Pub

Amilcar Cabral

O Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra acolhe, esta sexta-feira, 22, um colóquio em torno do combatente na luta de libertação e pensador Amílcar Cabral, abordando o seu legado, a sua acção política e o seu pensamento.

Segundo informações publicadas no site oficial de Noticias de Coimbra, o evento é organizado pelos projectos do CES MEMOIRS – Filhos do Império e Pós-Memórias Europeias e CROME – Memórias cruzadas, políticas do silêncio, e do projecto da Universidade Nova de Lisboa Amílcar Cabral, da História Política às Políticas da Memória.

Intitulado “Figurações de Amílcar Cabral – memória, política e cultura”, o colóquio vai reunir investigadores de três projectos de Coimbra e de Lisboa para reflectir sobre aquele que foi um dos fundadores do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC) e tido como um dos maiores vultos da luta anticolonial em África.

Para além da presença de vários investigadores no colóquio, o evento vai contar com a participação do ex-Presidente da República de Cabo Verde e presidente da Fundação Amílcar Cabral, Pedro Pires.

A partir desta figura, o colóquio propõe-se a falar da “construção de uma filosofia africana”, dos legados e heranças deste político, das suas múltiplas apropriações ou da sua presença na música popular cabo-verdiana e no rap.

O colóquio reúne investigadores de projectos que, a partir de diferentes olhares, estudam e lidam com a figura política, cultural e artística de Amílcar Cabral.

Ao longo do dia, a partir de um ponto de vista interdisciplinar e multiforme, a biografia, o pensamento, a acção política, as imagens e as heranças de Amílcar Cabral, tanto do ponto de vista artístico como político estarão em discussão em mesas redondas temáticas, seguidas de debate.

Amílcar Cabral nasceu a 12 de Setembro de 1924 em Bafatá, Guiné Conacri, filho de Juvenal Cabral e Iva Pinhel Évora. Cabral foi poeta, agrónomo, e “pai” da independência conjunta de Cabo Verde a 5 Julho de 1975 e Guiné-Bissau oficialmente a 10 Setembro de 1974.

A 20 de Janeiro de 1973, foi assassinado na Guiné-Conacri.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar