Pub

A ilha do Sal está com medo. E a população vai sair à rua no dia 26 de Abril, a partir das 17 horas, para exigir mais segurança na ilha. É a Manifestação Sal - 1720 - , que faz referência ao ano em que a ilha começou a ser povoada. A ideia, segundo Neusa Gonçalves, é externalizar o sentimento popular do Sal no sentido de se resgatar a paz e a tranquilidade que outrora se vivia na ilha.

"A população está com medo e esta situação já mexe com toda a estrutura social e económica da ilha. A onda de assaltos nas ruas e nas habitações tornou-se insuportável e se não se tomar medidas urgentes, estamos a correr o risco de derrubar a mais importante estrututura económica da ilha que, é o turismo", explica Neusa Gonçalves em conversa com Santiago Magazine.

A Manifstação Sal - 1720 - surgiu assim "para fazer face à crescente onda de crimes, assalto, roubos, violência, que vem assolando a ilha, e que tem gerado um clima de insegurança e sentimento de impunidade no seio dos habitantes, com impactos negativos no sector do turismo", lê-se na nota de imprensa que este diário digital recebeu. 

A situação, regista a referida nota de imprensa, está a pôr "em causa a ilha enquanto destino turístico", pelo "urge uma acção da população e de todos os agentes locais".

Neste momento, ilha está afectada a 100 por cento, segundo as palavras de Gonçalves, porque, sendo Sal uma ilha turística "se esta situação não for controlada podemos perder o turismo, e logo, o trabalho".

"O medo já tomou conta das pessoas. Aqui trabalha-se nos hotéis, com horários diversos, à noite, madrugada, e as mulheres estão com medo. Os maridos estão obrigados a acompanhar as esposas para ir apanhar transporte. É uma complicação", observa a interlocutora de Santiago Magazine.  

Na verdadee, nas últimas semanas, o Sal tem sido vítima de vários assaltos e crimes contra pessoas, situação que terá levado o ex-comandante da Região, Elias Silva, a afirmar que "as leis cabo-verdianas são amigas de armas".

Esta afirmação de Silva não caiu bem no seio das autoridades nacionais, tendo o ministro, Paulo Rocha, afirmado que "policiais não criticam justiça". Neste momento, Elias Silva está a enfrentar um processo disciplinar e foi demitido do cargo.

Neusa Gonçalves afirma que a população do Sal ficou revoltada com a demissão de Elias Silva. "É sentimento geral que ele estava a fazer um bom trabalho na ilha", diz, para acrescentar que "é de facto revoltante ver criminosos sendo libertados nos tribunais porque a lei assim permite".

Entretanto, Gonçalves assegura que, embora a "ilha esteja a 100 por cento com o ex-comandate Elias Silva, esta manifestação persegue outros objectivos, que é chamar a atenção das autoridades locais e nacionais para a situação que se vive na ilha, apelando para a necessidade de uma acção urgente de prevenção e adequação de medidas de combate ao crime".

 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Daniel Carvalho 23-04-2018 07:24
Este Governo, tal e qual os de JMN, continua sem norte nesta matéria. E o pior é que não querem que se manifestem os sentimentos. Assim não.
Responder