Pub

 p71

A prova de matemática realizada ontem, 3, em todo o país, no âmbito do exame do 4º ano de escolaridade, deixou de rastos alunos, professores e pais devido ao seu elevado grau de dificuldade tanto no que tange à linguagem como aos exercícios, que, muitos alegam, são mais adequados a alunos do 6º ano.

Alunos a chorar à saída da sala de exame e a queixarem-se de dores de cabeça e professores de cara fechada. Este é o cenário que se observou em muitas escolas de EBO em todo o Cabo Verde nesta quarta-feira depois da realização da prova de matemática do 4º ano de escolaridade.

p2

A maioria dos alunos, quase todos de 9 anos de idade, não conseguiu concluir os exercícios ou tem a plena consciência de que não os fez bem. É que a prova incluía “matéria do 6º ano”, diz um pai, que também ouviu alguns professores confessarem que eles próprios precisariam de muito tempo para fazer esse teste.

p3

Uma das supervisoras do exame do 4º ano deste temporada admite que houve “exagero” na elaboração da prova. “Era longa, com exercícios muito complexos e muitos conteúdos para um teste só”, justifica. Por isso “os alunos ficaram apavorados só de ver o número das folhas, e sem contar o fator tempo”.

p4

Um ponto de vista que é corroborado por outros supervisores, que alegam que o dia de ontem foi realmente mau. “Senti pena dos alunos e ao iniciar a correção dos testes a pena foi ainda maior”, admite uma supervisora. Daí que advinham que a pauta vai estar pejada de negativas. “Com muita sorte, a maioria conseguirá tirar 5 valores”, afirma uma professora.

p5

Uma encarregada de educação apelou na sua página no facebook aos quadros do Ministério da Educação responsáveis pela elaboração da prova no sentido de, na próxima vez, fazerem “uma melhor revisão linguística da mesma”, pois a prova de matemática realizada nesta quarta-feira apresenta erros que “são evitáveis”.

p6

É que “os cálculos eram simples mas a explicação parece-me bastante desadequada para o nível pretendido”, diz a encarregada de educação sobre a prova de matemática do 4º ano, que, segundo outros internautas, não foi a única que apresentou elevado nível de dificuldade.

A prova do 1º ano, diz outra mãe, tinha exercício que “nem mesmo todos os alunos do 3 ° ano conseguiriam fazer. A nossa terra está mesmo uma vergonha”. Por isso, desde ontem o número de cidadãos que nas redes sociais pede a demissão de Martza Rosabal só cresce, face ao acumular de erros da titutal da pasta de Educação.

p8



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+1 # cidadao atento 07-07-2019 14:01
Eu estou preocupado com o Ensino Superior em que a UNICV ja eliminou a prova de acesso. Essa é uma decisao grave que prejudica nao so o resultado em termos de quadros que irao forma, mas também de mercado. Acho que Cabo Verde nao merece isso. Temos que mudar o rumo deste país.
Responder
+2 # Bruno Almeida 05-07-2019 14:47
Sinceramente não sei bem dizer que "PROGRAMA DE [censurado]" andam por aí a ensinar ...
Tenho vindo a acompanhar o meu filho que anda na 3ª classe e pelos vistos o nosso programa de ensino precisa duma CONTRA-REFORMA urgente!
Responder
-4 # Luís Abrantes 04-07-2019 17:30
Pois é. Todos a chorar!! Querem a papinha feita e exigem que seja aplicado o "plafond" social de aproveitamento escolar (i.e., devem passar 80%, ou mais, dos candidatos). É por isto e por outras é que, de há algumas décadas a esta parte, o analfabetismo funcional no nosso país se tornou uma realidade. Toca a estudar!! O estudo exige sacríficio e dedicação e não se coaduna com o paternalismo vigente que tanto mal tem feito ao desenvolvimento do país. Cmpts!!!
Responder
+5 # Manuel Miranda 04-07-2019 15:25
Quando Jesus foi cruzcificado, injuriado e maltratado, simplesmente disse:
" Pai, perdoa-lhes. Porque, não sabem o que fazem".
Este Staff do Ministério da Educação, não tem cura, a doença é tanta que já não basta tomar apenas aspirina. Para acordar, resta Um bom choque eléctrico ou recurso à autanasia, porque a cura esgotou.
Responder
+3 # SÓCRATES DE SANTIAGO 04-07-2019 12:55
Fosse num País civilizado e verdadeiramente democrático, a Ministra da Educação e todo o seu staff, já deveriam estar no olho da rua. O nosso povo deve saber que não são apenas as provas nacionais que andam a correr mal no EBO e no ES. A lei que isenta os alunos do pagamento das taxas, propinas e emolumentos também não está a ser aplicada, as escolas continuam a cobrar taxas, propinas e emolumentos, como se não existisse a lei, em total desobediência à ordem do Ministério da Educação e do Governo da República. Meu Deus, my god, quando é que se porá cobro a esses desmandos do Ministério da Educação?!
Responder
+3 # Pai e Professor 04-07-2019 12:15
ME no seu melhor. Está gente não sabe o que faz nos serviços centrais do ME. É um Deus nos acuda. Caramba pah! Ai mpd, dja bo era...
Responder