Pub

banco CV

As reservas internacionais líquidas de Cabo Verde a 30 de Agosto de 2019 ascendiam a 623 milhões de euros, sendo 68% em euros e 32% em dólares, revelou hoje o BCV.

De acordo com informações do Banco de Cabo Verde (BCV), que se enquadra no âmbito do I Encontro dos Bancos centrais da CPLP a ter lugar no país, os investimentos em títulos governamentais e financeiros, na mesma data, ascendiam a 79%, face aos 21% de depósitos a prazo e à ordem junto dos correspondentes do Banco Central.

Ainda BCV, não obstante a crise que assolou os mercados financeiros internacionais a partir de 2008, as medidas adoptadas atempadamente contribuíram para assegurar a estabilidade das reservas, em risco e performance.

“Num contexto de incerteza e riscos crescentes, o BCV tem vindo a estabelecer parâmetros de gestão rigorosos, visando a preservação do capital, reforçando igualmente a liquidez dos investimentos, tendo sempre presente o perfil de risco conservador assumido pela instituição”, lê-se na nota de imprensa.

O Banco Central informa ainda que para fazer face às condições adversas por que passam os mercados financeiros internacionais, com taxas de juro reduzidas e negativas, foram constituídas carteiras de investimentos, com maturidades mais longas, denominadas em EUR (euro) e USD (dólar), sob a gestão directa do BCV, procurando a implementação de estratégias de diversificação, de modo a garantir uma alocação mais eficiente das reservas.

E porque a gestão de activos externos e dos riscos inerentes enfrentam, actualmente, importantes desafios, num contexto internacional de incerteza, com taxas de juros negativas, oportunidades de investimento reduzidas e riscos potenciais acrescidos, a matéria segundo BCV merece um espaço de discussão, que possibilite a troca de experiências e partilha de boas práticas, com vista ao seu aperfeiçoamento.

Com Inforpress



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # toto 25-09-2019 08:44
Sao seguros as instituições bancarias de CV ,se o Banco de créditos quebro e os calotes não cobrados ,a filial da Caixa Econômica em SV como da do BCA/Palmarejo foi roubada desde adentro ,que seguro esta o dinheiro nos bancos de CV
Responder