Pub
Por: TSF

 padjinha

A PJ apreendeu no último fim de semana 70, 620 Kg de cannabis, vulgo padjinha, no Porto da Palmeira, na ilha Sal. Entretanto, em Pico Leão, ilha de Santiago a mesma polícia desmantelou várias plantações da mesma droga.

A droga apreendida no Porto da Palmeira estava na posse de um indivíduo de 28 anos que se encontrava entre passageiros provenientes da ilha de Santiago. Os produtos estavam repartidos em vários sacos de nylon, onde também havia batata “inglesa”.

Na residência do mesmo indivíduo, que foi presente ao Tribunal nesta segunda-feira, 11, e ficou sujeito à medida de coacção de prisão preventiva, a PJ encontrou mais 230 gr do mesmo produto.

Também no Porto da Palmeira, a PJ apreendeu uma bagagem contendo 5, 950 kg de padjinha, a qual terá sido abandonada por algum passageiro que, perante a presença dos inspectores da PJ, quis desta forma desfazer-se da droga.

Desmantelamento de plantações de padjinha em Pico Leão

Enquanto isso, na ilha de Santiago, a PJ, procedeu ainda no passado fim de semana ao desmantelamento de várias plantações de padjinha na localidade de Pico Leão, concelho de Ribeira Grande.

Da operação resultou a apreensão de 2.081 Kg de cannabis, que foram incinerados logo no local por ordem do Ministério Público, tendo em conta que se tratava de uma larga quantidade de droga.

Mais droga apreendida na Praia

Na cidade da Praia a PJ também apreendeu mais padjinha, desta vez no bairro da Calabaceira, onde dois indivíduos, um do sexo masculino e outro do sexo feminino, com idade compreendida entre os 36 e os 42 anos, foram encontrados, cada um, na posse de cerca de 200 gr de padjinha.

Termo de Identificação e Residência (TIR) foi a medida de coacção aplicada a ambos pelo Tribunal da Comarca da Praia, acrescido de Apresentação Periódica no caso do indivíduo do sexo masculino.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar