Pub

 PM AntonioCostaPS

Depois de o Governo admitir que está a trabalhar num decreto que possa conceder autorizações por razões humanitárias, PS recomenda celeridade na regularização de estrangeiros.

O Partido Socialista quer que o Governo acelere os processos de legalização de imigrantes e atribua a autorização de residência a quem comprove estar inserido no mercado de trabalho e faça descontos para a Segurança Social há pelo menos um ano, mesmo que não tenha feito entrada legal em Portugal.

Num projecto de resolução que deu entrada no Parlamento nesta terça-feira, o PS sugere que esta concessão seja feita por razões humanitárias, agilizando o respectivo procedimento – o artigo 123 da Lei de Estrangeiros prevê que seja dada a autorização de residência temporária a cidadãos estrangeiros por razões de interesse nacional, razões humanitárias ou razões de interesse público decorrentes do exercício de uma actividade relevante no domínio científico, cultural, desportivo, económico ou social.

No documento, cinco deputados do PS, entre eles Susana Amador e Pedro Delgado Alves, escrevem que “em Portugal a imigração deve ser encarada como uma oportunidade e uma componente essencial de dinamização da sociedade”. E afirmam que deve existir alteração de políticas. “A situação dos imigrantes em situação irregular em Portugal carece de um permanente e eficaz empenho político, visando a regularização destes cidadãos, que não podem estar sob um manto de invisibilidade."

E continuam: "A esmagadora maioria destes requerentes são, objectiva e comprovadamente, imigrantes económicos que exercem actividade profissional em Portugal e, justamente, muitos deles têm manifestado a sua insatisfação por não lhes ser reconhecido o direito ao tratamento enquanto cidadãos, apesar de trabalharem e descontarem para a Segurança Social." 

Recentemente, o Diário de Notícias noticiou que o Governo estava a preparar um projecto de decreto regulamentar com novas regras que tinham como objectivo conceder autorizações de residência por razões "humanitárias" a imigrantes ilegais.

As medidas surgem depois de, em 14 de Maio, dezenas de imigrantes terem ido ao Parlamento contestar a morosidade e discricionariedade da concessão de autorizações de residência alegando que o fazem quando trabalham, descontam para a Segurança Social e pagam impostos.

Associações como a Olho Vivo e a Solidariedade Imigrante reuniram-se com deputados de vários partidos nesse dia. Na altura, o grupo parlamentar do PS, através da deputada Susana Amador, comprometeu-se “a estudar estas questões e a avaliar junto do Governo e, em sede de alteração regulamentar”, se aquelas preocupações poderi am ser acomodadas.

Recorde- se que a presidente do PAICV, Janira Hopffer Almada, na sua recente visita Portugal chegou a abordar esta questão com os socialistas e, de regresso ao país, anunciou que trouxe a garantia de que este processo iria avante em breve.

Com Publico



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # José Pedro Rosado 13-06-2018 15:49
Janira Almada, sem agenda, chamou ontem a imprensa para dar uma boa notícia. Pena é que a notícia não chega a ser notícia, porquanto a lei até existe desde 2017. A mulher foi a Lisboa, tomou duas bicas, comeu uns pasteis de nata e foi enganada pelos de[censurado]s portugas.
https://observador.pt/2017/08/07/imigrantes-podem-ser-legalizados-apenas-com-promessa-de-contrato-de-trabalho/
https://moraremportugal.com/legalizacao-de-estrangeiros-por-contrato-de-trabalho-o-que-mudou-na-lei/
https://sairdobrasil.com/outros/noticias/portugal-governo-aprova-lei-para-legalizar-mais-imigrantes/
https://www.dn.pt/portugal/interior/governo-aprova-lei-para-legalizar-mais-imigrantes-8688780.html
Responder