Pub

andy andrade

A direcção da CV Fast Ferry acusa o Instituto Marítimo e Portuária (IMP) de “sabotagem e abuso de poder” por causa de decisões que têm vindo a tomar em relação às suas embarcações.

O navio Kriola fez o percurso Brava – Fogo – Praia, nesta segunda-feira, mas não regressou, porque, segundo o presidente do conselho de administração da CV Fast Ferry, Andy Andrade, o IMP suspendeu a licença do chefe de máquinas, o que impediu a saída da embarcação do porto da Praia com destino Fogo – Brava.

De acordo com Andy Andrade, desde a época do Carnaval, 05 de Março, entre cancelamentos e atrasos provocados pelo IMP, já contabilizaram  30, e até 1 de Agosto, época que vai entrar em vigor, a nova concessionária do serviço de transporte marítimo já fez uma “previsão” de 100 cancelamentos e atrasos o que para o mesmo representa “um certo abuso de poder e de sabotagem”.

Andrade diz lamentar o ocorrido, tendo em conta que, conforme explicou, esta quarta-feira o navio já estava prestes a arrancar, com passageiros, cargas, bagagens tudo pronto, tendo já duas cabos desatados e a polícia informou que o Navio Kriola não podia partir por ordens do IMP.

“Neste momento, estamos a enfrentar uma série de constrangimentos, porque os passageiros já estavam embarcando, os turistas estão pedindo reembolso por questão de outras viagens agendadas e os que precisam viajar para Fogo e Brava e Brava – Fogo – Praia, não há previsão de quando a situação fica resolvida”, salientou o responsável, adiantando que sem chefe de máquina a embarcação não pode fazer viagens e o país está com défice de profissionais da área.

Questionado sobre os motivos da suspensão da licença do chefe de máquina, Andy Andrade limitou-se a dizer que perante os motivos apresentados pelo IMP, este pode estar “dentro dos seus direitos”, mas que não quer interferir na questão entre o IMP e o marítimo.

A única coisa que garantiu é que a empresa está a prestar todo o suporte necessário ao marítimo.

A Inforpress apurou que na quinta-feira passada, o navio Kriola não fez a sua viagem Brava – Fogo, por questões que envolviam o referido chefe de máquina, originando vários descontentamentos no seio dos passageiros que já se encontravam no porto da Furna.

Em relação à situação dos transportes, Andy Andrade acrescentou que estão a procurar por um chefe de máquina o mais breve possível, salientando que neste momento não possuem nenhuma outra solução para a ilha Brava que já ficou isolada, acrescentando também que esta é a época de maior movimento na ilha, mas, com esta situação, “fica difícil falar num desenvolvimento para a Brava tendo em conta as burocracias e abuso de poder”.

Segundo Andy Andrade, “Cabo Verde não possui falta de meios de transporte, mas sim muita burocracia que não deixa o país desenvolver e as empresas prestarem um serviço conforme o programado e estipulado”, finalizou.

A Inforpress quis ouvir a reacção do IMP na Praia sobre estas acusações, mas os contactos resultaram-se infrutíferos.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar