Pub

 telefone telemovel

O número de telemóveis em Cabo Verde, onde reside menos de meio milhão de pessoas, atingiu os 610.328 no final do ano passado, registando um decréscimo após oito anos de consecutivo crescimento, segundo dados oficiais.

Segundo os indicadores estatísticos do mercado das telecomunicações eletrónicas em Cabo Verde, ano de 2018, hoje reveladas pela Agência Reguladora Multissetorial da economia (ARME), no final do ano passado existiam 610.328 assinantes de telemóveis, 379.076 assinantes da internet, 62.680 assinantes de telefones fixos e 9.829 de televisão por assinatura.

O documento refere que nos últimos oito anos se registou uma tendência crescente do acesso às comunicações móveis, a qual mudou em 2018, com um pequeno decréscimo, quer no serviço de voz, quer no serviço de acesso a internet (3G).

Segundo a ARME, o número total de cartões ativos no mercado móvel em Cabo Verde era de 610.328 no período em análise, o que representa uma diminuição de 0,9% em relação ao terceiro trimestre de 2018.

O tráfego efetuado nas redes móveis totalizou, no ano de 2018, 1.109 milhões de minutos, representado um crescimento de 24%, em relação ao ano anterior.

No mesmo período foram enviados cerca de 65 milhões de mensagens curtas, o que representa um aumento de 26% em relação ao trimestre homólogo do ano 2017.

No serviço de rede fixa, esta contava com 62.680 assinantes no final de 2018, o que representa uma taxa de penetração de 11,5 acessos por 100 habitantes, a qual corresponde a um ligeiro decréscimo de 3,5% em relação ao período homólogo do ano passado.

Com Lusa



APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

A crise na imprensa mundial, com vários jornais a fechar as portas, tem um denominador comum: recursos financeiros. Ora, a produção jornalística, através de pesquisas, entrevistas, edição, recolha de imagens etc. Tem os seus custos. Enquanto está a ler e a ser informado, uma equipa trabalha incessantemente para levar a si a melhor informação, fruto de investigação apurada no estrito respeito pela ética e deontologia jornalisticas que caracterizam a imprensa privada, sobretudo.

Neste momento em que a informação factual é uma necessidade, acreditamos que cada um de nós merece acesso a matérias precisas e de interesse nacional. A nossa independência editorial significa que estabelecemos a nossa própria agenda e damos nossas próprias opiniões. O jornalismo do Santiago Magazine está livre de preconceitos comerciais e políticos e não é influenciado por proprietários ou accionistas ricos. Isso significa que podemos dar voz àqueles menos ouvidos, explorar onde os outros se afastam e desafiar rigorosamente aqueles que estão no poder.

Portanto, se quiser ajudar este site a manter-se de pé e fornecer-lhe a informação que precisa, já sabe que toda contribuição do leitor, grande ou pequena, é tão valiosa. Apoie o Santiago Magazine, da maneira que quiser, podendo ser através da conta nº 6193834.10.1 - IBAN CV64 000400000619383410103 – SWIFT: CANBCVCV - Correspondente: TOTAPTPL - Banco Caboverdeano de Negócios - BCN, ou por meio deste dispositivo do PayPal.


APOIE SANTIAGO MAGAZINE. APOIE O JORNALISMO INDEPENDENTE!

Comentários  

0 # copyright 23-05-2019 15:55
dessas casualidades o dia que enviava uma denuncia via e-mail aos funcionários do governo do MF ,a CVTELECOM me diminuiu a velocidade do servidor de saída e os mail se perdiam na espera !!!!!!! Me fui a um ciber -outro servidor de saída- e consegui o envio .
Responder
-1 # Migueis 15-05-2019 14:19
Comunicação mais cara do mundo
Responder
+1 # Bigas 17-05-2019 09:12
Não é verdade, em Cabo Verde você paga 1000 escudos para falar durante um mês sem limites, nos EUA paga-se 30 dólares para o mesmo período, quase 3 vezes mais.
Responder
-1 # Tretas 20-05-2019 07:09
Falar sem limites durante 1 mês com quem? as paredes kkkkk
Responder