Pub

 mapa cv

Três novos ministros são hoje empossados pelo Presidente da República, passando o executivo liderado por Ulisses Correia e Silva a ter o Turismo e a Economia Marítima em pastas separadas. De governo mínimo, com apenas 12 membros, incluindo o primeiro-ministro, a partir de agora o país passa a contar um primeiro-ministro, um vice-primeiro-ministro, um ministro de Estado, 12 ministros e 5 secretários de Estado.

O até agora secretário de Estado da Economia Marítima, Paulo Veiga, vai assumir esta pasta ministerial, enquanto o economista Carlos Santos passa a liderar o Ministério do Turismo e Transportes Marítimos.

São assim criados dois novos ministérios, depois de José Gonçalves, responsável pela tutela do Turismo e Transportes e também da Economia Marítima, ter pedido para sair do Governo, invocando motivos pessoais, em novembro.

Na mesma ocasião, o Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, vai também empossar, como estava previsto antes, o novo ministro-adjunto do primeiro-ministro e da Integração Regional, Rui Figueiredo Soares, que substitui Júlio Herbert, encontrado sem vida no seu gabinete, em 21 de outubro último.

Com esta recomposição, o Governo liderado desde 2016 por Ulisses Correia e Silva passa a contar com um primeiro-ministro, um vice-primeiro-ministro, um ministro de Estado, 12 ministros e 5 secretários de Estado.

Com Lusa



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar