Pub

palácio do governo

O Governo justificou que o valor de 50 milhões de escudos transferido pela Comissão Nacional de Eleições (CNE) a favor do Estado foi no cumprimento da lei e está relacionado ao saldo de gerência acumulado durante vários anos.

De acordo com uma nota e em reacção à noticia de que a “CNE pede justificativa de 50 mil contos transferidos ao Estado para remodelação de um prédio que ainda não foi materializado”, o Governo respondeu que esse montante está relacionado ao saldo de gerência acumulado durante vários anos e, por lei, ao final de cada ano, o saldo deve ser devolvido ao Tesouro.

“Nesse sentido, a transferência do referido montante por parte da CNE foi em cumprimento da lei, ou seja, foi feita, ao Tesouro, uma restituição do montante acumulado no valor de 50 mil contos”, pode-se ler no documento.

 

Veja mais no Santiago Magazine:

PAICV diz que Tarrafal tem sido vítima do MpD há cerca de 28 anos

Jair Bolsonaro em Cabo Verde no próximo ano

Ponto de vista. A nova ilusão chamada de massa salarial

 

A CNE manifestou o seu desagrado à margem da 1ª Comissão Especializada de Assuntos Constitucionais, Direitos Humanos, Segurança e Reforma do Estado, para avaliar o montante disponibilizado à entidade no âmbito do Orçamento do Estado 2020.

Na ocasião, o vice-presidente da CNE, Amadeu Barbosa, explicou que a instituição transferiu no último mês de Setembro, 50 milhões de escudos ao Ministério das Finanças, para a remodelação de um prédio na zona da Prainha, que foi disponibilizado à entidade para a sua instalação.

Segundo apontou, esse valor vinha dos saldos orçamentais de vários anos que a CNE detinha, e a pedido do Estado transferiu esse montante na perspectiva de conseguir um espaço condigno para o funcionamento da instituição.

O responsável revelou que foi publicada a resolução nº 109/2019 de 04 de Setembro, que diz que é autorizada a transferência das dotações orçamentais, no valor global de 23 milhões de escudos do projecto “Construção da nova Escola da Várzea” do Ministério da Educação para o reforço orçamental da “Remodelação da Sede da CNE”.

De acordo com Amadeu Barbosa, esta resolução não tem nenhuma ligação com a verba em causa, ajuntando também que não quer ver o nome da CNE associado a esse assunto, principalmente nesta época pré-eleitoral.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # podres 10-12-2019 14:40
Pergunta pertinente : os 50 mil contos de saldo passa pelo TC ? O Tesoro enviou constância a CNE pelo saldo ? Quem autorizou ( PRIORIZOU) a transferencia dos 23 M da construção da escola da Várzea para a remodelação predial da CNE ,com que direito se decide as prioridades ?
Responder
0 # toto 10-12-2019 14:12
Quem do Governo respondeu ???
" que esse montante está relacionado ao saldo de gerência acumulado durante vários anos e, por lei, ao final de cada ano, o saldo deve ser devolvido ao Tesouro" Esse montante tive o visto do TC?
Responder