• Praia
  • 29℃ Praia, Cabo Verde

Refletir a Universidade de Cabo Verde: Governança (3ª Parte)

As unidades orgânicas da Uni-CV, com os seus Presidentes nomeados pela Reitora, por um mandato de apenas dois anos, ainda que renovável, sequer, têm autonomia para fazer aprovar os seus próprios regulamentos, prerrogativa que até as escolas do ensino básico têm autonomia para fazer. Aliás, as escolas básicas e secundárias estão com mais autonomia, pelo menos de ponto de vista legal, do que as unidades orgânicas da Uni-CV e os seus diretores têm um mandato de três anos. É basta consultar o Decreto-Lei nº 8/2019, de 22 de fevereiro. Portanto, é fundamental que se vire a página...

São Miguel: Herménio Fernandes faz balanço “francamente positivo” do seu primeiro ano de mandato

O presidente da Câmara Municipal de São Miguel (ilha de Santiago) considerou hoje que um ano depois das eleições o balanço é “francamente positivo” e exaltou ganhos em vários sectores do desenvolvimento.

Cabo Verde: Exigência de Justiça Climática contra o Desastre Ambiental

Cabo Verde vive ainda, como pressuposto vitima menor, destas tragédias, que afectam a todas as nações, pois ninguém escapa…, e face á situação, que mediadas, a titulo de precaução e prevenção tomaremos, contra o ataque constante, do “mundo industrializado” e mais, “civilizado” sobre o meio ambiente, para a nossa própria sobrevivência e existência neste planeta comum?

Refletir a Universidade de Cabo Verde – (2ª Parte)  

A problemática do financiamento e a sua abordagem estão intimamente ligadas à visão e aos objetivos que se tem para com o ensino superior no país. Exigir que os alunos e as famílias suportem o funcionamento de uma Universidade pública, em quase 70%, por via de propinas no valor mensal de 9.000$00 (ainda que o Estado assegura umas bolsas que, em média, não cobrem mais do que 20% do total dos alunos no ensino superior público e privado) é uma questão que deve ser refletida e encontrada alternativa. Para já, o valor de 9.000$00 mensal para as propinas é elevado, tendo em conta o...

Refletir a Universidade de Cabo Verde – (1ª Parte)  

Uma universidade, pela sua finalidade, assente nas atividades de investigação, docência e transferência do conhecimento, o que faz dela uma arena académica, por excelência, a sua governação é, por natureza, complexa e há quem a considera como uma das organizações mais difícil de governar, exatamente, pelos níveis elevados de formação e do sentido critico do seu pessoal. Face a esse ambiente, a questão de liderança é premente! Esta deve ser visionária, informada e criativa, para promover um ambiente de forte engajamento institucional, aproveitando todo o seu potencial, em...

Cabo Verde orientado para enfrentar a globalização ultraliberal

Vivemos novo tempo histórico, tornando Cabo Verde, ator global com referência modesta, geopolítica e também como sujeito activo no concerto mundial de países e como nação politicamente independente, que festejará em 2022 uma vivencia de quarenta e sete anos, um país que se enraizou desde 1991 á democracia e que se abriu e adaptou, ao mundo, com relativa independencia, e talvez por isso também com poucos indícios de indiferença e incompreensão, as nossas iniciativas do dia-a-dia, de todos os tipos dão conta da caracteristica própria deste povo ilhéu em todas as nove ilhas...

Cândido Rodrigues denuncia clima de intimidação interna no MpD e pede Convenção Extraordinária "urgente". É o fim do ulissismo? (Com video)

Adensa a crise política no MpD, consequência directa da amarga derrota do seu líder histórico, Carlos Veiga, nas presidenciais de 17 de Outubro, logo na primeira volta. Desta vez, é o ex-dirigente e deputado ventoinha pelo círculo das Américas a engrossar o caudal de críticas a Ulisses Correia Silva, antes unânime junto das bases, mas hoje acusado de "perseguição e intimidação" dos militantes, além de culpado pelas derrotas nas eleições autárquicas na Praia e noutros municípios-bastiões do MpD e de ser, no entender dos seus opositores internos, o mentor de uma estratégia...