Pub

É a abertura oficial do ano político. O Salão de Espetáculos da Assembleia Nacional esteve completamente cheio na Abertura do Novo Ano Político-Parlamentar do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV), evento que contou com as comunicações da líder do partido, Janira Hopffer Almada(JHA), e do presidente do Grupo Parlamentar, Rui Semedo.

PAICV2019

“Tal afluência, em massa, demonstra, claramente, a força do Partido de Cabral, mas também que os cabo-verdianos já estão a ver o PAICV como a nova esperança rumo a um Cabo Verde para todos com mais oportunidades, mais igualdade, mais emprego, mais Segurança, melhor acesso à Saúde, mais acesso à Educação mas, sobretudo, um país que confie nos cabo-verdianos e que acredite que eles é que devem ser os protagonistas do desenvolvimento desta terra”, assegurou Janira Hopffer Almada.

Aliás, para o PAICV o país, neste momento, está numa situação muito complicada, não há reformas e o governo passou três anos e meio a tomar medidas avulsas, numa política de retalho e numa espécie de navegação à vista e, obviamente, ”os resultados não acontecem e os cabo-verdianos não têm sentido nenhuma melhoria nas suas vidas”.

Para corroborar a sua afirmação Janira Hopffer Almada exemplifica com a queda de Cabo Verde nos rankings do Turismo, motor da nossa economia, e no Doing Business.

E a única opção que resta, segundo a Líder Tambarina, é “resgatar o país” porque só assim é possível governar Cabo Verde melhor já que aos indícios que apontam que os cabo-verdianos estão “extremamente defraudados” com a actual governação e querem, sim, uma nova esperança”.

“E o PAICV está a trabalhar para merecer a confiança dos cabo-verdianos, para que transformemos Cabo Verde no nosso sonho, na nossa esperança e na razão da nossa luta, para, juntos, construirmos, com empenho, com trabalho, com muita dedicação e patriotismo a terra com que todos sonhamos”, concluiu.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # John Miller 27-10-2019 19:29
Deixem de tretas e publiquem os comentários que não vos são favoráveis. Vocês só vão ganhar juízo nas vossas cabeças!
Responder
0 # Sabiá sabia assoviar 29-10-2019 14:48
Sempre foi mais fácil falar do que fazer. Por isso passarinhos vivem cantando, mas só o João de Barro passa o tempo trabalhando... enquanto muitos fazem barulho, alguns continuam trabalhando! Só não ver quem não quer o quanto nosso país está melhorando...
Responder