Pub

CV Airlines

Um relatório da Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC), de Portugal, revela que a Cabo Verde Airlines foi a companhia com mais reclamações no segundo semestre de 2018, por número de passageiros transportados. No geral, a CVA aparece em quinto lugar, entre todas as companhias que operam de e para Portugal.

De acordo com o documento da ANAC, o segundo semestre de 2018 registou um aumento do número de reclamações relacionadas com a prestação de serviços das companhias aéreas estrangeiras. E a Cabo Verde Airlines (ex-TACV) ficou em primeiro lugar quando se trata de reclamações por cada 1000 passageiros transportados.

A ANAC refere ainda que a transportadora aérea cabo-verdiana “registou o segundo maior aumento homólogo, em volume, com um acréscimo de 123 reclamações, posicionando-se, igualmente, como a segunda companhia aérea estrangeira com maior número de reclamações dirigidas (atrás da Ryanair). As três companhias aéreas estrangeiras com mais reclamações registadas respondem por uma parcela correspondente de 47,4% das reclamações. A proporção seguinte de 40,3% está distribuída por 20 companhias e os 12,3% remanescentes encontram-se distribuídos por 40 transportadoras que não atingiram, individualmente, mais de 10 reclamações no período em análise”.

Globalmente, ou seja quando comparado com todos os tipos de voo, a Cabo Verde Airlines aparece em quinto lugar, com 133 reclamações registadas, de Julho a Dezembro de 2018. A ex-TACV só fopi ultrapassada em reclamações dos passageiros pela TAP (3.787), Ryanair (377), Orbest (148) e Sata (135), sendo certo que estas operadores transportaram muito mais pessoas.

As maiores queixas têm a ver a o cancelamento de voos, seguido de atrasos nas partidas e chegadas, atraso nas ligações, bagagem e perda de voo.



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

-2 # AndrezSilvia 04-07-2019 15:54
Sou passageira frequente tanto quanto possível da TACV e não penso que este nº de reclamações seja demonstrativo do serviço que a companhia presta.
Tal deveu-se a um período difícil da transportadora que julgamos ultrapassado.
Ver que tal se deveu ao facto de a TACV ter cancelado 52 voos numa semana afetando mais de 7.500 passageiros em
julho de 2018.
"A companhia aérea cabo-verdiana TACV cancelou 52 voos desde a semana passada, por falta de aviões, afetando cerca de 7.550 passageiros, divulgou a empresa."
Responder
+1 # AGUA água s 04-07-2019 13:09
Li uma reclamação de uma Brasileira e fiquei de queixo completamente caído.
Responder