Pub

Faustino Imbali Guiné Bissau

Faustino Imbali, primeiro-ministro da Guiné-Bissau indigitado por José Mário Vaz sob forte contestação da comunidade internacional, terá emitido esta quinta-feira um comunicado a repudiar as declarações proferidas ontem pelo ministro cabo-verdiano dos Negócios Estrangeiros, Luis Filipe Tavares, de que Cabo Verde reconhece como sendo primeiro-ministro da Guiné, Aristides Gomes.

Uma carta publicada pelo Jornal Novo Rumo, no facebook, que cita uma página do Faustino Imbali nesta rede social, informa que o escolhido de José mário Vaz para liderar po governo na Guiné-Bissau "exprime a sua reprovação e estranha atitude do Ministro dos Negócios Estrangeiros, das Comunidades e da Defesa Nacional de Cabo Verde, Dr. Luís Filipe Tavares, que tende claramente posicionar-se a favor do anterior Governo, liderado pelo Dr. Aristides Gomes, demonstrando desconhecedor da diplomacia, de que é ministro em Cabo Verde, contrariamente ao Presidente do Parlamento do seu País, Sua Excelência Eng: Jorge Santos, que teve uma postura de um homem do estado. Preferindo apelar às partes a um diálogo, com vista a resolução do impasse, dentro do quadro constitucional existente, não através de terceiros, como a CEDEAO, União Africana muito menos a CPLP e a União Europeia".

Segundo a nota, "o governo considera de inaceitáveis às declarações do Luís Filipe face a sua evidente interferência nos assuntos internos de um Estado Soberano com afirmações gravíssimas".

"Assim, o Governo do Dr. Faustino Imbali, repudiou e condena a atitude pré-concebida do neocolonialista e fascista ministro em relação a África e sobretudo com a Guiné-Bissau. O governo espera uma correção do Ministro Cabo-verdadiano, porque a Guiné-Bissau e Cabo Verde são países irmãos. Libertados sob a liderança do Amilcar Cabral, onde tombaram milhares de combatentes guineenses e Cabo-verdadianos, para que os esforços de desenvolvimento, a que merecem os seus povos, continuem a ser trilhados, no quadro de integração subregional da CEDEAO, sem interferências e na base de respeito e solidariedade mútuas", conclui o comunicado.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+1 # Horácio Varela 08-11-2019 09:55
Senhor Dr. Faustino Fudut Imbali, o Senhor está descontente com o posicionamento Ministro dos Negócios Estrangeiros caboverdiano, por este ter dito o que todos os Governos dos Países democráticos gente estão a dizer? Se está descontente, então resta-lhe agir em consequência. Ingerência nos assuntos internos da Guiné? Falar na ingerência nos assuntos internos de um País cujo chefe de Estado é “confirmado” por uma Organização Regional, no caso vertente CEDEAO, é no mínimo caricato. Aceitar ser nomeado Primeiro-Ministro por um Presidente, com mandato expirado há meses e que só está em funções devido a arranjos no seio da Organização regional referida é um descoco…Ainda bem que o Senhor entende de política e diplomacia…imagine se não entendesse… Aqui e agora, lhe confesso que todas as vezes que leio ou oiço as bacoradas dos iluminados que nem o senhor, agradeço a Nino Vieira pela clarividência do Golpe de 14 de Novembro de 1980.
Responder
0 # MPD ferrenho 08-11-2019 06:53
Esse Imbali, ka Bali nada. Kre poder so.
Responder
-2 # Rivolta 08-11-2019 00:11
Ui... Burro hora ki sai na txada ta dau koxi é la ki bu ta dal di pó. E sen djô pa lado.Sr. Luis Felipe é uma vergonha e um pessimo ministro ou seja um incompetente!
Responder
0 # JBarbosa 07-11-2019 23:24
Dr. de raios que o parta. Devia era ter vergonha desse governo que formou sobre os joelhos sabe-se la porque! Vontade de estar no poder so pode ser a unica razao. Ate da nojo as coisas que passam neste continente. Homenidios que nunca deviam ter saido do mato.
Responder