Pub

janira hopffer sindicatos

A presidente do PAICV considera que programa de estágios profissionais do governo tem “objectivos eleitoralistas”, sublinhando que o mesmo foi lançado para “disfarçar” a situação laboral actual do país.

“É evidente que a situação laboral no país não é boa”, afirmou Janira Hopffer Almada, completando que, “aliás, já se nota, infelizmente, algum clima de instabilidade social adveniente da falta de resposta, mas também de medidas pouco acertadas que o actual governo vem tomando”.

Conforme esta responsável, a situação laboral do país é marcada pela quebra de promessas e compromissos eleitorais feitos, entre eles a actualização salarial anual para os funcionários.

“Recordo que entre a promessa feita de actualização salarial ser anual e a realidade é que houve apenas uma actualização neste último Orçamento de Estado, com o aproximar das eleições em apenas 2,2% para 8%, apenas dos funcionários públicos”, frisou.

JHA disse ainda que foi prometido aos trabalhadores cabo-verdianos uma redução do impsrto sobre os rendimentos das pessoas singulares de 1% ao ano.

“O governo já aprovou quatro Orçamentos de Estados no Parlamento e, simplesmente, se esqueceu de promover a redução dessa carga fiscal”, completou.

Prosseguindo, a presidente do maior partido da oposição defendeu que neste momento é “muito importante” abordar a questão do desemprego no país.

De acordo com Janira Almada, que quando o país estava a crescer 1% em 2015, na sequência da pior crise financeira internacional dos últimos 75 anos, a governação anterior reduziu a taxa de desemprego para 12,4%, mas que, neste momento, em que se diz que o está a crescer 5 vezes mais, entretanto, a taxa de desemprego é de 12,2%.

“É estranho que, estando o país a crescer 5 vezes mais, como se propala, isso não se reflicta na taxa do desemprego. Ainda é mais estranho que tenhamos uma taxa astronómica de desemprego jovem”, acrescentou.

Conforme salientou a líder do PAICV, o actual governo, para tentar “um pouco disfarçar” essa situação laboral, “lançou um programa que denominou de estágios profissionais, que existe em Cabo Verde, como medida activa de emprego desde 2007, mas que está feito com objectivo muito concreto”.

“Todos nós sabemos que no próximo ano haverá eleições no país, e os estágios foram preparados com um lapso de tempo certeiro para que coincida com as próximas eleições”, disse.

Segundo referiu Janira Almada, “é preciso dizer que os estágios profissionais enquanto medida, feita de forma séria, planeada e estratégica, é uma boa medida, mas com o objectivo eleitoralista, como pretende este governo, naturalmente que não terá, infelizmente, os impactos pretendidos”.

A presidente do PAICV questionou ainda o governo sobre a data do término destes estágios e se também há previsão orçamental para a contratação desses estagiários por parte das instituições públicas e por parte do sector privado, por outro lado.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar