Pub

 ovos

Cuidado! Estão à venda ovos gémeos impróprios para consumo. A zootécnica Cristina Rodrigues explica as consequências para a saúde. Saiba mais.

Se calhar já viu e nem deu por isso: estão no mercado ovos com duas gemas, mas não aconselháveis para o consumo humano. Segundo a zootécnica Cristina Rodrigues, são ovos com anomalia na sua formação e que terão sido provocados por antibióticos administrados nos frangos para forçar uma maior produção, causando problemas de saúde nos humanos.

“Em princípio, são fêmeas com sete meses e que estão a ter dupla ovulação. Normalmente, uma galinha põe um ovo a cada 25 horas e durante toda a sua vida põe cerca de 300 ovos. O que está a acontecer é uma situação anormal em que para aumentar a quantidade de ovos, os produtores estão a administrar antibióticos em frangos novos. A ingestão desses ovos ou mesmo frangos que receberam esses medicamentos pode causar resistência a antibióticos nos humanos. Além disso está-se a criar superbactérias que afectam a nossa saúde. A União Europeia proíbe inclusive o uso de antibióticos nos frangos”, alerta Cristina Rodrigues, para quem esta dupla ovulação ocorre "possivelmente devido ao uso de antibioticos na ração ou stress causado nas galinhas".

De acordo com esta especialista, estas galinhas poedeiras estão com stress. “Se você quiser as galinhas ponham mais ovos basta stressá-las. Sucede que, por causa desse esforço para ter mais ovos, as galinhas deixam, entretanto, de poder pôr os 300 ovos durante o seu ciclo de vida, pondo menos. São os produtores é que perdem”, explica, acrescentando que há casos em que uma palete inteira já foi encontrada com ovos gémeos.

Cristina Rodrigues dá como exemplo o Brasil, onde se formou, e onde as autoridades obrigavam a retirada imediata desses ovos improprio para consumo do mercado. “Aqui, a responsabilidade primeira é da ARFA (Agência Reguladora de Produtos Farmaceuticos e Alimentares), mas também o Ministério de Agricultura e o Ministério da Saúde”, pontua a jovem especialista.

vaca

Segundo esclarece, o ciclo hormonal das aves jovens, que determina sua ovulação, é, às vezes, irregular, resultando em ovos com mais de uma gema, ou ovulação múltipla. Mais importante ainda, “o uso desses medicamentos nos animais de corte oferece riscos à saúde dos consumidores”.

Nota: O uso de antibióticos na produção de frango (e de outros animais) segue regras específicas que têm como objectivo garantir a segurança do produto que será oferecido aos consumidores.

Por si só, essa pratica não oferece perigo à saúde humana. No entanto, o uso exagerado desses medicamentos na medicina humana, veterinária e na agricultura tem sido associado ao aumento da resistência aos antibióticos globalmente.

A resistência aos antibióticos (ou antimicrobianos) é a capacidade das bactérias de resistir aos efeitos desses medicamentos – ou seja, os germes não são mortos e seu crescimento não é interrompido. Dessa forma, o medicamento que antes funcionava para determinada doença passa a ser ineficaz.

Comentários  

-1 # Cristina Rodrigues 08-02-2019 12:27
Sobre a polémica gerada em torno do artigo e face as reações tenho na qualidade de Zootecnista observar:
O Sr Veterinário João Santos andou menos mal, quando afirmou que o stress é um inimigo na produção avícola e também que os antibióticos são proibidos na fase da produção, desde que obedecendo o período de carência e também quando afirmou que o stress não é causadora dessa anomalia.
Andou mal, quando rejeita esta anomalia. Isto é um desequilíbrio hormonal que normalmente acontece em aves jovens, pois o ciclo hormonal destas, que determina sua ovulação, é, às vezes, irregular, resultando em ovos com mais de uma gema, ou ovulação múltipla.
Claudicou quando menospreza o uso de antibióticos na ração animal que tem consequências na saúde pública, e também que essa anomalia resulta exclusivamente da idade, da mesma forma que duvida da minha formação superior.
Agora vejamos:
Em 2001, os autores Pedersen e Edqvist observaram que com o uso de antibióticos em doses subterapêuticas, além de crescimento, relatou também o aumento na produção das aves de postura, assim como em número de filhotes em suínos, e aumento da produção em vacas leiteiras. Assim como outras literaturas afirmam essa possibilidade.
Se tiveres mais curiosidades envio o link para a atualização de informações. (https://pdfs.semanticscholar.org/410e/4e917c784fd3688c34842479577cd78fe53f.pdf)
O que não podemos fazer é menosprezar essa possibilidade, independentemente do tipo de promotor de crescimento utilizado como aditivo na ração. O uso desses devem ser rigidamente controlados exigindo um esforço técnico, ético da massa crítica envolvida, impedindo o uso incorreto, intencional ou por mero desconhecimento.
Acredito que assim como eu, o objetivo do colega é fornecer ao consumidor um produto de qualidade sem comprometer a sua saúde.
Estou aberta para uma conversa profissional e discussão acerca do assunto. Envio o meu email mostrando esse interesse.
Email:
Telm: 971 47 28
Responder
+1 # Carlos 07-02-2019 15:06
Carissimos,

Gostaria que apesentassem argumentos e evidencias tecnicas. O que esta em causa e a saude publica. Apresentar evidencias e apresetar correlacao entre as variaveis.
Responder
+2 # Tico 07-02-2019 22:45
Sai um desenho?
Responder
+7 # João Santos 07-02-2019 12:48
Bom dia Srs Jornalistas
O Poliovulação nas galinhas poedeiras resulta exclusivamente da idade. Normalmente acontece nas Frangas ( e não frangos ) dos 17 às 23 semanas. nada tem a ver com medicamentos , aliás esses são proibidos por lei na fase de postura.
Contrariamente ao que diz a " especialista " , o Stress é o principal inimigo da galinha poedeira .
Tenham cuidado naquilo que publicam , pois pode confundir o consumidor.
Responder
0 # Celestino 07-02-2019 13:42
Caro Sr. João Santos
Já que contradizes uma técnica formada, o senhor no mínimo poderia se identificar melhor e/ou fazer público suas fontes de informação.
Imagine um simples consumidor, como ficará no meio disto!!!!!!! Se também é técnico na matéria deixe-nos saber mas se é mais um curioso na matéria também gostaríamos de saber.
Responder
+9 # João Santos 07-02-2019 13:53
Boa tarde Sr Celestino.
Tem toda a razão. Sou Médico Veterinário, formado em 1993 em Alemanha . Sou Pca da Sociave e Agropec, empresas sediadas em S.vicente e responsável pelo fornecimento de 70 % do país, inclusive os Hotéis do Sal.
Não comercializamos ovos de frangas na Praia , por isso não somos visados nesta notícia. Mas não podia deixar passar esta falsidade.
João Santos
Responder
+1 # Francisco 08-02-2019 12:02
Bom Dia
Eu não sou especialista e não quero contradizer os especialistas, mais de cinquenta anos atrás eu já vi e comi ovos de duas e três gemas. Esses ovos apareceram com certa frequência em um grupo de cerca de 20 galinhas que meus pais tinham, entre outros animais, e só comian milho, aveia e trigo, essas galinhas estavam em liberdade, em uma área do norte da Espanha.
Saudações cordiais.
Responder