taberna la na Brazil, undi bu ta bai bebe grogu fedi tudu dia, bu ta bafa ku toresma ku pexi fritu, bu ta bebe ti bu kai na txon ku gata. Ami, si bu xatia- m, N ta pega- bu, N ta foga- bu, N ta ratxa- bu bariga ku kamuga, ki nen Dr.Victor Costa ka ta konsigui koze- bu. Bu meste toma un NAKU DI BADIU pa bu prende ma ku nós di Santiagu ka ta brinkadu. Mokeru, gateru, mudjerentu, abo TOY DI YAYA dja N kostuma odja- bu la pa banda di Korkobada ta dá boita ku Maria Ragae. Bo bu era amanti di Maria Poi Tudu, di Fatima di Kula, di tudu pixinguinha di Praia. Bo bu ka nun inteletual. Dja bu bebe grugu fedi ti ki dja bu bira ku rostu intxadu, ku kabelu finu sima ratu ki kai na gordura. Si dja bu dixanima ku vida, ranja un korda bu unforka kabesa o enton ba kai la na mar di Alkatrás. Disgrasadu moda bo ka ta faze falta a nason. MUFINU, LINGUARADU, OBU DI PÓ, ORDENÁRIU, BAI PA AGU DI TUNTUN.
Responder
0 # TOI DE YAYA 28-11-2020 18:29
Fogo! Nem nitente criatividade tens. Já me estás a plagear, num curto sopro de estroçar de morto. Aprende a imaginar, a construir e deixa de palavreado oco e vazio. Vai passear, bicho-catraio!
Responder
0 # TOI DE YAYA 28-11-2020 18:22
Ó ESCÓRIA DE SANTIAGO, ó cuco-canoro de abrigo doutrem e agora abusivamente travestido da honorabilidade de HONÓRIO BARRETO, tu pegas fogo em pouca água. Afinal, não foste tu, ó tu, que soçicitaste um debate cordato e com bastante elevação? Claro que contigo nunca haverá um diálogo sério e constrtutivo, porque tu és um malcriado de natura. Só tens a diabólica mania de um tetrarca envaidecido, com pouca terra e muita pompa. Tu, ó escroque e bebedolas de não sei quê, debater contigo só se for para me encheres a paciência com bagatelas de portantos e quejandos. Tu não vales nada, sua barata tonta do fundo das sepulturas. Apresenta trabalho e deixa de patetices e lamúrias de cafuringa. Eu volto a dizer: a ilha de Santiago não precisa da defesa de um pusilânime impostor e delinquente de taberna da tua laia. Vai para o diabo, seu escaravelho e pulha, ó seu kuribota de nefanda construtura! Deixa a ilha de Santiago em paz, seu violento satanás.
Responder
0 # HONÓRIO BARRETO 28-11-2020 16:55
Caro amigo Sócrates de Santiago, por caso, esse tal pega, Toy de Yaya, não é o tal CARPINTEIRO DA MÚSICA DE OS TUBARÕES, interpretado pelo nosso saudoso Ildo Lobo? A música dizia assim- TOI DE YAYA LÁ DI TXADA SANTU ANTONI, KARPINTERU FAMADU, DJA LARGA MUDJER, DJA LARGA RAPARIGA, DJA FIKA SÓ KU MULA MANSA NA STRADA. É claro, pois está. Se o gajo é carpinteiro, ele, lógico, só sabe serrar pó e cortar madeira. O dito cujo TOY DE YAYA não é nenhum intelectual, ele é UN SERADOR DI MADERA, UN BRUTAMONTI, KI TA BEBE, TA TOMA MOKU, TA SOTA MUDJER, TA RANJA REPARIGAS. UN GRANDI MOKERU Y MUDJERENTU LA DI TXADA SANTU ANTONI, LARAXADU, BANDIDU Y BURU- BESTA. Deixe de atacar, senhor brutamonte, o meu amigo Sócrates de Santiago, pessoa muito educada, cordial, muito sábio, cujo único defeito, será mesmo defeito?, É DEFENDER A NOSSA ILHA DE SANTIAGO, como os outros fazem em relação às ilhas deles. O selvagem TOY DE YAYA deveria juntar a sua voz à do Sócrates e à nossa para defender também a ILHA DE SANTIAGO, mesmo não sendo natural da mesma, pois, SANTIAGO É A ILHA MÃE DE TODAS AS OUTRAS, A NOSSA MÃE, A MAMA DE TODOS NÓS. Toy de Yaya, dexa di bureza, ta ataka alguen ki nada ka faze- bu. Kuze ki bu ta mesti é UN GRANDI NAKU, sima kel ki BADIU ta kustuma ta dá alguen ki xatia- l kabesa. Toy di Yaya, bo é buru, burru, burru- besta.
Responder
0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 28-11-2020 16:27
Senhor HOMEM DA PEDRA, TOY DE YAYA, em verdade, o senhor COISO não assimilou bem os meus doutos conselhos, características de seres que só sabem uivar, pensando que, com esse ancestral gesto primário das florestas virgens e das cavernas, conseguem assustar alguém como eu, SÓCRATES DE SANTIAGO, um humano, detentor das chaves da sabedoria da civilização terrestre, UM IMORTAL que jurou defender, com unhas e dentes, mas também, com BOMBAS ATÓMICAS E NUCLEARES, a GRANDE ILHA SANTIAGO, sobretudo, defendendo- a dos seus ALGOZES como o COISO TOY DE YAYA. Ao que parece, o senhor HOMINÍDEO TOY DE YAYA só sabe insultar e difamar. Essa sua prosa pedestre e fedorenta, igual aos seus habituais e ruidosos flatos, já a conheci em outros carnavais, em outros FORA. O senhor COISO TOY DE YAYA continua o mesmo, com o mesmo discurso, com as mesmas frases, com os mesmas palavras obscenas, com as mesmas PORCARIAS, atacando pessoas, grosseiramente, por detrás de um pseudônimo. Por favor, dê a cara, apresente o seu nome verdadeiro. EU, SÓCRATES DE SANTIAGO, ESTOU DISPOSTO A ENFRENTÁ- LO, CARA A CARA, SE PRECISO FOR, PODEREMOS MARCAR UM DUELO, CORPO A CORPO, A TXADA LITON OU À PISTOLA. Estas, senhor AUSTRALOPITECO TOY DE YAYA, estas, dizia, são as últimas palavras minhas dirigidas a si. Ponho pois, um ponto final neste assunto. Sou um indivíduo muito ocupado com coisas sérias, não posso gastar o meu latim e o meu tempo com ENERGÚMENOS DA SUA LAIA. Como diz o bom povo desta GRANDE ILHA DE SANTIAGO, ILHA- BERÇO- MEIU TOSTON KA TEN TROKU.
Responder
0 # TOI DE YAYA 28-11-2020 11:59
Senhor, enfim, qualquer coisa auto-conotada com a ilha de Santiago, já dizia o saudoso e conceituado diplomata da agora turística ilha da Boa Vista, Aristides Maria Pereira, "Elogio em boca própria é vitupério". E eu acrescento, como é da minha coturnada e proba fimbria: mormente quando saído do focinho de um Sus Scrofa dos antros de perfídia não me atinge. Presunção e água benta cada um toma a que quer. Estou nas tintas para os embostamentos de frenético aldeagante das achadas de pastagem, vivendo quase sempre à sombra de anónimas e fantasiosas ribaltas. As da net, com certeza. Aprenda a ser gente e identifique-se primeiro, antes de exigir tal atitude da parte dos outros. Quando isto acontecer, estarei pronto para lhe dar o devido combate. Intelectual, como é de boa índole dos da minha imbele estirpe. Bom fim de semana e uma boa taça de tintol. De vez em quando, faz bem à alma dos pecadores.
Responder
0 # TOI DE YAA 28-11-2020 10:46
Saia primeiro você das catacumbas infernais e depois venha exigir às pessoas para se emergirem das grutas. Falso, hipócrita, malfeitor, como sempre. Dê exemplo e saia de pútrida sarjeta. Tenha hombridade, seu cafuringa das tretas!
Responder
0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 28-11-2020 10:40
Senhores extraterrestres IDENTIFICAÇÃO e ZAROLHO, não sei se no vosso distante PLANETA MARTE há escolas formais como as que existem no meu planeta Terra. Mesmo assim, deixo aos DOIS EXCELENTÍSSIMOS MARCIANOS o conselho que costumo dar aos humanos como eu- ESTUDEM E DEPOIS APAREÇAM. Pois, a vossa ignorância é tão gritante, tão gritante, semelhante aos habituais flatos fedorentos que, qual Toy de Yaya, despejam neste nobre fórum deste ilustre Jornal on line. NE SUTOR ULTRA CREPIDAM. Cumprimentos socráticos!
Responder
0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 27-11-2020 18:02
Senhor Toy de Yaya, pelos vistos, V.Exa. insiste em insultar e ofender- me. Não sei se é por amor ou por ódio. Em todo caso, manda a boa educação que os mais novos devem respeitar os mais velhos. Já lhe pedi para se identificar melhor, se quiser dialogar comigo, porém, um diálogo profícuo, um diálogo que nos leva à luz, ao conhecimento, dentro do espírito filosófico do meu homónimo de Atenas. Tenho que o informar, também, de que o TEMA PARA O COMENTÁRIO NESTE FÓRUM É O ARTIGO SOBRE CATXÁS DA AUTORIA DO SENHOR ZEFRA E NÃO SÓCRATES DE SANTIAGO. Por conseguinte, se o senhor Toy de Yaya é tão iluminado assim, faça o comentário sobre o mesmo, diga alguma coisa sobre o CARLOS ALBERTO MARTINS. Quanto aos mimos, devolvo- os a si, pois, vê- se claramente visto que o senhor Toy de Yaya é um GRANDE ANALFABRUTO E MALCRIADO, UM VERDADEIRO HOMINÍDEO QUE AINDA VIVE NAS GRUTAS ESCURAS DAS CAVERNAS, SEM NUNCA ASCENDER AO MUNDO DA LUZ E DO CONHECIMENTO. Ponha -se no seu lugar, senhor Toy de Yaya. Eu, Sócrates de Santiago, ja vi muito, tenho cabelos e barbas brancas, pois, o SENHOR HOMEM DA PEDRA tem muito a aprender comigo, caso resolva sair das ígneas e profundas grutas das cavernas. Cumprimentos socráticos!
Responder
0 # Toy de Yaya 26-11-2020 23:51
Subscrevo, in totum, as observaçoes do comentador/a "Identicação" sobre o hipócria que rima com qualquer coisa de sarjeta, o espertalhão que se define falsamente por aquilo que ele mesmo mui maltrata com as suas porcas delinquencias e se apresenta com o nome de um filósofo, quando o próprio nãoo é nem palha nem fósforo para se confundir com a ilha de Santiago. Haja saco para tanta paranónia de um moquero inveterado.
Responder
0 # Zarolho 26-11-2020 17:07
As emoções perturbadas do sócrates o tornam zarolho.
Não dá nem paxorra para o treinar de modo a conseguir a ver a realidade tal como ela é.
Responder
0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 25-11-2020 20:54
NB.- Esqueci -me de dizer que Daniel Rendall, Zeca Couto, Regina Silva, Bilocas, Zé Luís, Mário Rui, Zé Henrique são grandes músicos praienses. E que dizer da nova geração que, nos últimos anos, dá cartas, em termos musicais, em Cabo Verde? Só Romeu di Lurdes vale um país inteiro. E ainda temos a Mayra Andrade, a Sara Alhinho, a Eneida Moniz, Djodje, Kady Araújo, o Éder Xavier, Alberto, entre outros e muitos outros. PRAIA MARIA, PRAIA DE SANTA MARIA DA ESPERANÇA E DA VITÓRIA, A NOSSA PRAIA É MESMO RICA EM TERMOS MUSICAIS. A CIDADE DA PRAIA É UMA MÚSICA, como tão bem disse alguém, um dia.
Responder
0 # Identificação 25-11-2020 18:09
Sócrates!
Deixe de ser covarde e incoerente! Identifique-se primeiro e depois então, comece a exigir identificação aos outros.
Responder
0 # Alô Sócrates 25-11-2020 18:06
Com a suas citações de nomes para revelar os grandes nomes da música que a sua "PRAIA MARIA DA ESPERANÇA DA VITÓRIA DA HISTÓRIA DA VIDA DE ÁFRICA E DO MUNDO DO ANTIGAMENTE E DO COMTEMPORÂNEO" (informe-me por favor se me esqueci de mais algum apelido, pois não será para o diminuir)- Háá, tanta falta, tanta carência de alguma coisa!! - tem a noção de que todo o mundo, até os ilhéus rombo, estão cheios de grandes nomes da musica???
Sim, se agora qualquer nome é nome, já viu como vai ser...
Responder
0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 18-11-2020 18:52
Senhor Toi de yaia, eu, SÓCRATES DE SANTIAGO, não tenho por hábito falar ou dialogar com extraterrestre. Quando se identificar melhor, poderemos conversar, sem insultos, sem ofensas, urbanamente, educadamente. Cumprimentos socráticos!
Responder
0 # Toi de yaia 18-11-2020 10:18
É preciso não ligar muito à sanha desbocadora de um tal de ESCÓRIA DE SANTIAGO, o armado em defensor da ilha. Não precisamos da sua espúria e contraditória defesa, caramelo.
Responder
0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 17-11-2020 19:26
Senhor ou Senhora Alô Sócrates, os músicos Kim Alves, Kako Alves e Tô Alves nasceram em Achada Santo António, nesta nossa querida cidade da Praia Maria, PRAIA DE SANTA MARIA DA ESPERANÇA E DA VITÓRIA, Capital da GRANDE ILHA DE SANTIAGO E DE CABO VERDE. Esses artistas, hoje, de renome, nacional e internacionalmente conhecidos, são filhos do Senhor João Alves, mais conhecido por Nhu Djonzinho Alves, este, sim, cabo- verdiano nascido na ilha do Fogo, mas radicado há muito tempo, na Praia, conceituado violonista, infelizmente já falecido. Nhu Djonzinho e os referidos filhos fundaram a banda PAI E FILHOS que animava os serões da Capital, sobretudo da Achada Santo António. Uma pergunta ao Senhor ou Senhora Alô Sócrates- Esses músicos, por serem bons, não podem ser da Praia Maria? Olhe que a Cidade da Praia não tem falta de artistas, mormente na área musical. Para o seu conhecimento e esclarecimento, bastava citar, por exemplo, os nomes de Fernando Queijas, Manuel Clarinete e Dany Silva. Dir- lhe- ia ainda que os irmãos Zeca e Zezé de Nha Renalda, Antero Simas, Albertino Évora, José Silva, José Casimiro, Dany Carvalho, etc.,todos eles nasceram nesta MARAVILHOSA CIDADE DA PRAIA MARIA. Portanto, meu caro ou minha cara, a nossa Praia Maria não tem carência de artistas. O que falta é uma séria pesquisa e a sua divulgação junto dos PRAIENSES, SANTIAGUENSES, CABO- VERDIANOS E NÃO CABO- VERDIANOS. Cumprimentos socráticos!
Responder
0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 17-11-2020 18:16
Prezado amigo, Armindo Tavares! Muito obrigado pelas informações sobre Carlos Alberto Martins, Katxás, pois, elas são importantes para o conhecimento da personalidade artística do NOSSO REI DO FUNANÁ, seu parente muito próximo, como se diz, num bom crioulo santiaguense, MORI, XINTA KUNPANHERU NA STERA. Aqui vão as referências sobre a tese de Nelson Barros. Meus sinceros cumprimentos e uma boa oficina de escrita.
http://www.portaldoconhecimento.gov.cv/handle/10961/1809
Responder
0 # Alô Sócrates 15-11-2020 14:14
Alô, alô Sócrates!!!
Kim Alves, Tó Alves e Kako Alves, não são de Santiago.
São do Fogo!!
Há tanta falta assim????
Acorda menino!!!
Responder
0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 10-11-2020 22:33
Errata- No meu texto/comentário, onde se lê gurerereiro, deve- se ler guerreiro. Peço ao Senhor Editor o especial favor de mandar fazer a devida correcção. Cumprimentos e, desde já, muito obrigado!
Responder
0 # SÓCRATES DE SANTIAGO 10-11-2020 19:45
Em verdade, em verdade, o nosso amigo ZEFRA não trouxe nada de novo, com este pobre artigo, limtando- se apenas a tentar colar o seu nome ao do GRANDE GÉNIO MUSICAL que foi CARLOS ALBERTO MARTINS, mais conhecido, no meio musical, por KATXÁS. Sobre este grande artista cabo- verdiano e o grupo musical por ele fundado, BULIMUNNDO, o maior conjunto musical cabo- verdiano de todos os tempos, há várias teses escritas e defendidas em várias universidades, tanto nacionais como estrangeiras. Para o conhecimento do senhor ZEFRA, nome artístico do médico José Manuel Fragoso, menino de Achada de Santo António, um dos bairros mais populosos e emblemáticos desta magnífica cidade da Praia Maria, berço de grandes artistas como Frank Mimita, kim Alves, Kako Alves, Francisco Fragoso, para só citar esses, recomendo a leitura de uma importante tese de Licenciatura em História, de NELSON FURTADO CORREIA BARROS, defendida em 2007, com o título de O CONTRIBUTO DE BULIMUNDO NA MÚSICA TRADICIONAL DE CABO VERDE- O CASO DO FUNANÁ, em que o referido investigador realça, através de dados científicos e comprovados, o PAPEL DE CARLOS ALBERTO MARTINS, KATXÁS, COMO GRANDE REVOLUCIONADOR DA MÚSICA TRADICIONAL CABO- VERDIANA, COM ESPECIAL DESTAQUE PARA O FUNANÁ. Concordando inteiramente com o pesquisador NELSON FURTADO CORREIA BARROS, acrescentaria que CARLOS ALBERTO MARTINS, o nosso saudoso e inesquecível KATXÁS, é, seguramente, O MAIOR REVOLUCIONADOR DA MÚSICA E CULTURA CABO- VERDIANA DE TODOS OS TEMPOS, feito este só comparado a um BALLAKE SISSOKO, do Mali, um MANU DIBANGO, de Camarões, um MORY KANTÉ, da Guiné- Konacry, um JOSÉ CARLOS SCHWARZ, da Guiné- Bissau ou um BOB MARLEY, da Jamaika. Meu caro ZEFRA, não sei qual o motivo dessa sua fixação e obsessão em/por KATXÁS, porém, seja por que motivo for, deve- se, por uma questão de ética, DAR A DEUS O QUE É DE DEUS E DAR AO CÉSAR O QUE É DE CÉSAR, como muito bem disse Cristo aos impiedosos colaboradores do gurerereiro e sangrento Império Romano, em Jerusalém. Cumprimentos socráticos, santiaguenses e cabo- verdianos!
Responder
0 # Armindo Tavares 15-11-2020 10:52
Caro amigo, Sócrates de Santiago.
Agradecia se me pudesses facultar o link onde poderei ler a tese do Nelson Barros.
Também, na minha tese do mestrado em Teatro, publicado no Portal do Conhecimento, destaco num Capítulo a contribuição do Katxas - Carlos Alberto Silva Martins - na cultura musical e no tradicionalismo caboverdiano.
Com 17 anos de idade, participei do grupo que votou o nome BULIMUNDO para o conjunto musical trazido da França pelo Jovem Regente Agrícola, Carlos Alberto Silva Martins.
Eu e ele, nessa altura, dormíamos no mesmo quarto. O pai dele, Nhu Lelenxu, quem criou o meu pai, era irmão legítimo do meu avô, pai do meu pai.
Tô Martins - Antónia Martins Cardoso - mãe do Katxas, era irmã legítima de Armando Martins Cardoso, meu avô materno.
Entretanto, por razões que já expliquei em vários artigos publicados, as autoridades de Santa Cruz tomaram Sema Lopi como o ícone do Funaná, o que não passa de uma má e indigesta chacota.
O nome KATXAS so não foi banido das nomenclaturas dos músicos de Santa Cruz por ser, de facto, um peso mesmo pesado.
Responder
0 # Lucrécia Bórgia 09-11-2020 14:33
Não se percebe tanta fanfarrada para dizer tudo aquilo que todos sabem sobejamente, e se algum aspecto novo é avançado aqui, não constitui novidade de monta.
Agora uma coisa que não percebo neste articulista é essa mania de utilizar o plural majestático «nós» quando um simples, natural e vulgar «eu» bastava.
Responder
0 # Lima 08-11-2020 18:20
Bom artigo, da quele ki pra min foi melhor guitarista mundial do seculo 20..
Responder
-1 # Lima 08-11-2020 18:18
Na nha modesto, ki ê Di meu catchas foi um dus melhor guitariste mundial, repito... Mundial do seculo vinte ( 20)..
Responder