Pub

olavo

“Até ao final deste mandato, vamos aumentar o salário mínimo nacional para 15 mil escudos. Eu dou as garantias que vamos cumprir com este compromisso assumido em termos de acordo de concertação social”, garante o vice-primeiro ministro, Olavo Correia.

O Governo promete aumentar a pensão em 15 mil escudos até ao final do mandato, em 2021. A garantia foi dada pelo Vice-primeiro Ministro e Ministro das Finanças, Olavo Correia, durante o debate na especialidade para aprovação do Orçamento do Estado para 2020, que está a decorrer na Casa Parlamentar.

“Até ao final deste mandato, vamos aumentar o salário mínimo nacional para 15 mil escudos. Eu dou as garantias que vamos cumprir com este compromisso assumido em termos de acordo de concertação social”, assegurou Olavo Correia.

O Governo lembra que desde o início desta Legislatura aumentou o salário mínimo de 11 mil para 13 mil escudos. E garante que "até 2021 esse valor será fixado em 15 mil escudos". “Nós temos de ser muito cuidadosos, porque o salário mínimo não pode ser um instrumento para aumentar o desemprego em Cabo Verde”, observou o Vice-Primeiro Ministro, reagindo assim às propostas de aumento apresentadas pela oposição, no caso concreto o PAICV.

“Para tornar o mercado de trabalho mais acessível, temos de ter aqui também um sentido de compromisso, por forma a deixarmos que o mercado de trabalho funcione, com um quadro bem regulamentado”, advertiu Olavo Correia, ao mesmo tempo que sugeriu os sujeitos políticos que “devem evitar abordar esta matéria com a cautela necessária e proteger, como é obvio, para que não tenhamos um quadro de precariedade ao nível da remuneração dos trabalhadores”.

Fonte: governo.cv

 

Veja mais no Santiago Magazine:

Ulisses chama Rui Figueiredo para o Governo e abre disputa para liderança do Grupo Parlamentar

 



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

+1 # Venceslau Cardoso 16-12-2019 16:42
Na leitura do texto encontrei duas versões, sendo uma que diz expressamente salário mínimo 15.000 escudos e a outra que diz também expressamente pensão minima, 15.000 escudos. Em que versão deveríamos acreditar?!...
Responder
0 # Mar de sodade 22-12-2019 23:38
15conto muito pocu 20 edigino pa disarasca
Responder