Pub

33424579 627267214284052 2948239326351196160 n 400 289

A comunidade “Eu por Elas e Elas por mim” realizou, hoje 26 de Maio, uma marcha e corrida solidária com o propósito de dizer basta de violência contra as mulheres cabo-verdianas. O evento reuniu centenas de pessoas, reafirmando assim o velho ditado popular de que a união faz a força.

Esta marcha/corrida é dedicada a todas as jovens e mulheres vítimas de VBG e o objectivo é o de “ser a voz das que já não podem falar, das que o machismo matou e não deixar que nenhum caso de VBG caia no esquecimento” enfatiza Natacha Magalhães, da organização. 

Marcha Eu por Elas por mim 400 300

Mais de uma centena de pessoas, entre mulheres e homens, cidadãos anónimos e  representantes de instituições e organizações de luta pela causa da igualdade marcaram presença. O apito de partida foi dado pela Primeira Dama, Lígia Fonseca, que também aproveitou a ocasião para enfatizar a “Campanha Menos Álcool, Mais Vida” da Presidência da República.

Após a Marcha, na Praça Alexandre Albuquerque realizou-se atividades desportivas, culturais, momentos de partilha de testemunhos das vítimas do VBG e exposições e sessões de informações de instituições que lutam contra a VBG.

A comunidade “Eu por elas e elas por mim” é uma comunidade suportada pela Associação Cabo-verdiana de Luta contra a Violência Baseada no Género e a Rede Laço Branco e visa engajar a sociedade, os cidadãos de dentro e fora do país para a eliminação de todas as formas de violência contra mulheres e meninas e promover uma sociedade de paz para todas as mulheres e todos os homens.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # PEPETELA 29-05-2018 10:53
"VBG. Autarca do Tarrafal de São Nicolau chamado ao Tribunal". Como é que facamos? Houve no Tarrafal de S. Nicolau manifestações?
Responder
+2 # Daniel Carvalho 27-05-2018 08:11
Iniciativas do género devem ser estimulado com vista à construção de uma sociedade mais igualitária, mais justa e mais sadia.
Responder