Pub

Liceu da Varzea

Ulisses Correia e Silva está sendo substituído como primeiro-ministro pelo ministro das Finanças, Olavo Correia, e o presidente da CMP, Óscar Santos, está sendo substituído pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

É notório o matrimónio entre Ulisses Correia e Silva e Óscar Santos. Há tanta cumplicidade, que podemos dizer que não temos nem primeiro-ministro e muito menos um presidente da Câmara Municipal na Capital. 

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, parece continuar à procura de capitalização política através da CMP, financiando loucamente obras desta autarquia. 

A CMP foi contemplada pelo Governo de Ulisses Correia e Silva, no período 2017/2021, só em “requalificação de bairros e do centro histórico e reabilitação de casas”, com aproximadamente 14 milhões de euros (1,4[i] milhões de contos).

A venda do Liceu da Várzea e dos terrenos à volta, para a construção da nova Embaixada dos EUA, avaliada em 570 mil contos por 12 mil metros quadrados, foi considerada pelo MpD como sendo um negócio maravilhoso. 

Para além da questão simbólica; vender uma escola ao lado do Palácio do Governo para dar acesso a uma Embaixada, só é possível em Cabo Verde, e com estes liberais. 

Factos ignorados 

Já é notório que há um concluo entre a CMP e Governo para este negócio, onde, segundo o comunicado do Governo, o Estado vai arrecadar 5.800.000 USD (cinco milhões e oitocentos mil dólares)[ii].

É de salientar que os 12 mil metros quadrados vendidos pertencem ao Estado, à Associação “Black Panthers e ao Clube de Ténis e Golfe da Praia (CTGP).

O governo afirma que será ser construído um novo liceu na zona privada do Taiti, numa área de 4.218 m2. O que significa que grande parte do valor arrecadado pelo Estado será para comprar um novo terreno.

A CMP, para ver realizado esta venda doou ao Clube de Ténis e Golfe da Praia (CTGP), 4.703 metros quadrados de terrenos em Palmarejo, e ainda comprometeu-se a construir 4 campos de ténis e novas instalações ao GTP, avaliados no orçamento municipal em 120 mil contos.

A CMP ofereceu 4.955,25m2 em Palmarejo e Escola Les Alizés[iii],avaliado em 29.731.500 ECV.

Ao descontarmos 150 mil contos (120.000 + 30.000 contos), concedidos ao Clube de Ténis e Golfe da Praia (CTGP), restam 420 mil contos. Deste valor, uma parte (não se sabe quanto) irá ainda para a Associação “Black Panthers. Algumas questões continuam uma incógnita e em confidencialidade:

  • Qual o valor que o Estado irá receber efetivamente?
  • Qual será o valor que o Estado vai pagar para os novos terrenos?
  • A construção do novo liceu em Taiti será feita pelo Governo com o dinheiro restante desta venda, ou pela Embaixada dos EUA?

Foto1

 cmp

 

[i]https://www.governo.cv/governo-investe-14-milhoes-de-contos-na-requalificacao-urbana-e-reabilitacao-de-casas-na-praia/?fbclid=IwAR2_NkVEHTKodoR4p20oar9RHsS1XjGT_WPRPGC4re27tXe4DUJUHPFA6bY

[ii]https://expressodasilhas.cv/politica/2019/05/08/liceu-conego-jacinto-vai-ser-construido-no-taiti/63697

[iii]https://l.facebook.com/l.php?u=https%3A%2F%2Fwww.santiagomagazine.cv%2Findex.php%2Fmais%2Fn-colunista%2F2569-a-camara-municipal-da-praia-cmp-ajuda-a-desenvolver-a-segregacao-de-classe-via-desurbanizacao-e-na-nao-organizacao-territorial%3Ffbclid%3DIwAR1zB34Z7DwasE_E1LVjyOzjPbMcgS2LvqP9Gt5yS9e80uxdrmj6JaTQWFs&h=AT1K-8RW9gSxfsCmbcH0OuV5_SX39ySlDiOqhfQST9aVVcfqFwN75zdYzu4lYZzjVmaqOTK72NzlhqeqkaRYjmVRlaJQJSlVyTpXSL8mauYkpAo_rr5xD5rWsyvTvJcF7N0



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar