Pub

INFANTICIDIO

A mulher presa ontem, 20, por ter supostamente asfixiado o seu próprio filho recém-nascido na ilha Sal, terá cometido o acto no local de trabalho - um hotel. Motivo? Não queria mais filhos para não perder o emprego.

Este caso aconteceu desde o dia 31 de Maio, mas só ontem veio a público, depois a Polícia Judiciária ter confirmado a detenção e confirmação da prisão preventiva da mulher suspeita de matar o próprio filho recém-nascido afogando-o num balde de água.

Segundo uma fonte policial, citado pela Inforpress, a mulher, de 25 anos, resisnte nos Espargos, começou a entrar em trabalho de parto ali mesmo no hotel onde trabalhava, em Santa Maria. Sozinha deu à luz ao filho, mas logo a seguir, relataram fontes da polícia à Inforpress, teria asfixiado o bebé até a morte recorrendo a um balded com água. Alegadamente, a mulher não queria “ter mais três filhos e medo de os patrões não lhe renovar o contrato de trabalho”.

Inicialmente, conta ainda a fonte policial, a jovem mulher quis fazer parecer que a criança nasceu morta, porém, a autópsia realizada pelo médico legista Ledo Pontes, confirmou morte por asfixia, encontrando-se os pulmões e estômago cheios de água.

A jovem, residente nos Espargos, aguarda julgamento em prisão preventiva.

SM/Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar