Pub

Ulisses Correia Silva Parlamento

O primeiro-ministro disse, esta quarta-feira, que em 2021 pretende “reduzir para 20 mil” o número de jovens sem emprego, sem educação e sem formação, correspondendo a 10% desta população cabo-verdiana.

Segundo Ulisses Correia e Silva, este objectivo vai ser alcançado graças ao contínuo investimento nos programas de formação e de estágios profissionais, assim como às políticas de acesso à inclusão, à educação e às políticas de “promoção e incentivos” ao empreendedor jovem e à dinâmica do crescimento económico”.

O chefe do Governo fez essas considerações no debate sobre o emprego jovem, uma iniciativa agendada a pedido do grupo parlamentar do PAICV.

“Reduzir de forma significativa a proporção de jovens sem emprego, sem educação e sem formação é um dos objectivos do desenvolvimento sustentável que pretendemos atingir”, precisou o governante, para quem as reformas do sistema educativo em curso estão a ter efeitos, resultando em “menos jovens que abandonam a escola”.

Reiterou que para o ano lectivo 2020/2021 o seu executivo vai garantir a “gratuitidade” do ensino completa, beneficiando, de acordo com as suas palavras, 53 mil adolescentes e jovens em todo o país.

Correia e Silva avançou ainda que até ao momento o Governo já disponibilizou 11.283 bolsas de estudo para o ensino superior, correspondentes a um investimento de mais de dois milhões e contos.

“Saldamos as dívidas com as instituições do ensino superior de 439 mil alunos com diplomas retidos por falta de pagamento das propinas”, afirmou, acrescentando que para tal foram investidos, através do FICASE, 39 mil contos.

Para Ulisses Correia e Silva, as políticas de emprego estão a “aumentar a empregabilidade através da massificação de formação profissional, reconversão profissional e estágios profissionais”.

“Aumentamos três vezes o investimento para a subsidiação da formação profissional”, assegurou o primeiro-ministro, para depois revelar que o número de beneficiários de formação profissional aumentou de 3.616 em 2016 para 5.082, de Janeiro a Setembro de 2019.

Estas medidas de política, prosseguiu o primeiro-ministro, têm tido um “impacto no emprego”.

Assim, indicou que 80 por cento dos jovens formados na Escola de Hotelaria e Turismo conseguiram emprego e que o mesmo aconteceu com 77 por cento dos jovens formados nos programas de emprego e empreendedorismo.

“60 Por cento dos estagiários, jovens licenciados, conseguiam emprego”, anunciou, lembrando que a execução das políticas do seu Governo em relação à formação, qualificação e emprego foi alvo da última avaliação por parte do Grupo de Apoio Orçamental (GAO) que considerou “muito positiva”.

No dizer do primeiro-ministro, tais resultados ficaram a dever-se a políticas de “estímulos e incentivos” ao investimento privado, nacional e estrangeiro e “aumento da confiança”.

“Estamos conscientes dos desafios e vamos juntos vencê-los para reduzir de forma significativa o numero de jovens sem emprego, sem educação e sem formação”, concluiu, prometendo continuar a “dinamizar” a economia das ilhas, com vista a criar “mais oportunidades investimentos e de emprego”.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # Banana biologica 28-11-2019 17:57
Esse gajo está a correr prata na lingua para treinar novas mentiras.
Responder
0 # Arlindo lopes 27-11-2019 16:49
Para o PM mentir e coisa mais fácil para ele.na altura da candidatura ele prometeu muitas e fez pouco ou quase nenhum agora ao aproximar da nova eleição vem com a mesma proposta sem cumprimentos no princípio era para criar cinco mil empregos ele despediu 2500 porque era quadros do PAICV e não criou nada utilizou varios recém formados na saúde dando lhes lugares de trabalhos sem pagamento durante seis meses porque eram da formação do adversário nesta altura da campanha veem outras propostas será que ainda os cabo-verdianos estão de olhos fechados ou surdos . Vergonha dele ao máximo paciência para os coitados cabo-verdianos
Responder
0 # toto 27-11-2019 12:47
Das empresas privatizadas quantos empregos geraram a mais que quando foram publica ??? Que compensou seu venda?
Responder