Pub

Amadeu Cruz

A Agência Reguladora do Ensino Superior (ARES) já invalidou, desde que entrou em missão, no início do ano de 2019, cerca de 16 cursos superiores, disse esta sexta-feira, 17, o secretário de Estado da Educação, Amadeu Cruz.

O governante fez estas declarações à Inforpress, após um encontro com a Comissão Especializada de Educação, Cultura, Saúde, Juventude, Desporto e Questões Sociais (5ª Comissão) do Parlamento.

“Temos a informação, que depois a agência reguladora, com a sua independência, pode certificar melhor, mas julgo que estarão em causa cerca de 16 ciclos de estudos, cursos superiores, que não foram validados pela agência reguladora”, afirmou.

Isto, no ponto de vista de Amadeu Cruz, significa que a agência reguladora “está atenta” e a fazer o seu trabalho de verificação da conformidade dos ciclos de estudos em termos científicos ou pedagógicos, mas também a verificar as condições de realização desses cursos.

“Não havendo conformidade dos planos de estudo, ou não havendo condições de funcionamento desses cursos, a agência reguladora toma as decisões que acha mais adequadas a situação detectada”, frisou.

Aqui, entende Amadeu Cruz que só se pode “felicitar o trabalho da agência reguladora”.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar