Pub

sanna marin 01

A nova primeira-ministra da Finlândia, Sanna Marin, que foi escolhida este domingo, 8, será a líder de país mais jovem do mundo quando assumir o Governo. Aos 34, ela é mais jovem que o primeiro-ministro da Ucrânia, Oleksiy Honcharuk, de 35.

Marin foi criada por uma mãe solteira. A nova primeira-ministra já deu uma entrevista a uma TV finlandesa que se sentiu discriminada uma época em que sua mãe teve uma relação com uma outra mulher. No ano passado, ela mesma se tornou mãe.

Marin é a primeira pessoa de sua família a chegar à universidade – cursou administração na Universidade de Tampere - e a sua dissertação foi sobre a profissionalização de líderes políticos do país.

Em 2006, quando tinha cerca de 20 anos, começou a se aproximar da política. Foi eleita para o Parlamento pela primeira vez em 2015. Foi ministra dos Transportes e é membro do Partido Social-Democrata (SDP). Sua principal plataforma política é a defesa do Estado do bem-estar social e de regras trabalhistas.

Seu gabinete inclui ainda outras quatro mulheres: Katri Kulmuni (32 anos), do Partido de Centro, Li Andersson (32), da Aliança de Esquerda, Maria Ohisalo (34), da Liga Verde, e Anna-Maja Henriksson (55), do Partido dos Suecos na Finlândia.

Antes de Marin, a Finlândia já teve duas mulheres como líderes. A antecessora, Antti Rinne, provavelmente seguirá à frente dos sociais democratas. Ela renunciou na semana passada depois que um aliado, o Partido do Centro, retirou seu apoio por não confiar mais em Rinne. As habilidades de Rinne como líder vinham sendo criticadas depois de uma greve do serviço de estatal de correio, que se espalhou para outros setores da economia.

A Finlândia é um país de 5,5 milhões de habitantes. De acordo com a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), é um dos dez países com a melhor educação do mundo.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentar