Pub

elisio freire

O Governo reagiu com “naturalidade e satisfação” à detenção de cinco suspeitos envolvidos na morte de Luís Giovani, informação que foi avançada pela Polícia Judiciária portuguesa.

“O Governo reage com naturalidade e satisfação, estamos mais próximos de que a justiça seja feita, as pessoas sejam punidas pelo crime que cometeram, esperamos que a justiça seja justa”, disse o ministro de Estado, Fernando Elísio Freire, que  também tutela as pastas do Conselho de Ministros e do Desporto.

De acordo com informações avançadas pelo jornal português Diário de Notícias, a Polícia Judiciária portuguesa deteve na quinta-feira, 16, em Bragança, cinco homens, com idades entre os 22 e os 35 anos, suspeitos do homicídio do jovem cabo-verdiano Luís Giovani, aluno do Instituto Politécnico da cidade.

A mesma fonte informou que as detenções ocorreram na sequência de uma operação levada a cabo pela PJ, explicando que os cinco detidos pertencem ao grupo dos 15 que já tinham sido identificados pela pelas autoridades, como estando envolvido nos confrontos daquela noite e, só eles estarão directamente envolvidos na morte de Luís Giovani.

“A investigação tem vindo a ser conduzida em estreita articulação com o Ministério Público de Bragança, titular do Inquérito (…), na origem das agressões que vieram a provocar a morte a Luís Giovani terão estado motivos fúteis, afastando assim, para já, o racismo como motivação do crime”, pode-se ler na edição online do Diário de Noticias.

Luís Giovani dos Santos Rodrigues, 21 anos, natural dos Mosteiros, ilha do Fogo, morreu no dia 31 de Dezembro de 2019 no Hospital de Santo António, no Porto, Portugal, depois de ter sido espancado, alegadamente por um grupo de indivíduos na cidade transmontana de Bragança, no passado dia 21 de Dezembro.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Casimiro Dias 17-01-2020 18:15
E os abutres do MpD só agora dão a cara para tentar branquear o mal serviço prestado pela Embaixada de Cabo Verde em Portugal!
Nojenta essa gente do MpD.
Já agora o Primeiro Ministro Ulisses Correia e Silva estará presente amanhã no enterro do Giovani?
Responder