Pub

ulisses lusa

O Governo anunciou, esta quinta-feira, 6, que duplicou o valor da pensão concedida às comunidades emigradas em situação de vulnerabilidade em São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique, Guiné-Bissau e Senegal, num total de 1.400 beneficiários.

Em comunicado, o executivo liderado por Ulisses Correia e Silva adiantou que estes 1.400 beneficiários vão receber as pensões com os novos valores e retroativamente desde janeiro, através do Centro Nacional de Pensões Sociais (CNPS).

O maior número de beneficiários (1.117) está em São Tomé e Príncipe, cuja pensão passou de 20 para 40 euros mensais, o mesmo valor praticado para os 187 cabo-verdianos nesta situação em Angola.

Em Moçambique, onde existem 50 cabo-verdianos em situação de vulnerabilidade a beneficiar dessa prestação, a pensão passou de 22 para 44 euros mensais, enquanto na Guiné-Bissau os 31 cabo-verdianos nas mesmas condições vão receber 34 euros, contra os atuais 17 euros.

A pensão paga aos 30 cabo-verdianos nesta situação que vivem no Senegal passou de 17 para 34 euros mensais.

De acordo com o Governo cabo-verdiano, esta prestação social tem como objetivo “garantir a proteção social dos cabo-verdianos que vivem em situação de pobreza extrema nas comunidades emigradas”.

“O pagamento dessas pensões é feito trimestralmente pelas Embaixadas ou Representações Consulares”, lê-se no comunicado.

 

Com Inforpress

Foto: Lusa



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Júlio César Barbosa 21-06-2019 14:10
O principal objectivo é ganhar votos nas próximas eleições. Procurem outra forma de enganar os cabo verdianos.
Responder