Pub

arnaldo silva

O Tribunal da Praia aplicou Termo de Identidade e Residência a Arnaldo Silva, como medida de coação por indícios de práticas ilícitas na compra e venda de terrenos da Praia. Silva fica também proibido de sair do país e está interditado de estabalecer qualquer contacto com os outros seis suspeitos deste processo cuja identidade ainda está sob segredo de justiça.

Arnaldo Silva, conhecido advogado que foi detido ontem, quarta-feira, fora de flagrante delito, indiciado por burla qualificada, falsificação de documentos, organização criminosa, falsidade informática e lavagem de capitais, vai aguardar julgamento em liberdade, mas sob TIR.
O juiz Alcides Andrade, do 3º juizo crime, entendeu haver indícios fortes contra o ex-bastonário da Ordem dos Advogados, mas decidiu pela aplicação do Termo de Identidade e Residência, com interdição de saída do país e proibição de contacto, ao que tudo indica com os restantes seis suspeitos identificados pelas autoridades mas cuja identidade ainda permanece em sigilo máximo. Silva tem como defensores os advogados José Manuel Pinto Monteiro e Keita Correia Monteiro, e durante o interrogatório com o juiz esta quinta-feira teve o apoio de muitos familiares e amigos.

Recorde-se que Arnaldo Silva - antigo secretário de Estado Adjunto do primeiro-ministro na década de 1990 e que foi condecorado no passado dia 5 de Julho pelo presidente da República com a primeira classe da medalha de mérito "pelo contributo dado ao desenvolvimento de Cabo Verde" - foi detido ontem pela Polícia Judiciária indiciado por crime de burla qualificada, falsificação de documentos, organização criminosa, falsidade informática e lavagem de capitais. Crimes alegadamente cometidos na aquisição e venda de terrenos na Praia e que, segundo a Procuradoria Geral da República envolvem ainda mais seis suspeitos, todos já identificados pelas autoridades devendo ser apresentados ao tribunal a qualquer hora.
Segundo um comunicado da PGR, divulgado esta tarde, "o processo encontra-se em instrução e, por isso, em segredo de justiça", pelo que não adianta muito sobre este caso. Ainda assim, a nota confirma que "correm termos na Procuradoria da República da Comarca da Praia os autos de instrução nos quais investigam-se indícios de ilícitos criminais relacionados com a aquisição e venda de terrenos na cidade da Praia e susceptíveis de integrarem os crimes de burla qualificada, falsificação de documentos, organização criminosa e lavagem de capitais".

"No âmbito da investigação – que contou com a coadjuvação da Polícia Judiciária - foram realizadas várias diligências, tendo o Ministério Público promovido a emissão de mandados de busca a vários locais, na cidade da Praia. Nesse âmbito, foram realizadas buscas a dois escritórios de um Advogado identificado, autorizadas e presididas pelo Juiz, em observância de todos os pressupostos legais. O Ministério Público ordenou a detenção fora de flagrante delito do mencionado Advogado, que foi apresentado ao Juiz de turno junto do Tribunal Judicial da Comarca da Praia para primeiro interrogatório e aplicação de medida de coação", diz o comunicado, sublinhando que "para além do detido, as diligências de instrução até agora realizadas permitiram a identificação de mais seis suspeitos, todos pessoas singulares".

Até agora, a PJ só deteve o Arnaldo Silva, jurista de formação que já foi secretáripo de Estado Adjunto do Primneiro Ministro nos anos 1990, deputado nacional, dirigente partidário (MpD e PCD), bastionário da Ordem dos Advogados de Cabo Verde e comentador político na rádio, TV e jornais. No passado dia 5 de Julho deste ano, Arnaldo Silva foi condecorado pelo presidente a República com primeira classe da medalha de mérito "pelo contributo dado ao desenvolvimento de Cabo Verde".

Na origem desta detenção estão, além de outros supostos crimes, suspeitas de negócios ilicitos na venda de terrenos da Praia, um caso que vem sendo denunciado há largos anos sobretudo pelo advogado Felisberto Vieira Lopes, tanto em artigos de jornais, como através de um pequeno livro intitulado "O Caso de Palmarejo Grande - a maior burla na história de Cabo Verde, O fio da meada por onde se pode descobrir a Máfia e os Mafiosos de Cabo Verde", no qual Vieira Lopes acusa Arnaldo Silva de ser o mentor de uma "Rede de corrupção, falsificações, vendas por burlas dos terrenos roubados de Palmarejo, Palmarejo Grande/Monte Vermelho (3.562), Frouxa-Chapéu, Monte Babosa, Terra Branca, Simão Ribeiro, Aguada (3.561) e outros que não pertencem (e nunca pertenceram) a Fernando José Sousa nem aos Serras".



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+4 # SÓCRATES DE SANTIAGO 06-09-2019 10:55
A procissão ainda vai no adro, pois, há mais tchitcharinhos e tubarões envolvidos neste caso, nesta GRANDE MÁFIA só comparada às GRANDES MÁFIAS CICILIANAS. Só esperamos que a culpa não morra solteira e que este POLVO ou LULA não morra, como sempre, na praia.
Responder
-8 # Curandeiro do Monte 06-09-2019 09:25
Penso que já é altura de acabarem com esta palhaçada do Felisberto Vieira Lopes. Há pessoas que nasceram para sucesso e outros para obscuridade. O Felisberto Vieira Lopes é um medíocre, invejoso, faltador de compromisso que ficou a dever Fernando de Sousa 10.000 contos de renda, por ter vivido num quarto dos seu hotel durante 20 anos sem pagar renda. Arnaldo Silva derrotou Vieira Lopes na eleição para Bastonário e desde essa altura faz uma perseguição ao Dr. Arnaldo Silva. Felisberto Vieira Lopes foi advogado de AC de Sousa durante muitos anos e por dever ético deveria deixar de persegui-lo tendo em conta ainda a dívida de rendas que ainda mantém com ele. Muitos invejam o sucesso económico do Dr. Arnaldo Silva e está espelhado em comentários anteriores. Nem todas as riquezas têm origem ilícitas! Deixem de invejar o que Arnaldo Silva conseguiu. Os cinzentos como Vieira Lopes passam a vida perseguirem os outros. Destruir que documentos? Onde estão os outros suspeitos? Então prende-se uma pessoa e os outros ficam livres? Que raio de investigadores que temos? Os suspeitos não vão aproveitar oportunidade para destruir as provas? Ter mais seis suspeitas a deambularem por aí enquanto se concentra numa única pessoa? Não dá para perceber? Publiquem nome dos suspeitos.
Responder
+3 # Ernesto Rodrigues 06-09-2019 08:20
Apenas TIR como medida de coação?
Será que seria a mesma com um ¨cidadão comum¨?
Responder
+11 # João Oliveira Cruz 06-09-2019 03:09
Não sei se é este o caso, mas, em Cabo Verde, corre-se sempre o risco de condecorar corruptos porque as pessoas são avaliadas pelo que aparentam ser e não pelo que realmente são.
Pelo facto do Doutor Vieira Lopes ter acusado o Doutor Arnaldo Silva de ser o mentor de uma rede criminosa não seria motivo mais que suficiente para que fosse acautelada a atribuição de uma distinção de tamanha envergadura?
Ainda mais quando é feita em nome da Nação, pelo Supremo Magistrado da Nação.
O homem honrado dispensa honrarias. Já lhe basta o sentimento do dever cumprido.
Responder
+4 # Daniel A. 05-09-2019 21:28
Esta prisão do Arnaldo Silva, com os fundamentos publicitados, não surpreende a sociedade praiense que tem acompanhado o crescimento econômico deste advogado, à custa dos terrenos da Praia, que milagrosamente tornaram-se quase todos do FSS. O que mais indigna a sociedade tem a ver com a condecoração deste Sr. pelo Presidente da República, por relevantes serviços prestados ao Estado de Cabo Verde! Mas, que serviço prestou o Nana ao Estado de Cabo Verde ?? Mas que banalização da condecoração ? Em nome de que Povo agiu o PR?
Responder
+3 # José Barbosa Afonso 06-09-2019 07:59
Há que se apurar o caso e fazer justiça.
Ninguém está em cima da lei.
Responder
+1 # toto 05-09-2019 20:18
O TJ não encontrou risco de destruição de provas ? porra ,em Sv os receptadores do ladrôo de galinha tiveram prisão decretada.
Responder