Pub

cha da silva

Os jovens da localidade de Chã da Silva, em Ribeira dos Picos, concelho de Santa Cruz, estiveram reunidos este domingo, 13 de outubro, para comemorar o primeiro aniversário da criação da associação AJADCS, mas também para discutir “a importância das associações comunitárias no processo de desenvolvimento local e central”.

O grupo é composto por quase 4 dezenas de membros, todos jovens oriundos de Chã da Silva e outras localidades vizinhas, e querem dar o seu contributo no processo de desenvolvimento da maior ribeira agrícola de Cabo Verde – a ribeira dos picos – bem como promover o desenvolvimento social e cultural das suas populações.

O presidente de direção do grupo, Alcindo Gonçalves Gomes, está confiante que os objectivos desta associação juvenil serão concretizados.

Com apenas um ano de existência, a associação já conta com uma gama variada de atividades desenvolvidas na comunidade, nos domínios do saneamento, da promoção social, com distribuição de cestas básicas e kits escolares para as famílias carenciadas, bem como apoios na reabilitação de casas ou nos trabalhos agrícolas.

Na base dessas atividades está o espírito de djunta mon e partilha, características do mundo rural e da forma de ser e estar do homem do campo, ativos que os associados querem preservar, cientes de que é na união é que se constroem as vitórias.

Aliás, no momento em que aquela localidade vai ganhar uma estrada há muitos anos sonhada e aguardada, o grupo quer estar na linha de frente no processo de redefinição do papel e da importância desta que é a maior ribeira agrícola do país no quadro do desenvolvimento do agronegócio e do turismo rural em Santiago e Cabo Verde.

Neste contexto, o grupo pretende trabalhar em parceria com os poderes públicos e o setor privado, para alavancar a autoestima local, num processo de diálogo aberto com todos, para restituir a dignidade aos investidores do setor agrícola, hoje a braços com dificuldades de vária ordem, que vão de problemas no acesso ao financiamento a falta de equipamentos e meios para o escoamento das produções agrícolas.

A partir desde primeiro ano de vida, a associação quer dar o salto qualitativo na materialização dos seus objetivos, a começar pela concepção de projetos e programas que potencializem a economia local, visando garantir a competitividade comunitária e consequentemente produzir riquezas e bem-estar coletivo.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # rubera grande 17-10-2019 17:32
Maior vale agricola. Kal ke sugundo, tercero, etc?
Responder
0 # Venceslau Cardoso 14-10-2019 11:05
Façam o que ser feito. Uma coisa vos peço, não deixem ser levados pela influência política. Jovens devem em parceria com os poderes públicos trabalharem em prol do desenvolvimento das suas localidades independemente da cor política que cada elemento entender pertencer. Uma boa iniciativa que quanto a mim deve ser seguido sem titubear.
Responder
0 # Alcindo Gonçalves Go 14-10-2019 10:30
Como presidente desta associação juvenil, em nome de todos os membros de AJADCS no país e na diás[censurado]s, gostaria de agradecer a Santiago Magazine por ter aceitado participar na comemoração do nosso primeiro aniversário enquanto movimento social comunitário cujo nosso propósito é de conseguir transformar a nossa comunidade em tudo que se mostra necessário para alcançarmos o desenvolvimento tanto almejado pelas pessoas desta ribeira. Que vocês continuem a divulgar e promover grupos ou organizações que fazem trabalhos do tipo, porque é com o reconhecimento que encontramos mais forças para continuarmos a trabalhar com mais vontade e com muita satisfação. DJUNTU NÓS É MAS FORTI
Responder