Pub

 Amadeu Oliveira

Um comunicado subscrito por um grupo de cidadãos cabo-verdianos nos EUA, chegado à redação de Santiago Magazine, afirma que as denúncias proferidas pelo advogado Amadeu Oliveira, “se verídicas, são indicativas de fragilidades graves no sistema da justiça cabo-verdiana, e consequentemente, com repercussões sérias na vida dos cabo-verdianos, seja os que estão dentro, seja nós que estamos fora do país”.

Na sequência, os emigrante cabo-verdianos radicados nos EUA, dizem entender que, sendo parceiros necessários para o desenvolvimento de Cabo Verde e para o bem-estar social, gozam de toda a legitimidade para exigir “um conjunto de medidas transparentes, que devolvam a confiança nas instituições públicas cabo-verdianas, os direitos e as garantias dos cabo-verdianos”.

“Todos nós amamos o nosso país. Com a denúncias feitas pelo Dr. Amadeu Oliveira, ficamos com sentimentos de que há uma grande falta de justiça em Cabo Verde, testemunhada por vários cabo-verdianos durante os encontros realizados aqui nos EUA, o que reforça as denúncias e as posições assumidas publicamente por este advogado e logo um profissional da justiça”, observam.

Os subscritores do comunicado são é um grupo e formado por profissionais de diferentes áreas, sua na maioria, quadros superiores e com responsabilidade sociais e ativismo social nos EUA, para quem “um sistema de justiça funcional e justa é fundamental para o bem-estar físico, psicológico e social dos cabo-verdianos”, pelo que entendem que “medidas que tragam de volta a confiança destes devem ser tomadas imediatamente, porque necessárias e imprescindíveis para a manutenção da paz social”.

O grupo, que participou nos vários encontros que Amadeu Oliveira realizou nos EUA, no mês passado, para falar daquilo a que dá o nome de “Não Justiça em Cabo Verde”, faz um apelo decisivo às autoridades cabo-verdianas, nomeadamente aos órgãos da soberania nacional, no sentido de “dinamizarem os mecanismos necessários para averiguar as denúncias oras feitas e repor um conjunto de medidas transparentes, que devolvam a confiança nas instituições públicas cabo-verdianas, os direitos e as garantias dos cabo-verdianos”.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+1 # Adriano Cabral 21-05-2019 11:02
O advogado Amadeu Oliveira tem reivindicações concretas que ele propôs simplificadas em 3 pontos. Algumas delas foram exploradas no comunicado.
Responder
0 # Adriano Cabral 21-05-2019 09:47
Nos EUA houve varios e ncontros ntre a comunidade e o Advogado Amadeu Oliveira. Sem ter um número preciso, eu estimo que entre 500 a 1000 pessoas participaram, seja pela rádio, a televisão, pessoalmente nos locais designados para os encontros e a manifestação dos Caboverdinaos foi sensível. O grupo que decidiu emitir o comunicado em representação deste e dos que tem a mesma opinião e formado por aproximado de 10 pessoas que tiveram um debate com o Amadeu como grupo foco.
Adriano Cabral
Responder
-1 # Silvério Marques 20-05-2019 21:38
Um grupo de quantas pessoas? O Dr.Amadeu devia dizer que reformas devem ser feitas ? As medidas tomadas desde 2011 não resultaram em nada ? Assim, ninguém se entende.
Responder