Pub
Por: Redacção

pj cocaina

Começou esta manhã, 27, o julgamento dos onze cidadãos russos tripulantes do navio ESER flagrados em Janeiro do ano passado com 10 toneladas de cocaína a bordo, calculados em 800 milhões de euros em dinheiro. A carga pertenceria, segundo a imprensa britânica, a um grupo da máfia irlandesa chamada The Kinahan.

A audiência de julgamento da "Operação ESER", que deve durar três dias, está a decorrer sob um grande aparato policial. Quer no exterior, quer no interior do tribunal da Praia estão dezenas de policiais armados com AKM e até a rua que dá acesso ao tribunal está enecerrada. Há também agentes à paisana na Praça Alexandre Albuquerque.

As fortes medidas de segurança têm a ver a com a dimensão do caso em questão - em causa dez toneladas de cocaína flagradas numa embarcação de grande porte, a maior da história do país, que, segundo calculam as autoridades, valem mais de 800 milhões de euros.

A mercadoria vinha a bordo do cargueiro russo ESER, com bandeira do Panamá. A embarcação, na qual seguiam 13 tripulantes todos de nacionalidade russa, foi apreendida no dia 31 de Janeiro do ano passado. Nesse dia, a Polícia Judiciária encontrou 9.570 quilos de cocaína - 260 fardos (volumes) - nesse navio que atracou no Porto da Praia e deteve 12 cidadãos russos.

Na operação de busca, descarga, acondicionamento, transporte e guarda do produto apreendido, a PJ contou com a cooperação e suporte técnico da Polícia Judiciária Portuguesa, da Polícia Nacional Francesa, bem como das forças de segurança nacionais, designadamente, as Forças Armadas, Polícia Marítima e ainda a ENAPOR e do Porto da Praia.

Na sequência da operação ESER [nome do cargueiro], a polícia científica deteve 12 cidadãos, todos de nacionalidade russa, que desde então ficaram a aguardar julgamento em prisão preventiva, sob acusação de tráfico internacional de droga.

Esse cargueiro, oriundo da América do Sul, tinha como destino a cidade de Tânger, no norte de Marrocos, mas fez uma escala no Porto da Praia para cumprir os procedimentos legais relacionados com a morte a bordo de um dos 13 tripulantes que iniciaram a viagem desde a América do Sul.

Sucede que a PJ já estava na posse de informações de que se tratava de uma embarcação suspeita de transportar uma quantidade indeterminada de estupefacientes. E, a troca de informação operacional com o MAOC-N (Maritime Analysis and Operations Centre – Narcotics), com sede em Lisboa, a judiciária cabo-verdiana punha em marcha a "Operação ESER", a maior quantidade de droga alguma vez apreendida em Cabo Verde.

Entretanto, segundo o jornal The Irish Times, essa droga, que vinha escondida em 260 caixas, teria como destino final a Irlanda, de onde seria distribuída para outros países da Europa. O jornal cita fontes policiais do seu país que garantiram que a mercadoria pertencia ao grupo mafioso local The Kinahan.

Há duas semanas", um dos 12 marinheiros russos que integravam a tripulação do cargueiro no Hospital Agostinho Neto. Sergey Zhivotov, de 59 anos, estava internado há cerca de uma semana, ao que consta, devido a complicações no intestino.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar