Pub

 arvore caido Cópia

A tempestade tropical “Helena”, que desde a noite de sábado se faz sentir em Cabo Verde, provocou a queda de árvores e inundações pontuais no arquipélago, particularmente em Sotavento, tendo causado maiores estragos nas ilhas do Fogo e da Brava.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do Serviço Nacional da Proteção Civil (SNPC), Reinaldo Rodrigues, afirmou que a tempestade, que começou ao fim do dia de sábado, deixou um rasto de estragos pontuais.

Na Serra da Malagueta, na ilha de Santiago, registou-se a queda de dois postes de eletricidade, entretanto reparados, enquanto nas ilhas do Fogo e da Brava há a indicação da queda de várias árvores e de pedras nas estradas.

Em São Filipe (ilha do Fogo), um poste de telecomunicações caiu devido aos fortes ventos que têm caracterizado a passagem da “Helena” pelo arquipélago.

Esta tempestade tropical é a oitava da atual temporada ciclónica no Atlântico, e caracteriza-se por ventos e chuvas fortes.

Com Lusa

O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG) acaba de emitir um comunicado, alertando para mau tempo nos próximos dois dias. De acordo com o INMG o país estará sob influência de uma depressão, com possível evolução para tempestade tropical, que poderá provocar “ventos fortes, mar muito agitado e chuvas, por vezes com trovoadas, principalmente em Sotavento”.

 naom_58612778107b0.jpg

Conforme avança o INMG Prevê-se chuva em todo o arquipélago, sendo moderada a forte em Sotavento, acompanhada de trovoadas, durante o período crítico.

O período este que será a noite de 31 de Agosto e madrugada e manhã de 01 de setembro. As ondas poderão chegar a 6 metros de altura.

Por isso esta instituição recomenda a tomada de medidas de precaução e segurança, face à ocorrência de ventos fortes, principalmente nas zonas de maior altitude, forte agitação marítima, com destaque para o litoral sudeste e sul das ilhas do Sal, Boavista, Maio, Santiago, Fogo e Brava, enchentes nas zonas baixas e deslizamento de terra nas encostas.

 

clemente garcia

O Presidente da Câmara Municipal de São Domingos que lidera a associação que se reúne hoje, 25, em assembleia-geral assegura que falta a construção, em Santa Catarina, de um centro de transferência para servir toda a região norte da ilha.

Segundo Clemente Garcia, os autarcas vão debater a montagem de um projeto que visa a edificação de um centro interpretativo para toda a ilha de Santiago que se espera venha a ser um grande atrativo turístico.

A preparação de um fórum sobre a inter-municipalidade com o apoio de uma associação de municípios, de Portugal, e com financiamento do fundo da região espanhola da Andaluzia para a solidariedade internacional.

O Presidente da Associação perspetiva o fórum como um espaço de reflexão para potenciar os serviços comuns a todos os municípios como é o caso da empresa intermunicipal "Aguas de Santiago".

Fonte: RTC