Pub

 fernando elisio freire

Governo aprovou esta semana, em Conselho de Ministros, o decreto-lei para a criação de um fundo de investimento para financiar projectos sociais. O anúncio foi feito esta sexta-feira pelo ministro do Estado, Fernando Elísio Freire. 

Em conferência de imprensa, o porta-voz da reunião ministerial, Fernando Elísio Freire, explicou que a criação deste fundo vem na sequência do projecto que estabelece o regime jurídico dos organismos de investimentos em empreendedorismo social.

“O Governo quer com este diploma criar instrumentos que permitem financiar projectos sociais através de soluções inovadoras, bem como uma mudança de paradigma social”, notou o ministro, esclarecendo que estes organismos ou instituições pretendem, acima de tudo, incentivar a criação de um “veículo financeiro” que permita ao investidor colocar os seus recursos à disposição de uma empresa social ou de um fundo para fazer os investimentos.

“Este diploma permite que haja um fundo que possa ter acesso de financiamento por parte de investidores e que seja gerido por empresas sociais que não tenham por objectivo o lucro, mas sim uma política social, que pode ser na habitação, educação, saúde e outras áreas”, acrescentou.

Fernando Elísio Freire informou ainda que este fundo vai ser registado na Bolsa de Valores e terá de cumprir todas as regras de uma instituição que esteja na Bolsa.

“É uma medida inovadora que permitirá aumentar a capacidade de financiamento da área social e permitirá que haja maior impacto das medidas do Governo nesta área em específico”, conclui.

A reunião ministerial aprovou igualmente o projecto de técnico-regulamentar que estabelece o regime jurídico das escolas de iniciação desportiva e o projecto-regulamentar que estabelece o regime jurídico doas selecções nacionais e de outras representações desportivas nacionais.

Com Inforpress

 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Joaquim 25-02-2019 09:05
Mais um algu kriadu pa ka fazi nada....moda procapital k serbi so pa da taxu pa rapaziz..
Responder
0 # Cruz 24-02-2019 14:40
Boa decisao Maria Marlene. Um saco azul para """ tchapo na mon"""""
Responder
0 # Maria Marelene 23-02-2019 06:54
Um bom passo. Decisão boa.
Responder