Pub

paulo santos 2

O presidente do IEFP disse esta quinta-feira, 22 de agosto, que a falta de recursos humanos limita uma “fiscalização forte” aos estágios profissionais, no sentido de fazer com que as empresas cumpram com a sua parte no pagamento dos estagiários.

Paulo Santos falava à imprensa, na cidade da Praia, à margem do acto comemorativo ao 25º aniversário do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), que aconteceu sob o lema “IEFP-25 anos promovendo a formação profissional e empregabilidade das pessoas”.

Confrontado com o facto de algumas empresas terem estado a não cumprir com a sua parte no pagamento dos estagiários profissionais, Paulo Santos respondeu que a falta de recursos humanos limita o IEFP a efectuar uma “fiscalização forte”.

“Mas nós temos um contrato. O contrato é assinado tripartido. A empresa assume o compromisso. O IEFP paga uma parte. As empresas devem pagar a outra parte”, disse o gestor.

Paulo Santos afirmou ainda que hoje ter jovens licenciados estagiários, num período de seis meses, representa um custo “muito reduzido” para as empresas.

“Além do subsídio do Estado, a empresa ainda recebe os incentivos fiscais, nós temos que ser sérios, é preciso avaliar, não acredito que seja uma situação que está a acontecer”, completou.

Prosseguindo, o presidente do IEFP fez saber que o governo disponibilizou este ano cerca de 500 mil contos para o financiamento de estágios profissionais e da formação profissional.

“Nós fizemos um estudo do impacto no ano passado e o estudo indica-nos que 60% dos jovens que beneficiaram de estágios profissionais estão no mercado do trabalho e com contrato”, revelou.

Por tudo isto, Paulo Santos acredita que o programa de Estágios Profissionais “é uma grande política activa de emprego”, em que o jovem tem oportunidade de entrar numa estrutura organizada, aperfeiçoar e desenvolver as suas competências socioprofissionais.

“Nós estamos a trazer grandes empresas para o programa”, garantiu o responsável, reforçando que “programa está a correr bem” que há, neste momento, “cerca de quase 1700 jovens em estágios profissionais”.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # José Barreto 23-08-2019 15:12
Muitas empresas não estão a cumprir.
Conheço caso de estagiário que depois de quase dois meses de trabalho numa empresa estatal acabou por abandonar o estágio sem receber um centavo porque a empresa disse que não tinha meios para pagar a sua parte.
Só propaganda e mais nada. O IFP se quiser tem meios fáceis para controlar essa situação. Desculpa de mau pagador.
Responder
0 # Carlos Fortes Lopes 24-08-2019 03:39
Já estou saturado dessas desculpas sem nexo e sem justificações plausíveis. Em primeiro lugar, ouvir um Presidente do Conselho de Administraçao de uma empresa estatal, com o estatuto deste, é revoltante para mim. Pois vê-se claramente que a mentalidade parasita está tão enraizado no seio dos CAMARADAS incompetentes que além de abusarem da situação caótica do país e a inexperiência dos estagiários não conseguem ter um grupo de trabalho que trabalhe para justificar o salário. Enfim, vê-se claramente que a doença crônica do parasitismo está longe de ser erradicado dessa nossa sociedade e que os comissários políticos são os maiores promotores dessa má influencia laboral. Sempre com desculpas vergonhosas e sem sentido. Até quando a juventude será capaz de aguentar esses abusos em silêncio?
Responder