Pub

Reunião do Conselho Alargado ME1

A ministra da Educação, Família e Inclusão Social, Maritza Rozabal, afirmou hoje que os dados provisórios indicam que a taxa de aprovação do ano lectivo transacto ultrapassou 90 por cento (%).

Maritza Rosabal, que falava à imprensa a propósito do Conselho Alargado para a preparação do próximo ano lectivo, disse que este ano houve “melhorias” na aprovação dos alunos e os resultados provisórios apontam uma taxa que ultrapassa os 90%.

Sobre o Conselho Alargado do Ministério da Educação, que acontece até o dia 07 de Agosto, a ministra garantiu que essa reunião, que conta com a participação de todos os dirigentes dos serviços centrais e desconcentrados do Ministério da Educação, servirá para se fazer o balanço das actividades do ano lectivo findo, para identificar os principais constrangimentos e planificar novas medidas para saná-los.

Para além disso, segundo a governante, nesse conselho também farão balanço do ano escolar transacto numa perspectiva por cada conselho. Isto, sustentou, para avaliar as medidas que foram introduzidas para a melhoria da qualidade de ensino, caso da prova de Aferição no 2º e no 6º ano de escolaridade, e preparar a aplicação de provas internacionais em Cabo Verde a médio prazo.

“Este é um momento muito relevante porque Cabo Verde poder aparecer no sistema de avaliação internacional. No caso deste ano e do próximo ano ainda são momentos de controlo de como isto se processa. E como essa avaliação se realiza no meio dos ciclos, vai-nos permitir comparar a nossa qualidade com a qualidade internacional,” explicou.

Conforme Maritza Rosabal, vão debruçar ainda sobre os resultados das Provas Nacionais de Avaliação que foram aplicadas aos do ciclo 4º e no 8º ano do Ensino Básico Obrigatório como forma de testar a qualidade e também de controlo porque permite eliminar as assimetrias regionais em termos de execução do programa.

Já a terceira parte do Conselho Alargado do Ministério da Educação, segundo a governante, será dedicada à implementação das medidas socioeducativas de inclusão social, neste caso para diminuir o abandono e melhorar os resultados e, sobretudo, dar respostas “mais efectivas” às crianças e adolescentes com necessidades educativas especiais.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+2 # A. Fortes 07-08-2019 09:52
Sra Ministra nha kompu bluza pa mama ka parsi! Que análise, também com aquele livro torto, há que se aprovar a todos para não cometer injustiça! Aprovam durante os estudos e reprovam na procura de trabalho! Porque aqui a qualidade requisitada é outra: "o lobby" a disciplina que não é leccionada aqui, só em bebedeiras e paródias com amigos dos partidos! Ali aprendes a lamber botas e n*degas... Outra análise além desta, para ver o estado da nossa educação sen djobi pa ladu!
Responder
+1 # atento prof 05-08-2019 23:42
Esta ministrinha está na chacota. só pode ser.
Responder
+2 # Carlos Fortes Lopes 05-08-2019 18:48
Esta Ministra está fora de controlo com esta sua doença de Mitomania. Se está encomenda se sente insegura e com autoestima baixa, acredita que tudo o que a rodeia não é suficiente deve procurar um profissional psicólogo ou psiquiatra para consultar.
O que me preocupa é ter uma pessoa do tipo como ministra da educação.
Embora as pessoas tenham a oportunidade de mudar o próprio comportamento e deixar de mentir, existe um grupo de pessoas que tem uma dificuldade muito superior nessa tarefa.Uma mentirosa patológica como esta senhora é perigoso para a sociedade.
Responder